Day by day

CONTAGEM REGRESSIVA – 3 semanas

Na verdade já sao quase 2 semanas e meia, mas essa semana foi tao intensa que nem consegui registrar este momento direito por aqui.

Foi intensa, pois a partir da próxima quero só ficar “de boa”, mas até lá tenho que terminar a deco do quartinho “provisório” do Rafa, lembrancinhas de maternidade, documentacao, minha mala pra levar pra maternidade, comprar coisinhas que ainda faltam e encontrar amigos pra bater papo e assim vai. Sim, essa semana me propus a fazer tudo isso, mas até agora cumpri no máx. 85% do que queria. Mas calma, ainda tem amanha. :-D

Apesar de ainda estar me sentindo disposta e indo bater perna até, sinto que meu gás nao está mais o mesmo nao. Hoje mesmo senti que abusei da sorte e quando cheguei em casa senti que precisava ficar só deitada. Estava completamente acabadinha. Pois é, sinal do meu corpo pra eu realmente comecar a diminuir o ritmo. Nao é uma tarefa fácil, mas para o bem de todos aqui em casa, é o que vou fazer: diminuir definitivamente o ritmo.

A minha barriga ainda nao está muito baixa nao, mas já estou indo ao banheiro com muito mais frequencia e, às vezes, vou mas chegando lá nao tem nada. Sei lá, parece que é só a pressao mesmo que dá a impressao falsa de querer ir ao banheiro. Além disso, também sinto que estou “inchando” mais. O Rô olha pra mim e diz: “Quando olho pra você me dá uma saudaaaaade… de queijo minas…”. É mole!? :-D

Psicologicamente a coisa tá pegando. Nada de ruim e nada de anormal. Já cansei de ler por ai que todas as mulheres passam pela mesma coisa antes de se tornar mae. Quando estou quietinha e, principalmente, na hora de dormir comeco a pensar em tudo que está por vir, se estou mesmo preparada, se eu e o Rô vamos saber lidar um com o outro nesta nova situacao, como vai ficar nosso relacionamento pós-Rafael, como nós vamos ficar como indivíduos, se eu vou deixar o Rafa cair porque sou meio lambona e torta, se vou suportar vê-lo sofrendo com qualquer tipo de dor, etc. É muito doido, mas está passando tudo isso e muito mais na minha cabeca nos últimos dias. E, mais uma vez, é natural e sei que todo mundo vai dizer que tudo vai dar certo, mas vou continuar me questionando simplesmente porque futuras maes também sao humanas, logo sabem que podem falhar e lidar com essa realidade nao é muito fácil. Nunca é. Mas acredito que a partir do momento que ele estiver aqui vamos ficar tao eufóricos e felizes que todos os medos vao desaparecer temporariamente, afinal que medo pode ser maior do que o amor por um filho? Talvez só o medo de perdê-lo.

Responsabilidade. Penso muito nisso também. Qualquer mae e pai sabe melhor o que é responsabilidade do que qualquer empresário de sucesso. Gerir pessoas nao é fácil, aliás é QUASE a coisa mais difícil no mundo. Gerar pessoas DEVE SER a coisa mais difícil do mundo. E quando falo em gerar nao estou falando da gestacao em si, pois essa só está me incomodando agora, no último mês. Estou falando de gerar a pessoa ao longo da vida dela, de ajudá-la a se desenvolver, de apresentá-la os valores mais importantes que ela deveria (segundo nossos valores) ter, aceitá-la e amá-la mesmo que ela nao se torne aquilo que você desejou, ou seja, mesmo que ela nao atenda suas expectativas como criador(a). Eu acho que é isso que mais assusta os futuros pais: a responsabilidade por uma VIDA que nao é a nossa.

Mas, ironicamente, acho que é também o que mais nos encanta e uma das coisas que nos faz decidir ser pai e mae. É acreditar que aquele ser gerado por nós é, até um certo momento, NOSSO. Todinho nosso! É lógico que isso é forma de dizer, pois sabemos que a coisa nao é beeem assim, mas o sentimento é esse, pois no comeco ele é tao indefeso, tao despreparado, tao dependente que nao tem como a gente nao sentir e acreditar que ele sempre irá precisar da gente. Quando observo alguns casais com seus filhos, vejo que eles gostam disso. Gostam desse sentimento de ter alguém que os ouve, que aprende com eles, que quando está triste corre pros bracos deles, que quando está feliz abre aquele sorriso só pra eles. Desfilam orgulhosos com seus pimpolhos, mostrando pra todos como que dizendo com todo orgulho do mundo: “Sim, fomos nós que fizemos!”. É sim uma postura de “posse”, mas nao acho nenhum pecado. É natural do ser humano.

O problema é que o preco pra entrar no paraíso é meio carinho, ou seja, primeiro o Rafa tem que vir ao mundo e essa parte também assusta um pouco. O que também é natural, convenhamos. Mas, a parte boa, é que se eu tivesse que fazer cesárea esse medo seria MUITO maior. Aliás, nao estou com medo do parto, estou apreensiva. Um pouco mais do que quando vou fazer depilacao na virilha que, fala sério, dói pra burro! :-D

Bom, é isso. Agora já é uma da matina aqui e eu levantei porque nao conseguia dormir com tantos pensamentos na minha caxola. Mas agora aliviei, entao hora de dormir, pois o Rafa tá aqui se remexendo todo como que dizendo: “Vamos deitar mae!”

Seu desejo é uma ordem “Sir”. :-D

Boa noite e até semana que vem com mais “abstracoes gestacionais”.

[pinit count="vertical"]

Nenhum Comentário para "CONTAGEM REGRESSIVA – 3 semanas"

  1. vanessa scomparim sueiro disse:

    Maira… Fica tranquila!!! junto om Rafinha nascerão também uma mãezona e um paizão!!! Vocês nunca mais serão os mesmos… tudo muda… o casamento muda, prioridades mudam, mas para melhor. Ciclos da vida se encerram, para que possamos viver novos momentos. E uma força sei lá de onde vem para que possamos superar cada obstáculo nesta nova fase. Só te falo uma coisa… no fim, tudo dá certo… a gente cresce, muda, amadurece, vira leoa!!!!!!

  2. Fabiana Lima disse:

    Menina maluquinha, se fosse tão ruim não teria tanta gente no mundo…rsrsrsrs assim dói menos!!! minha mãe teve 13 filhos…e está linda e maravilhosa e ainda pensa em adotar mais um.ahhhhhh detalhe, todos Cesárea.

  3. Eliana disse:

    Oi Maira, gosto muito de ler o que vc escreve, sabe que tinha todas essas perguntas e medos também!…e era 1986, não tinha 3D nem internet, eu não quiz saber o sexo por ultrasom, preferi a surpresa, e sim o sentimento de posse é inevitavel.Quando fui para o hospital pra ele(a) nascer esta apreensiva como vc e inchada também, ai pensei, bom, vai ter que sair da minha barriga e pronto não tem outro jeito, então fui e deu tudo certo, hoje o meu Raphael Eduardo, sim Rapha como o seu, mas com PH…esta aí, em Dusseldorf fazendo um curso de inverno do DAAD…e por mérito próprio, porque estudou alemão sozinho, não foi em uma escola e conseguiu ganhar a bolsa.O que sempre falei para o Rapha desde quando ele ja tinha um certo entendimento das coisas foi que o que eu mais queria pra ele, era que fosse feliz, como vc falou gerar uma pessoa é uma tarefa e tanto, mas vale muito a pena.
    Aproveita tudo Maira, nenhuma foto vai registrar o que seu coração vai sentir quando olhar pra ele.
    Descansa mulher e diminui o sal para não inchar tanto…beijos.

  4. Patricia Sack disse:

    Oi, Maira!
    Que delicia ler seu blog e relembrar a experiencia da gestacao…
    Sabe, qdo os filhos nascem (e tenho 2, viu?) eh como se automaticamente comecasse a funcionar um chip “mami” (que sempre esteve escondido dentro da gente) e qdo temos nosso filhotinho nos bracos, ele comeca a rodar e qdo percebemos ja estamos amando, protegendo, cuidando e tomando decisoes por ele (ah! e dando muitas ordens pro papai) com a maior habilidade. Eh algo que nao se explica racionalmente ou logicamente, mas se vive intensamente e acho que isso vc sabe faze-lo muito bem, nao eh mesmo?!?
    Aproveite para viver a aventura mais radical e apaixonante da sua vida, que eh ser mae!
    Que Papai (aquele do ceu) te faca sossegar nesses ultimos e longos dias na certeza de que tudo ficara bem e que Ele te de uma velocidade de super banda larga para seu ” chip mama” !
    PAtricia Haro Sack (mae do Tavo e do Tato)

  5. Glau disse:

    Tá tão linda!!!!

    Má, que vc tenha uma ótima hora…. estarei rezando por vc. O Rafinha vai chegar lindo lindo de tudo…

    bjuuuu

  6. Tamine Maklouf disse:

    Oi! Achei seus blogs (e twitter) procurando sobre “pastel na Alemanha”!
    Adorei ler teus relatos sobre gravidez, principalmente porque também estou com um feijãozinho crescendo dentro de mim e aqui na Alemanha! Dentro de umas semanas vou fazer o segundo ultrasom e vou colocar a médica na parede pra saber a porra do sexo, se ela vier com frescura! Já irei preparada! ehehehe
    Boa sorte nas suas últimas semanas..
    Bjs, Tamine

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório