Cultura

CULTURA ALEMA – Importância do sobrenome

O tema é beeeem interessante e só me veio agora a idéia de falar sobre ele, afinal hoje aconteceu algo muito curioso na Alemanha sobre o tema “sobrenome”. Pra gente pode parecer uma coisa absurda, mas acreditem, aqui na Alemanha a coisa faz sentido e vou tentar explicar por quê.

Um casal em Munique abriu uma acao judicial, pois a mulher queria ter além dos dois sobrenomes do marido, o seu. A mulher queria porque queria poder fazer isso oficialmente, ou seja, usar os três sobrenomes (e principalmente poder usar o dela), mas esse tanto de sobrenomes já é proibido na Alemanha desde 1993 e a mulher teve que se contentar com o fato de só poder continuar usando seu sobrenome no seu cartao profissional/pessoal e quando for algo oficial ela tem que usar o sobrenome duplo do marido.

Parece absurdo? Concordo, mas quando você aparece por aqui com mais de um sobrenome isso dá um nó na cabeca dos alemaes que vocês nao tem idéia! Aqui é SUPER comum (por enquanto e enquanto a lei sobreviver) ter apenas um sobrenome e quase sempre o do marido. E em quase todos formulários tem realmente um curto espaco para o sobrenome (que quase sempre vem primeiro e geralmente eles chamam de “nome”) e outro espaco também curto para o nome (que eles chamam normalmente de “pré-nome”). Nao preciso nem dizer que eu quase SEMPRE preencho todos os formulários errados, porque viciei no Brasil em sempre escrever o nome primeiro (que pra ele é o tal “pré-nome”) e aqui ele quase sempre vem depois do sobrenome. Haja tico e teco. (((-:

Mas isso nao é nada. Aqui sobrenome é tudo! É realmente sua identidade e muitas vezes o seu problema. Quer um exemplo? Nas caixas de correio geralmente eles colocam os sobrenomes dos moradores e raramente os nomes, ou seja, se colocar apenas seu nome vai continuar achando que ninguém te manda cartas, pois elas nunca vao ser entregues. Mas eu e o Rô fomos bem espertinhos e colocamos nossos nomes completos, assim fazemos com que funcione tanto o sistema alemao, quanto o sistema brasileiro por aqui. Outro problema é quando sabemos apenas o nome de alguns colegas e quando estes nos convidam para uma festa na casa deles. Quase sempre chegamos na porta e temos que ligar para eles, pois a campainha fica do lado da caixa de correio de cada morador e lá só está o sobrenome das pessoas, ou seja, aqui (pelo menos onde moramos) nao tem número do apartamento como no Brasil. Isso mesmo, é o seu sobrenome (ou nome completo) que fica exposto publicamente na porta da sua casa. Bem que podia ser assim no Brasil, né!? A gente ia facilitar o servico dos bandidos, poxa! A probabilidade de uma assalto por engano ia diminuir horrores. (((-:

Mas voltando pro sobrenome. Quando você liga para um alemao é outro parto. Eles quase sempre falam o sobrenome ao atender o telefone e quando me ligam tiram sarro porque eu falo simplesmente “alô”. E mesmo pessoalmente eles se apresentam frequentemente pelo sobrenome e nao pelo nome. Resumindo, é possível que depois de muitos anos em contato com um alemao você nao saiba o nome dele. Tô falando sério!

Outra forma de elucidar essa cultura “sobrenomal” é contando algo que aconteceu no mestrado logo nos primeiros dias. Nas primeiras aulas os professores pediram para que pegássemos um papel e escrevessemos nosso “nome” bem grande e que colocássemos sobre nossas carteiras para que pudéssemos ir gravando o nome de todos os nossos colegas. Eu, pra variar, sou da turma do fundao e, ao contrário do que muitos pensam sobre isso, nao é pra baguncar que sento lá nao, mas sim pra poder observar todos que estao na minha frente. Pois bem. Como fico lá sentada só observando a acoes alheias nao pude deixar de perceber que todos alemaes escreveram no papel apenas o sobrenome e que todos os estrangeiros ou escreveram somente o nome ou o nome+sobrenome. Curioso, né!? Sao coisas que a gente só observa, quando está numa aula onde nao está entendemos patavinas e decidimos simplesmente ”abstrair”. Coisas da vida de estudantes. (((-:

Sim. Essa cultura do sobrenome por aqui é muito doida. E mesmo após dois anos por aqui ainda acho também muito estranho ser tratada sempre por “Frau Engelmann”. Nao é nada contra, pois sei que isso é uma diferenca cultural, mas nao consigo deixar de me sentir estranha sendo tratada assim ou chegando no consultório médico e também me apresentando como “Frau Engelmann”. Mas enquanto acho estranho ainda fico tranquila. O pior é se eu comecar a gostar e, voltando pro Brasil, pedir pra ser chamada de “Sra. Engelmann”. (((-:

P.S.1: e o que o tio Pedrao tem a ver com tudo isso? – Já viu o tamanho do nome do cara? – Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon – Imagina ele chegando na Alemanha. Duvido que ele conseguisse amigos por aqui. (((-:

P.S.2: antes que alguém pergunta, meu sobrenome é alemao por causa da minha bisavó e sim, casei e nao mudei meu sobrenome. Ai vocês pensam: “Perfeito! Ela nao deve ter nenhum problema com sobrenome na Alemanha.” Realmente, meu sobrenome aqui é super fácil de ser “entendido”, mas em compensacao conheco poucas pessoas que num primeiro momento nao me chamaram de “Maria” ao invés de “Maira”. Pois é.

Fonte: http://www.bundesverfassungsgericht.de/pressemitteilungen/bvg09-047.html

[pinit count="vertical"]

13 Comentários para "CULTURA ALEMA – Importância do sobrenome"

  1. La disse:

    Afff..sem comentariosss…o que eu ja sofri aqui por ter 2 sobrenomes…CTRL+ALT+DEL!!!!

  2. Mila disse:

    Bom, pelo menos eu prefiro ser chamada de Frau Rola aqui em Berlin do que Sra Rola no Brasil. kkk pelo menos aqui não vem a risadinha depois….como diz meu sogro, Rola é um simples passarinho…
    Beijos
    Mila

    • Maira disse:

      Mila…kkkkkkkkkkkk….me matei de rir com o teu comentário! Tá… só tô rindo porq nao sou eu com esse sobrenome “curioso” no Brasil… Pois é, tudo tem seu lado positivo e fico feliz que vc tenha o dom pra vê-lo. Sempre é melhor rir do que chorar. (((-: Bjks!

  3. Sandra disse:

    Eu AMO meu sobrenome brasileiro/portugues aqui, todo mundo entende de primeira e escreve corretamente. Eu uso só o último, exatamente pra evitar mal-entendidos e agilizar os contatos. Curiosamente, quando tinha um sobrenome composto (meu+meu ex-marido),ninguém entendia ou escrevia o nome dele correto, apesar de ser um nome alemao… Nem soletrando ele saía correto!…

  4. Samantha disse:

    E esse negocio do sobrenome na caixa do correio foi confuso! Na primeira vez que fui visitar o Rodrigo ai… nao sabia qual era o numero do apto… ainda bem que eu sabia quem tinha sido o morador anterior… rs…rs… pq ele nao tinha colocado o sobrenome dele na caixa.
    Bjs

    • Maira disse:

      Sá mas vc tb teve sorte de saber o sobrenome do Toledano, né!? Ou o nome dele tb tava por extenso? Mas fala sério na nossa casa é até fácil, afinal só tem a gente de “estranho-geiro” e o resto é tudo da família italiana… os “Cautilhos”… Pensando bem, tem uma costa riquenha tb que nao pôs o nome do italiano, mas como está o nome dos dois juntos tb dá pra chutar que nao era lá… hahahah… aiiiii que complexo! (((-: Bjks!

  5. coisa rica disse:

    oi, gente se eu me casar com alemão, eu terei de retirar meus sobrenomes e adicionar o dele? é verdade isso, que háimportancia na Alemanha p sbrenomes, pricipalmente o pai do noivo faz qstao q vc deixe seus nomes p adicionar apenas o dele que émesmo sobrenome de seu filho?

    bjosss

  6. Jayne disse:

    Legal ..
    sonho um dia em ir morar na Alemanha. Tenho parentes em Munique.
    Meu pai biologico é alemão, mas ele morreu
    antes de eu conhecer elee :(
    por isso não sou registrada por parte de pai.

    Nome do meu pai era Liert Frauz Tchesco Schurmitz
    será qe meu nome ficaria: Jayne Schurmitz ?
    e se eu morasse ai eles me chamariam do msm nome
    qe chamavam meu pai? (ou seja pelo sobrenome)?

  7. maria helena schrederhof disse:

    Interessante o assunto sobre o sobrenome, não é atoa que meu avô descendente de holandês e alemão prezava muito o seu sobrenome.
    Gostaria de poder saber a respeito de concurso na Alemanha – participei de um em 1995 o qual o meu trabalho foi classificado.
    Mail art projekt – Uelzen – Alemanha – 1995

    O navio dourado

    Navegando mar afora
    Avistaram o pequeno cidadão
    Trouxe com sua amizade, agora
    O marco de uma Nação.

    Entre pedras preciosas
    Edifica a sua existência
    Latão Dourado, vida gloriosa
    É tratado com Excelência.

    No topo, a coroa de um Rei
    Mostra a eficácia de uma Pátria
    O todo amiguinho, bem sei
    Que conduz respeito em látria.

    Os pés feitos para comportar-se
    Diz ter idade incerta
    O confeccionado ainda procura-se
    Sua origem Nobre desperta.

    É um amiguinho que soa simplicidade
    Registra na ciência a sua existência
    Mas, com cara de Majestade
    Conquista amizades com eficiência.

    No ano de 1994 no concurso literário “Das Goldene Schiff” na Uelzen – Alemanha.

  8. Jane disse:

    Ih, já me acostumei totalmente! Já ligo pros lugares me identificando com o sobrenome. Mas tambem, já sao quase 4 anos em terras germanicas. Já alemanizei um pouco! haha

    Agora que casei e mudei o sobrenome à la Brasil, vou precisar me readaptar…

  9. Tania Aparcida Belderrain Spillmann disse:

    :grin: Oi querida Acabei de descobrir o seu blog e devo dizer que adorei.Moro na Alemanha há mais de 28 anos. Finalmente o povo por aqui me chama pelos dois sobrenomes(um espanho e outro suiço)Após muita luta acabaram me aceitando.
    Abraços e visite o meu site

    http://www.lingualinesprachen.de

  10. daniella schultz disse:

    nao sentir muito isso aqui.acho que poucos ,tem esse problema.mais vou abservar mais …

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório