Egito

Egito: Historia,Deserto e Mar

Photobucket

Nao foram 1001 noites, mas foram 14 dias que, sem dúvida, valeram mais que isso pelas experiências e percepcoes vividas. Vou tentar mesclar nesse relato história, cultura e sentimento, mas, pode ser que, no final tudo se mostre apenas como sentimento, pois mais intenso do que os monumentos deixados pelas antigas civilizacoes, sao os sentimentos que vivemos através do contato com a civilizacao egipcia atual. 

O Egito é um país arabe que fica na regiao norte da África. Ele é cortado de sul a norte pelo segundo rio mais comprido do mundo, o Rio Nilo , que mede 6671km (pesquisadores confirmaram recentemente que o rio amazonas é mais comprido que o Nilo! Uhuuu!!). Grande parte de seu território é coberto por um deserto, que ocupa aproximadamente 85% de sua área total. Somente com esses dados já é possível definir o território egipcio: “um jardim ao longo do Rio Nilo, ladeado por dois grandes desertos”. E mais, pode-se atribuir a existência da civilizacao egipcia à este rio. Sem o Nilo e as antigas enxurradas e inundaçoes que ele causava, nao existiria vida nesse misterioso e culturalmente rico país! 

Enfim, dividi esse “post” em várias partes pois, quem sabe assim eu nao me perca durante a típica empolgacao. Mas já aviso: ele tem um tamanho faraônico!!!! É bom, assim voces já vao entrando no clima…hehehe…  

Segue um mapinha pra quem quiser nos acompanhar…

Estivemos em Luxor, Assuã (vale do rio Nilo) e em Hurghada (litoral do mar Vermelho). Nao, nao conhecemos os “pop stars” Cairo e nem Abu Simbel e, sinceramente, pelo que li e fotos que vi nao iriam acrescentar muito. O Cairo, apesar das Piramides e Museus, nos apresentaria a parte ocidentalizada do Egito e preferimos conhecer justamente o contrário. Abu Simbel dizem que vale a pena, mas pelo preco que a agência queria que pagassemos, nem se eu fosse a Cleópatra!!!!

* Povo 

 

O povo egipcio é muito diferente e fica até dificil definí-lo conhecendo tao pouco. Tivemos contato com muita gente extremamente simples, que aprende desde cedo a estender a mao para pedir gorjetas por tudo, ou até mesmo por nada (gorjeta em árabe: bakshish). Basta colocar o pé na rua que todos começam a te tocar oferecendo foto, passeio ou o que quer que seja. Outros querem apenas fazer contato para treinar seu inglês, espanhol, frances, russo, alemao e etc, sendo que poucos falam muito bem uma dessas línguas, mas muitos sabem ao menos o vocabulário para se fazer uma boa negociaçao (pra eles). Muito do que vimos nos remete à idéia de que uma porcentagem gigantesca dos egípcios vive, no mínimo, na linha de pobreza que conhecemos, mas, como muitos pobres brasileiros, tem estampado em seus olhos a felicidade! Ao mesmo tempo pude observar também muitos olhos que transmitiam resignacao, algo emocionante e incomum nos dias atuais para os ocidentais. É interessante e exótico também observar os homens dando beijos em homens e a mao para as mulheres. Além disso, vimos frequentemente homens andando de maos dadas… ihhhh pronto! Que maldade!

Misturados ao povo egipcio, vivem também o povo núbio e os beduínos. O povo núbio é um povo muito antigo, de pele negra, que habitava a regiao sul do Egito, e que teve suas terras alagadas por causa da construcao da barragem de Assuã, construída para gerar energia elétrica e evitar as antigas inundacoes do Rio Nilo. Hoje, esse povo de cultura muito forte vive em uma regiao chamada Kom-Ombo, onde tivemos oportunidade de conhecer um povoado gracioso e colorido que nos mostra a beleza desse povo sem “lugar”. Já os beduínos sao um povo nômade, sem terras demarcadas. Têm um olhar “diferente” que me deixou fascinada (como o da menininha da foto acima, que é uma beduina) e, por mais que tivesse mil oportunidades pra fotografá-los, nao conseguia, pois ficava tentando decifrá-los de longe. Foto nenhuma transmitiria o que senti… nem mesmo palavras….Vivem de modo muito simples, mais simples do que a maioria, e o fazem por escolha. Pra se ter uma idéia, o governo chegou a construir um tipo de CDHU para que eles pudessem ter onde morar, mas eles usam as casas para guardar os animais (camelos, cachorros, cabritos, etc) e construiram casas de madeira do lado de fora para eles. Quando vimos, simplesmente nao acreditamos! Nao é fácil entender um povo que abdica de coisas materiais para manter sua cultura e valores intactos, mas ao mesmo tempo é muito fácil admirá-los por isso. 

* Religiao

 

90% dos egípcios sao islâmicos, 9% cristaos e 1% é composto por religioes nao reconhecidas como legais pelo governo (judeus sao praticamente inexistentes). Pelo que entendi e pelo que vi, vivem em paz apesar das grandes diferenças entre estas duas religioes milenares, mas podem ocorrer problemas quando muçulmanos decidem se converter para o cristianismo, pois neste caso o indivíduo precisa alterar seu documento de identidade (que consta a religiao) e,  já houveram casos onde as autoridades esqueceram a lei e apelaram até para torturas. Uma pena, mas existe! Bom, retomando o rumo da prosa… Os homens muçulmanos mais religiosos costumam ter uma característica bem peculiar: uma marca (ou mais) na testa, motivo de orgulho. Estas sao resultado do contato da testa com o chao da mesquita durante incansáveis oracoes que realizam todos os dias voltados para Meca. Os homens usam geralmente roupas longas que parecem camisolas, deixando apenas pés, maos, pescoco e cabeca à mostra (quando nao usam turbantes). As mulheres geralmente vestem roupas largas e deixam exposto somente o rosto. Mulheres casadas usam roupas escuras fora de casa e, apenas dentro de casa, costumam usar roupas coloridas e nao usam o lenço que, normalmente, deixa somente o rosto exposto, e olhe lá….

É uma sociedade difícil de entendermos e muitos julgam que eles vivem retrogradamente, logo de forma equívoca e cega. Para mim ela é apenas diferente, e me esforco para nao julgar algo que só quem vive nessa cultura consegue entender, logo tem poder de julgamento.  Conheço duas islâmicas pessoalmente (do Iraque e Jordânia) que sao seres humanos adoráveis. Entao como posso julgá-las mal por, inclusive, usarem um lenço na cabeca e blusa sempre com mangas? Uma vez elas me explicaram porque usam lenço. Ambas tiveram um sonho ruim, onde seus familiares eram mortos. Receberam aquilo como um sinal de Alá e decidiram espontaneamente usar o lenco para provar à Ala sua fé e assim afastar uma possível puniçao. Na hora eu disse que nao conseguia compreender isso, pois para mim nao muda nada em meu destino se eu esconder meu cabelo. Foi entao que a jordaniana me disse: “Eu também nao entendo muitas coisas que o seu povo faz (ou os ocidentais) e sei que, eu só poderia entender se tivesse sido criada na sua cultura. Só islamicos entendem minha escolha, pois eles também um dia a fizeram levados pela nossa cultura.” Vivendo e aprendendo…

Vimos no Egito poucas mulheres trabalhando na area comercial, nos remetendo à quase certeza de que dedicam-se quase sempre aos trabalhos domésticos. Nao sao proibidas de trabalhar fora, mas, sem dúvida, sao melhor aceitas quando seguem “as regras”.

Entre os dias 20 e 23 de dezembro foi feriado no Egito, o chamado “A grande festa (Eid-ul-Adha)” ou também “A festa do sacrifício (Kurban Bayram)”. Pudemos assistir coisas indescritíveis neste período. No caminho de volta para Luxor fomos acordados às 05:00h com oraçoes transmitidas pelo megafone de uma mesquita que estava simplesmente de frente para a janela da nossa cabine. Alá nos tirou definitivamente o sono, mas nao deixou de nos impressionar. Quase na hora do almoço estavámos navegando na altura da cidade de Esna, e assistimos algo inusitado. Dezenas de mesquitas transmitindo simultaneamente, através de seus MEGAfones, oraçoes diferenciadas. Uma salada sonora indecifrável para nós que entendemos (hoje) apenas meia dúzia de palavras árabes.  

 

Outra surpresa relacionada à esta festa foi durante nossa caminhada através do mercado de Assuã. Estávamos caminhando e, de repente, observamos numa travessa muitas pessoas encurralando um boi/vaca (nao deu tempo de analisar os detalhes…). Achamos estranha aquela cena e eu continuei observando as travessas, enquanto o Rodrigo se encantava com os instrumentos musicais em uma das bancas. De repente vejo um aglomerado de pessoas que surgem com pedaços generosos de carne nas maos sem nenhuma forma de protecao (papel, sacola, etc). Na hora nao entendemos nada, apenas registrei o momento tentando ser discreta (disse que tentei, mas acho que nao consegui…hehehe).  Somente mais tarde nos explicaram que aquilo estava relacionado com a Festa do Sacrifício. Nesta festa, animais são abatidos para comemorar o ato de Abraão, que sacrificou um carneiro em vez do seu filho Ismael. Os pedacos dos animais nesta festa sao distribuidos gratuitamente para a populacao mais carente. Foi surreal…

* Pobreza

 

Nunca vi tanta e talvez tenha visto pouco. Estava mal acostumada com as paisagens de pobreza que já vi no Brasil. No Brasil sao quadros que nao impressionam tanto, pois sao constantemente misturados com focos de riqueza ou conforto médio das classes mais abastadas. No Egito nao vi isso. Ao longo de toda nossa viagem através do Nilo SÓ vimos pobreza, mas nao miséria. Nao lembro de ter visto um mendigo e acredito que isso nao deva ocorrer, pois pelo que li e ouvi, os muçulmanos sao um povo muito solidário e estao sempre ajudando aos que necessitam. Abrem mao de um maior conforto para poder abrigar algum necessitado. Só 5% do Egito é considerado rico e o restante está na mesma linha de pobreza, nem mais, nem menos. A renda média do egito é equivalente à METADE da nossa no Brasil. No entanto, é interessante observar que a taxa de violência independe da classe social, pois essa é baixíssíma no Egito. Eu e o Rô chegamos a andar alguns quarteiroes dentro de “favelas” e ruelas sinixxxtras e, no máximo, fomos abordados por crianças que andavam em uma carroça puxada por um burrico, pedindo dinheiro em troca de uma foto.

 

As casas sao praticamente todas inacabadas, onde se pode ver as vigas esperando um novo andar. Segundo o guia, no Egito os filhos sao “responsáveis morais” pelos pais, e tem a incumbência de terminar a construçao das casas, assim como prover o bem-estar dos pais durante a velhice destes. Previdência Social praticamente nao existe, por isso atualmente as familias egípcias optam por ter muitos filhos, o que garantirá a sobrevivencia da familía com o passar dos anos.

* Mercado & Mercadores

 

O Mercado de Assuã que conhecemos se apresenta num show de cores, sabores e pentelhos (mercadores)! É tudo muito colorido, encantador e sem preco (enrolaçao)! Através desse mercado você entra na vida desse povo tao misterioso para nós. Você divide com eles um mesmo espaco onde eles se apresentam no seu dia-a-dia com vestimenta intrigante (nao é todo dia que você vê homens vestindo camisola o dia inteiro), gestos espontaneos (e abusados) dos homens e sorrisos contidos das mocas que solteiras ainda vestem cores para passear. Já os mercadores do Egito sao tao inspiradores que até compusemos uma musiquinha pra eles: “Um elefante incomoda muita gente, mas um mercador egipcio incomoda incomoda incomoda muuuuito maaaais…”. Hehehe… Com certeza quem inventou essa doce musiquinha nao tinha visitado o Egito!!! Um casal de alemaes que conhecemos definiu bem: “penetrant”. Os mercadores do egito sao penetrantes, grudentos, chatos, pegajosos, insistentes, grosseiros, desonestos e irônicos! Quer mais???? Entao vá lá e tenha certeza que conseguirá encontrar adjetivos piores!

Maaaaaasss toda regra tem sua excecao!!! Um dos mercadores é o cara mais esclarecido e inteligente que conhecemos! Entramos na banquinha do “Mohamed” (lá todos ou chamam Mohamed ou Ahmed…) para olhar alguns instrumentos musicais diferentes que estavam lá expostos. Ele foi super gentil e nao ficou nos “empurrando” nada (aleluia!). Vi que ele ficou me observando (e olha que eu caprichei pra ficar feia) e, de repente, seguiu-se o diálogo a seguir: 

Mohamed: ”Quantos camelos?” / Rodrigo: “Como assim?” / Mohamed: “Perguntei quantos camelos quer pela sua mulher.” / Rodrigo: “Quantos você ofereceria?” / Mohamed: “NO MÍNIMO (percebam a entonacao) 1 MILHAO!!!! / Rodrigo: – simplesmente pálido e sem resposta -

kkkkk…. A situacao foi inusitada, mas nao me resta dúvidas de que um egípcio sabe o valor de uma mulher!!! kkkkkk…. Esse tipo de abordagem lá é comum dos locais para com os turistas, pois acho que as pessoas antigamente usavam camelo como base de troca mesmo, por isso o Rodrigo já tinha me adiantado, antes da viagem, que se oferecessem 50 camelinhos ele até ia pensar no caso! E eu posso com isso!?!?! Enfim, ele quebrou a cara!!!! kkkkk…. Depois dessa situacao no Mercado de Assuã ele ficou agarrado em mim e me elogiando!!! Por isso mulheres, se está com problemas de relacionamento… vá aos mercados públicos do Egito!!!! Eu me senti a verdadeira Cleópatra!!! kkkk

Mas apesar deste inteligente rapaz, digo que passear no bazar seria um programa perfeito se nao fosse a maioria dos mercadores de lá que, por vezes, nos tiraram do sério. Poucas vezes encontramos preços nos produtos à venda e, quando eles davam o preco de início, este era sempre absurdo. O que significa que tínhamos que nos imbuir do espírito do menino Jesus toda vez que queríamos comprar algo (muita paciência!!). No terceiro dia já perdi o tesao de comprar qualquer coisa, mesmo que fosse uma água. Entenda que mercadores sao todos que te oferecem qualquer coisa pela qual terá que pagar, estando numa loja ou nao. O pior de todos para nós foi um dos caras que oferecem passeio de charrette. Tomamos o cuidado, nos achando muito espertos, de fechar o preço antes de subir na charrette. Fechamos em 5 L.E. (R$ 1,59) para ir do porto até o Mercado de Assuã. Durante o caminho o sujeito foi nos dizendo pra tomar muito cuidado no mercado e que nos aconselhava à ir a um tal “Bazar” que era bem melhor. Ingênuos, topamos. Chegando no Bazar, descemos e o salafrário nos cobra 10 L.E., dizendo que foi combinado 5 por cada um de nós. O Rodrigo ficou uma fera e eu tive que tentar manter o equilibrio e nao fazer o que tinha vontade: encher o safado de bolachas! Graças a Alá surgiu o dono do Bazar que falava inglês bem e ajudou a solucionar o problema, obrigando o malandro a nos dar 5 de troco. Agora, que nada nos tira da cabeça que os dois tem uma “sociedade”, ahhhh nao tira mesmo!!! Sao malandros coorporativos, no bom e no mau sentido da palavra!!! Enfim, leia mais em dicas, pois quem for pra lá vai precisar muito das dicas que estao no citado tópico e, mesmo assim, tenho certeza que passarao muito nervoso (se quiserem economizar, claro)!!! 

* Seguranca

 

Após uma série de atentados em 2005, somados ao atentado contra um ônibus de turismo em 1997, o governo egípcio pegou pesado na seguranca para o turismo. Após ler sobre esses atentados continuo achando a açao do governo muito extrema mas, sei lá, talvez eu desconheça o verdadeiro perigo relacionado à atentados terroristas. O Egito em si é muito seguro pelo que senti e pelo que já ouvi, mas infelizmente a onda de terrorismo também está chegando por lá. Sentimos o “climao” logo na nossa chegada. Desembarcamos no aeroporto de Hurghada, pernoitamos no hotel e seguimos cedinho de ônibus para Luxor, aproximadamente 300 km. Percorremos estes 300km atravessando o deserto do Saara através de uma estrada, acompanhando um comboio de aprox. 30 ônibus escoltados por carros policiais munidos de metralhadoras. Foi assustador e estressante, pois a partir daquela cena me senti num campo de guerra e desconfiava de qualquer pessoa que se aproximasse de mim. Além disso, todo o trânsito local foi bloqueado para a passagem do comboio, inclusive as vias transversais eram monitoradas por policiais armados com metralhadoras ou fuzis. Achei triste. Me senti mal de obrigar aquele povo a parar para “garantir a segurança do comboio” em detrimento à liberdade deles de ir e vir como cidadaos de direito. Ao mesmo tempo nos tornamos atraçao, pois muitos que estavam parados em suas carrocas nos cruzamentos nos acenavam como se nao fossemos reais pra eles, me senti inatingível… me senti uma pintura de um quadro qualquer…

Chegando em Luxor, no navio, também percebemos que cada navio tinha um policial armado e em todo percurso da marina também existiam muitos policiais para proteger os turistas e controlar o acesso aos navios. É uma situacao paradoxal, pois teoricamente eu, como turista, deveria ter ficado satisfeita, mas nao consigo assumir esse personagem e deixar de lado meus valores. Desculpe, mas nao consigo mesmo… Continuo achando que a solucao poderia ser mais saudável e justa para os dois lados, turistas e povo local. É assim que gostaria que fosse se o mesmo ocorresse no Brasil.  

* Higiene

 

Acredito que eles desconhecem o conceito ocidental de higiene, por isso, todo cuidado é pouco. Evitamos comer nos restaurantes populares e em hipótese nenhuma tomamos água de torneira ou água de origem duvidosa. Parece frescura, mas tratando-se de Egito, acredite, nao é!!! A prova maior sao as moscas, muito mais do que no Brasil e, assim como os mercadores, persistentes! Pode tentar todas as “Técnicas de Afastamento Moscais” que nao vai funcionar! As ruas sao muito, muito sujas. Nao raro identificamos lixos entulhados que, aparentemente, datam de quando Cleópatra foi apresentada à Marco Antonio!!! Uma vez pedimos uma cerveja com alcool (artigo de luxo no Egito) e o cara trouxe uns copos que definitivamente nao foram apresentados ao senhor detergente! Rezei, tomei e, gracas à Deus, estou aqui para contar!

Uma das provas da falta de higiene sao os paes que eles comem o dia inteiro. Estes sao estendidos sobre tábuas nas ruas e ficam lá, o dia inteiro acumulando poeira, bichos passando, maos imundas tocando, mas mesmo assim, sao cobicados e vemos vendedores os carregando pra lá e pra cá o tempo todo na mao… isso mesmo… na mao! Afff… A fome teria que apertar muito pra eu encarar… 

* Transito

Caótico! E nao há imagem que consiga transmitir o que é!!! Ou será plus-mega-hiper-caótico!?!? Carros velhos (oriundos da Rússia), carrocas, lotacao (ao invés de ônibus), ônibus de turismo (novo para estrangeiros e velho para os egipcios), motos 125 (moto de office-boy, bem piorada). Tudo isso somado à ensurdecedoras e infinitas buzinadas (nao deu tempo de cronometar o tempo entre uma e outra), inexistência de sinalizaçao funcional (sao como miragens no deserto para nós turistas, ou seja, elas nao estao lá), desrespeito à qualquer preferencial ou sentido obrigatório, etc. Segundo nosso guia, a prova para se tirar carta consiste simplesmente em pegar um carro e guiar para esquerda e depois direita. Pronto! Arma na mao! (ops…carta…). Enfim, quer emocao? Pegue um táxi no Egito! Nós nao fomos tao corajosos, mas nao tenho dúvida que deve ser inesquecível…  

* Dicas *

 

- cerveja com álcool é LUXO e a sem álcool um LIXO!!! Se a antiga civilizacao egípcia (responsável pela invençao da cerveja) ainda vivesse, estaria decepcionada com a falta de utilidade local que essa descoberta teve!!! Geralmente se encontra cerveja com álcool só nos restaurantes para turistas e nos hotéis, ou seja, só em lugares que atendem ao público turista. É compreensível, pois teriam prejuízo tentando vender para muçulmanos (hã!). Se quiser economizar, procure nos bares turísticos ao invés de comprar no hotel. Nao só cerveja, como tudo! Os hotéis e navios cobram preços europeus para qualquer mercadoria!

- ter SEMPRE dinheiro trocado e miúdo para tudo e para todos. Caso nao tenha, NUNCA dê uma nota sem ver o troco na mao do vendedor!!! Eles costumam pegar a nota e dizer que vao trocar. NAO CONFIE!!! Vá junto com ele até onde for, mas nao deixe a nota nas maos dele sem estar por perto.

- com taxistas e carroceiros, nao só combinar o preço antes, como também já pagar antes (onde se corre risco também, pois o cara pode nao te levar no lugar indicado). Se deixar pra pagar depois e o cara disser que é mais, simplesmente vire as costas e diga que se ele nao quer o combinado vai ficar sem nada… duvido que ele nao aceite o combinado!

- se estiver num pacote de viagens e for levado a uma loja por quem oferece o pacote, nao compre nada, a menos que queira pagar bem mais caro por algo que encontrará, sem dúvida, no comércio local. Os guias levam os turistas nesses locais para ganharem comissao em cima das vendas. Olhos abertos!

- nao beba água de torneira nem na hora de escovar dentes e, quando for comprar, tome cuidado olhando o aspecto da água;

- evite comer nos “botecos” populares. O que parece exótico pode ser tóxico!

- em quase todo lugar te oferecem chá de menta. Nós nao tomamos, mas todos que tomaram sobreviveram!!! Só nao espere que saia de graca…hehehe…

- mulheres evitem roupas muito chamativas, principalmente short e blusa sem manga com decote! Sei… o calor dependendo da época é insuportável, mas mesmo assim! Use tecidos leves que resolve. É um país islamico e todos sabem que existem extremistas, sendo assim, é bom nao abusar estando no meio dessa cultura. Eu cometi esse erro no primeiro dia e usei uma blusinha sem manga (mesmo após o Rô falar um monte…ihihi). Resultado: me senti a Maria Madalena antes de ser apedrejada (aliás acho que nao faltou muito pra essa parte). Muitos e muitas te olhom com aquele olhar de “sai! sai! sai!” e, decididamente, nao foi agradável.  

- homens cuidem bem de suas mulheres/namoradas/esposas/amantes/capacho!!! Nao que vá acontecer nada grave, mas o homens egípcios (alguns) sao extremamente desrespeitosos e por vezes o Rodrigo teve que pular na minha frente pra evitar que eles ficassem me “pegando”. Você estar do lado da mulher parece que nao quer dizer nada lá, por isso “a proteja” olhando sempre à sua volta pra ver se nao tem nenhuma “maozinha” se aproximando!

- os mercadores sao insistentes e todos se forman na mesma escola. Sempre te abordam enquanto voce passeia perguntando: “De onde você vem?” e ai, se você nao responde, comecam a brincar de adivinhacao: “Franca, Espanha, Alemanha, Japao, Egito…”. O que fazer??? Ignore! Isso mesmo… simplesmente ignore se nao tem interesse, pois uma hora (depois…hehehe) eles desistem e te deixam em paz. Mas se a coisa apertar seguem algumas palavrinhas básicas (além daquelas em portugues que sempre aliviam): 

OBRIGADO: shukran / NAO ENTENDO: anna mush fahim / NAO: la 

* Primeira Semana: Cruzeiro no Nilo e passeios

 

Navio dos sonhos… entediados! Gracas a Deus que o navio sempre parava pra gente fazer um passeio, caso contrário eu ia acabar pulando no rio (e morrendo intoxicada)! Quem me conhece sabe que sou hiper-super-mega-ativa e que odeio ficar em lugares com espaco limitado por muito tempo e um passeio de navio traz este incoveniente. Pra piorar era cheio de fluflu (entenda: coisas superfulas e engordantes). Tinha o lado bom: a comida e os garcons (e o Rô sempre!!!)! A comida era variada (e seguramente limpa) e os garcons fantásticos (e grudentos). Eu e o Rô eramos os queridinhos, talvez porque eramos os únicos jovens e nao-europeus do navio nos primeiros dias! Eles ficavam o tempo todo fazendo gracinha pra gente e eu me matava de rir com aquela situaçao. Tinha um que falava muito pouco ingles, entao olhava pra gente e sempre falava com entonacao de pergunta: “Futebol? Futebol?” e comecava a chutar o ar. Uma comédia! Nosso navio poderia se chamar: “Asilo Germânico Fluvial” sem a menor margem de erro! Chegando nele percebemos que seria uma longa semana a ser dividida apenas com idosos (acima dos 60) e, pior, alemaes! Sim, porque tem um monte de velhinha gente fina no Brasil, com as quais eu amaria dividir um navio, mas alemaes… só por Alá mesmo! Quando podiamos nos imaginar dividindo um cruzeiro no Nilo com um dos povos mais preconceituosos com estrangeiros como os alemaes. E pior, ter que participar de discussoes sobre os problemas que a alemanha enfrenta por causa desses invasores. No minimo interessante, nao!?

 

Enfim, voltemos ao Egito que, apesar de mais pobre que a europa, é muito mais interessante… (minha opiniao)

Nao se pode falar de Egito, sem falar do Rio Nilo, pois sem um nao existiria o outro!!! Percorremos uns 200km da longa extensao do Nilo e pudemos ver a vida no seu entorno que, aliás, é muito intensa. Boa parte da populacao habita os arredores do Nilo, pois é o único lugar fértil que o Egito possui para plantacoes, das quais a populacao depende pra viver. É uma paisagem interessante, onde se vê um rio largo (aprox. 500m de largura) ladeado por uma faixa vegetativa e, logo atrás, um imenso deserto se revela. Uma vista única que durou uma semana da viagem, mas que ficará para sempre na nossa memória…

 

Durante essa semana visitamos muitos templos, todos majestosos, mas entre eles existem poucas diferencas que justifiquem querer conhecer todos (quando se é leigo em egiptologia). Sao construçoes milenares (2500 – 3500 anos) que resistiram às intemperies e às tentativas propositais de destruiçao, principalmente pelos cristaos que consideravam as imagens como pagãs. Muitas imagens ainda possuem a cor original, que aliás é um segredo ainda nao desvendado: as tintas das antigas civilizacoes egípcias. Até hoje nao se sabe como eles produziam tintas que durassem tanto tempo e, infelizmente, nao deixaram a receita.  Em um dos templos (nao me pergunte qual) tem uma sala onde toda parede é coberta por receitas de medicamentos naturais. Achei o máximo a idéia! Estou pensando em quando voltar pro Brasil fazer isso na nossa cozinha, eliminando assim o livro de receitas e ainda podendo ficar famosa na posteridade!!!

As construcoes sao gigaaaaaaaaaantes e é impossível perceber a verdadeira magnitude através das fotos. É muito, muito grande mesmo (nao, nao me considero um referencial para dizer isso…)! Acredito que muitos que visitam esses templos ficam durante alguns minutos olhando para o alto e tentando entender como era possível realizar tal obra… Eu simplesmente fiquei babando e tentando através da minha fértil imaginacao compreender a história de uma civilizacao que, muito antes de nós, conseguiu fazer coisas praticamente impossíveis, quando considerarmos o suposto “estágio preliminar” de tecnologia e conhecimento que existia na época. Por isso, até compramos um livro que explica como foram construídos os imperios da civilizaçao egípcia, o que nos deixou mais impressionados ainda, pois, ao contrário do que alguns pregavam antigamente, nao foi nenhum E.T. que construiu as piramides! Os caras eram bons messssmo!!!

Templo de Luxor

 

É o único monumento do mundo que contém documentos das épocas faraônica, greco-romana, islâmica e até uma mesquita. Além disso, é o monumento que traz desenhado em suas paredes de 3000 anos, uma explicacao convincente para o motivo pelo qual os faraós precisavam de tantas mulheres para se sentir saciados… Olha isso “mulhegada”!!!!

 

Templo de Karnak

 

O maior dos templos do antigo Egipo que levou mais de mil anos para ser construído. As colunas deste templo sao consideradas as maiores do mundo. 

Vale dos Reis

 

Principal necrópole real do Império Novo do antigo Egito (obs.: novo aqui é aproximadamente 3000 anos…). Possui 62 túmulos dos faraós desse período e também os túmulos dos faraós Tutankamon, Ramsés IX, Seti I, Ramsés VI e o de Horemheb. Ao invés de serem colocados em pirâmides, os faraós desse período eram colocados em tumbas subterrâneas juntamente com seus tesouros e, as vezes, até com seus escravos. As tumbas sao constituidas por salas e corredores ornamentados, chegando a ter mais de 100m. A tumba mais famosa e de maior valor arqueológico é a  do Tutankhamon, que morreu jovem, sem grandes feitos, mas, por sorte, os saqueadores nao encontraram sua tumba, o que possibilitou nossa civilizacao de conhecer alguns dos objetos impressionantes que eram colocados como homenagem aos faraós.  

Vale das Rainhas

 

Neste me senti em casa! Por que será!? (hã!). Neste templo se destacam os túmulos do Príncipe Amenkhepchef, da Raínha Ti e o da Raínha Nefertari, esposa do “super” Faraó Ramses II. Este último, foi aberto ao público em 1995.  Visitamos também o templo mortuário da Raínha Hatshepshut, tendo esse um estilo único. Esta Raínha governou como um autêntico faraó sendo assim considerada a 1ª mulher chefe do Governo na História. O templo foi posteriormente alterado por Ramses II (pura inveja) e pelos seus sucessores, e mais tarde os cristãos transformaram-no num mosteiro (daí o nome Deir al-Bahri, que significa “Mosteiro do Norte”).

Templo de Kom-Ombo

 

Foi construído há mais de dois mil anos na cidade de Kom Ombo. É o único templo duplo egípcio, assim chamado por ser dedicado a duas divindades: um lado do templo é dedicado ao deus crocodilo Sobek, deus da fertilidade e criador do mundo; o outro lado é dedicado ao deus falcão Horus.

Templo Edfu

É dedicado a Horus, o Deus com Cabeça de Falcão. A sua construção foi iniciada  em 237 a.c. e concluída em 57 a.c. É o templo mais conservado do Antigo Egipto, e o segundo maior em dimensão, logo depois do templo de Karnak. A razão para que o templo esteja tão bem conservado é que este esteve totalmente aterrado pelas areias do deserto até 1860, exceto o topo da entrada principal. Na entrada do templo principal encontra-se uma magnífica estátua em mármore negro representando o Deus Hórus. Uma das principais características do templo é que praticamente todas as suas superfícies estão cobertas por esculturas e hieróglifos.

Templo Philae (Templo de Isis)

Não está mais na original ilha de Philae, a qual foi inundada pela barragem de Assuã, desde 1902 até 1960. Com a ajuda da UNESCO, e à semelhança do que se fez em Abu Simbel, todos os monumentos foram transportados para a vizinha ilha de Aglika. A maior parte das estruturas originais foram reconstruídas.  

Assuã – Obelisco inacabado e barragem

Assuã é a cidade egípcia mais a sul, e a que se parece mais com África. A zona foi local de importantes pedreiras de granito rosa, sendo mesmo as mais importantes durante a época faraônica e ainda em exploração no período romano. Aqui existe um obelisco inacabado (com 42m de comprimento e um peso estimado de 1197 toneladas) cujo talhe foi abandonado, aparentemente devido a uma fissura.  

 

Atualmente Assuã deve a sua importância à Grande Barragem, inaugurada oficialmente em 1971, a qual veio colocar um fim nas milenares cheias do Nilo e garantir uma navegabilidade permanente, aumentando também a área cultivável.  

Camelada no deserto

Claro que nao poderímos deixar de dar uma volta de camelo, o meio de transporte mais antigo daquela regiao. Nao foi uma expediçao beduína, mas percorremos aproximadamente 4 km de deserto em uns 45 minutos de camelada. Aliás, conforme a definiçao do Rodrigo, os camelos sao bichinhos simpáticos e sorridentes que, apesar de serem bem maiores que os cavalos, fazem cocô igual aos cabritos, em pelotinhas.  

Ele nao é fofo!!!?!?!?! (estou falando do camelo, mas o Rô tb!!!)

* Segunda Semana: Hurgahda ou “ILHA DA FANTASIA”

 

Hurghada é um oásis artificial em um deserto real, situado na costa do Mar Vermelho e seguido pelo Deserto do Saara nas suas costas. Lá, tudo, menos o mar e o deserto, é artificial (inclusive a pele das madames). Vem daí o apelido carinhoso que demos pra esse lugar: “Ilha da Fantasia”!!! Só faltou encontrar o Tatu lá…hehehe

Ficamos em um hotel, para os meus padroes, chiquerrerrérrimo com direito a tudo e um pouco mais! A regiao de Hurghada é o “point” dos europeus frescos que querem poder dizer que conhecem o Egito. Afff… Um complexo hoteleiro sem praias públicas, com muita seguranca e equipes poliglotas nos hoteis para atender, principalmente: ingleses, alemaes, russos e espanhois. Brasileiros lá sao raridade e vestidos com roupa de trekking em pleno “Resort”, só eu e o Rodrigo mesmo! A sorte é que tinham 3 diferentes restaurantes lá, assim podíamos variar o restaurante, sem nos preocuparmos com as roupas repetidas!

 

Como todos hotéis do complexo, o que ficamos tinha a sua prainha particular e toda estrutura necessária que vocês possam imaginar: garcons, ajudantes (que até sua toalha queriam estender), toboágua, marina, aula de Windsurf, ginastica, etc. É ou nao a ilha da fantasia!? A areia era tao mentirosa quanto eu dizer que nao vi nenhuma múmia européia fazendo top-less!!!

 

O Rodriguinho estava se sentindo o verdado “sheik das arábia”!!!

Mar Vermelho  

Como é linda a cor azul do mar vermelho!!!! Pois é, ao contrário do que possa parecer, o Mar Vermelho não tem esse nome por causa de sua cor. A mais provável origem do nome são as bactérias trichodesmium erythraeum, presentes na superfície da água. Durante sua proliferação elas deixam o mar com manchas avermelhadas em alguns lugares. Outra possibilidade são as montanhas ricas em minerais na costa arábica, apelidadas de “montanhas de rubi” por antigos viajantes da região. Mas nao ser vermelho, nao tira seu encanto e sua beleza! É um dos destinos prediletos de quem curte mergulhar, pois sua fauna e flora subaquática sao exuberantes e encantadoras. E nem é preciso mergulhar para saber disso, pois no rasinho mesmo ou fora da água já é possível ver muita coisa e até mesmo fotografar!  Consegui fotografar até um “sereio”!!!! kkkkkk  Vimos golfinhossssss!!!! Na hora estavamos voltando do passeio de barquinho e eu estava, pra variar, viajando na maré! Estava olhando para aquele mar e meditando, agradecendo a oportunidade de estar vivendo aquilo… e de repente vejo um golfinho pulando!!! Foi um presente de Deus aquela visao e por alguns segundos continuei estática pensando que estava delirando, mas nao! Eram dois ou tres golfinhos lindos!!!! Fofo demais!!! E vê-los livres na natureza é algo impagável!!! Infelizmente nao fotografamos, pois ficamos encantados demais pra lembrar disso… pena…

Deserto do Saara   

Quem lê pensa que atravessamos o deserto, passamos sede, vimos miragens…hehehe… Nao, nao fomos tao longe assim! Se tem uma coisa que somos é espertos, sendo assim ficamos sempre a alguns quilômetros de alguma fonte segura de água e civilizacao.

Fizemos o que eles chamam comicamente de “safari no deserto”, mas nem preciso dizer que nao há o menor fundamento chamar esse tipo de passeio de safari, né!? Coisa pra turista mesmo! Nunca vi safari sem animal selvagem!!! Afff…. O pior é saber que muito europeu continua acreditando que fez um safari no Egito! Apesar que tudo bem, eles também continuam acreditando que Hurgada é de verdade!!!! kkkkkk

 

Mas valeu a pena, mesmo tendo estress incluso no pacote, valeu muuuuitooo a pena!!! Atravessamos uns 40km quilômetros de jipe, conhecendo assim um pouco do interior do deserto que é simplesmente fascinante!!!! Nao, nao dá pra explicar, assim como nao se explica pra alguém que nunca viu o mar, o que é, e como é o mar… afinal, teoricamente, o mar nada mais é do que um monte de água e o deserto nada mais é do que um monte de areia e pedras! Como explicar a beleza de coisas assim???? Enfim, nao consigo mesmo…

Olhávamos pra todos os lados e só vimos pedra e areia! E apesar das condicoes severas em que se vive ali, os beduinos vivem lá e nao abrem mao disso. Conhecemos uma vila de beduinos moderninhos, os quais vivem de turismo atualmente, logo mantém “residência” fixa para poder apresentar aos turistas um pouco da sua cultura em troca de ajuda do governo.

O Egito é uma viagem para quem busca conhecimento sobre algo muito distante de nós. É preciso nao ser crítico, apenas aceitar como algo que nao podemos compreender. Apesar de ser uma cultura avessa à nossa, possui pessoas alegres, comunicativas e prestativas como qualquer brasileiro. Nao é um destino para quem procura ver apenas beleza, é um destino para quem busca, acima de tudo, conhecer um outra realidade e, assim, ampliar seus horizontes.

Foi uma viagem marcante que, nao hesito em dizer, foi uma ou a mais marcante e inesquecível que já fiz em meus quase 30 anos! Podem acreditar, após 15 dias voltei me sentindo muito diferente… nem melhor, nem pior… só sinto que o Egito mexeu comigo… (talvez eu tenha sido uma das encarnacoes da Cleópatra…kkk…) 

Enfim, pra fechar (antes que eu escreva mais mil palavras e 500 besteiras),  um entardecer faraônico!!!!

 

Para ver tooooodasss as fotos em formato de slides clique aqui!!! No formato normal clique aqui!!!

[pinit count="vertical"]

40 Comentários para "Egito: Historia,Deserto e Mar"

  1. Lu disse:

    Eu simplesmente ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii este post, vc foi num dos lugares do meu sonho, outro é a Grécia :)
    Muito legal mesmo!
    bj

  2. Pit disse:

    Olá, brasilianos….

    Maira, Por incrível que pareça , adoro ler seus posts…….

    Parabéns,,,

    beijos, Pit

  3. Juana disse:

    salamaleco, kefa ral!
    Maira e Rodrigo amei, viajei com vocês neste relato, continuem viajando, relatando, contando tudo, assim não gasto mais fico por aqui aguardando vocês…
    Beijos

  4. mamis disse:

    Que saudade de vc…Como ja havia dito,a viagem foi total.Amei ler td isso,com a certeza de que esta do mesmo jeito que tantas vezes li a respeito.As imagens forte..muito.A imagem do rio Nilo tocou meu coraçao de uma forma intrigante e feliz.Como se a saudade morasse ali.
    Ro ta lindo..achei até que era a propria encarnaçao de Marco antonio.
    Beijus meus amores.

  5. Glau disse:

    Fala viajantes do Egito!!!

    Maira, parabéns!!!! Lindo lindo o relato…
    Adorei a parte de 1 milhão de camelos!!! Hilário!!!
    Aproveitem esta oportunidade de conhecer vários lugares… e continue contando, pq eu leio tudo.

    Super bjuuu

    PS: Espero por vcs aqui no Brasil!!!!

  6. Yara disse:

    Mt show!!!! As imagens são dignas de serem premiadas!!! rsrsrs…. Parabéns ao casal mais viajante q conheço, parecem q estão em eterna lua-de-mel!!!!
    Maira, qto ao texto, no coments….It’s wonderful!!!!!Vc já sabe a minha opinião sobre sua arte de escrever.
    Beijos aos dois!!! Continuem curtindo mt + em 2008!!!!!

  7. Tuca disse:

    Maira e Ro, infelizmente não nos conhecemos pessoalmente, fiquei sabendo de sua viagem pela Juana. Fiz uma viagem semelhante há 10 anos, e foi fascinante ler seu depoimento, pois pude reviver tudo novamente. Felicidades.

  8. Iviaah disse:

    PriminhaaaaáH…haha achei “sua página na net” rsrs.!
    Saudades mocinha vê se para umpouquinho por aqui ta…

    Beijinhos da preta da familiaaaáH..!!
    =Pp

  9. Bruna Garcia disse:

    Nossaaaa eu aqui procurando “respostas” para um trabalho e encontrei uma historia de viagem mtooooo linda. Obrigada por nos proporcionar essa viagem ate o Egito, sempre tive curiosidade a respeito e agora tive a opostunidade de conhecer mais de perto. O texto ficou maravilhoso tmb e as fotos entao divinas. Espero poder compartilhar com voces mais experiencias. Eu já estive na Espanha, Madrid, se quiserem alguma dica eh so mandar um e-mail, ficarei feliz em ajudar.
    Se nao for dmais posso pedir uma coisa? se voces tiverem alguma musica de la podem me passar? obrigada.
    Abraços.

  10. ana disse:

    gostei muito do vosso trabalho continuem assim estam indo num bom trabalho

  11. edna disse:

    salam aleikum……MININA!!!!!…..RI DE XIXÁ ..CAI DA CADEIRA ..E TODA HORA IA AO QUARTO PRA DIZER PRO MEU FILHO SEUS RELATOS ..TIPO LIXO ,DATADO DOS TEMPOS DE CLEOPATRA QUANDO APRESENTADA A MARCO ANTONIO..MININA!!!!!..RI MUITO ..VC É DEMAISSSSSSSSS…LINDA TOO…RAPAZ..VC TAMBÉM É 10…ESSA CELEBRAÇÃO DA VIDA..VC EXPÕE COMO NUNCA TINHA LIDO ANTES..RESUMO ..*É DEUS NA GENTE*…SEJAM ETERNOS …MEU CARINHO DESDE DE S.J.DO RIO PRETO

  12. Cesar disse:

    Meus parabens amigo.
    Tenho feito um trabalho de pesquisa a respeito do Egito. Neste trabalho tenho que abordar fatores históricos, geograficos, turisticos, além de fatores psicossociais.
    Acredite, sua pagina será uma das pricipais fontes para minha pesquisa. Em toda minha pesquisa ainda não havia achado um texto tão completo. Rico em detalhes porém conciso e divertido.
    Meus parabens e um muito obrigado!

  13. Adorei seu relato. Estou pensando em ir para o Egito no fnal do ano, e fiquei inspirada pela sua viagem.

  14. Karaka menina, hahahahaha eu simplesmente adooooorei seus textos….
    vc escreve como se estivesse contando-nos pessoalmente a história… adoro!
    Olha, eu estava procurando informações sobre o Egito e lendo e lendo e lendo suas experiências pelo Egito dei altas gargalhadas…. vc é divertidíssima. Parabéns! Conseguiu nos dar uma idéia generosa de como é o Egito, este lugar fascinante e tão rico em história. EU AMO ESTE PAÍS!
    Bjos, felicidades!

  15. Retornei anteontem do Egito e parabenizo vcs pela fiel descrição que fazem daquele País. Passei exatamente por onde relatam. Acrescento que de Aswan partem vôos( 40 minutos )para Abu Simbel por 150 euros por duas horas de visita sem refeição incluida, com trajeto de ida e volta no máximo 6 horas, um corre-corre absurdo, uma exploração revoltante, uma operação caça-níquel, em meio um calor escaldante sob forte sol. O transporte terrestre ida e volta( 6 horas ) cobram 95 euros e nas mesmas condições do aéreo para ver apenas aquelas estátuas gigantescas que foram deslocadas para o sopé das montanhas às margens da represa ou lago Gama Abdel Nasser, cuja história todos sabem. O turismo cobra preços absurdos em tudo e os opcionais nem se fala. Mas, o Egito vive do turismo que é sua segunda fonte de renda após o Canal de Suez. Abraços.03/10/2008.

  16. Maira disse:

    Oi José! Obrigada pelos elogios e pelas informacoes adicionais. É sempre bom ter alguém pra enriquecer tudo que relato por aqui. Valeu!

  17. patrícia disse:

    olá adorei ler sua postagem!!!

    tem lugares muito lindos no egito…

    bjs

    • Maira disse:

      Oi Patricia,
      q bom q gostou! O Egito é maravilhoso e indico 100%! Mas talvez nao agora, pois os atentados terroristas estao ficando um tanto frequentes na regiao. Bjs!

  18. tamarisssss disse:

    eu amei
    agora fiquei com vontáde de ir

    fiqueei chupando dedo

    hahafaffahfaafaahahahahaahha

    BRINCADEIIIIIIIIIIIIRAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    GOSTEI DAS FOTOS

    QUANDO FOR LA DE NOVO TRAS MAS FOTOS

    BJOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

  19. Rytta Peruna disse:

    Não respondeiram o que eu pedi, eu pedi Porque os povos do deserto usam roupas longas de várias pessas e eles responderam “”fouclore”’

  20. Rodrigo disse:

    Ola muito bom o post de vcs parabens. Atualmente vivo com minha esposa em Dublin – Irlanda, e iremos passar 10 dias de ferias no Egito em Agosto proximo.
    Gostaria de algumas info., vale a pena pegar um pacote, com roteiros e hoteis incluso, ou compensa pegar somente o voo e andar la por conta, o que vcs indicam? Estamos pensando em pegar o voo Dublin-Cairo, a na volta Argadha-Dublin. (nao sei se tem direto de Argadha ou tem que passar por Cairo)Quanto vcs gastaram mais ou menos? Os hoteis e passeios sao baratos?

    Um abraco.

  21. Paula Freire disse:

    Ameiii, fabulosooo, o Egito é minha essência!!! :)

  22. Jo disse:

    Maira,
    Adorei a forma como voce descreveu tudo, ficou dinâmico e interessante. Pretendo fazer o Egito em 2010 e gostaria de algumas informações. Pode ser?
    . Voce fez por conta própria ou com agência?
    . Acha possível ir por conta própria e contratar agências para passeios específicos em cada local?
    . Segurança: 2 mulheres sozinhas….. dá prá encarar?
    obrigada,
    um abraço
    Jocely

  23. Maira disse:

    Olá Jocely,

    em referênia as suas perguntas no blog retratos e relatos sobre a viagem ao Egito:

    Compramos um pacote através da internet que incluia voo (de Stuttgart), hospedagem e translados. Lá no Egito compramos um adicional do pacote que incluía translado e entrada para um monte de museus e passeios. Os operadores de turismo tem uma estrutura bem grande lá.

    Acho que é possível fazer a viagem sozinho, principalmente se você pretende visitar as maiores cidades (Cairo, Assuan, Luxor ou Hurghada). Para isso, acho importante ter um bom desprendimento, pois a estrutura do país nao é muito boa (transporte público, informaçoes). Enfim, precisa ter um bom espírito de mochileiro.

    Quando estávamos em Hurghada, fomos ao centro da cidade e contratamos passeios por conta própria. Os comerciantes sao estranhos (grudentos, malandros, sei lá), mas nao tivemos problemas. A maioria dos hotéis também vende esses passeios, mas o preço chega a ser mais que o dobro do que é cobrado se você for diretamente ao escritório das agências na cidade.

    Segurança, nao sei… Nao sei se é paranóia, mas pra todo lado tem gente do exército armada com fuzis (principalmente nas rotas e lugares turísticos). Acho que o governo tenta controlar a questao da segurança ao turista uma vez que isso é muito importante para a economia do País. Ouvi dizer que, de vez em quando, uns extremistas islamicos fazem atentados contra turistas para atingir o governo. Andamos sozinhos em Hurghada, Assuan e Luxor, mas estivemos somente em lugares bem movimentados (calçadoes, mercados, etc…). Achamos melhor nao abusar da sorte.

    Pelo que ví, a grande maioria dos turistas anda em grupos (pacotes) mas, com cautela, acho que dá pra encarar um mochilao também. Vale lembrar que o Egito é um País muçulmano, por isso acho conveniente evitar blusinhas, bermudas e saias…

    Enfim, acho que pra fazer uma viagem dessas sozinho é importante ter muito planejamento, informaçao e bastante desprendimento.

    Abracos, Rodrigo (marido da Maira)

  24. André disse:

    OI ..GOSTAVA KE ME AJUDASSE EM RELAÃÇO AS VACINAS..VC TOMOU ALGUMA? COM KE ANTECEDÊNCIA??

  25. Kezia disse:

    Adorei…viajei c vcs….Amei!

  26. JOICE disse:

    adorei conhecer estes lugares pelos angulos de vcs bjus e continuem

  27. JOICE disse:

    adorei viajar neste site e conhecer o egito que faz parte do meu sonho so faltou as partes das piramides

  28. Alice disse:

    Ameeei o post! Sempre quis ir para o Egito *-*

  29. Renatinha Oliveira disse:

    adorei seus postes! queria ter ouvido mas sobre os camelos. beijao

  30. Lucy disse:

    Caramba.. quando entrei pensei que esse post era gigante e, consequentemente, sem-graça (ô mania de julgar antes de conhecer!). Mas eu simplismente a-d-o-r-e-i, e me senti na viagem também :)
    Além disso, adorei a cantada do mercador kkkkkkk :D

  31. gabriel valentim l. disse:

    numca vi nada imgual

  32. jaine disse:

    precisei de uma pesquisa de aula sobre o egito aqui encontrei td oq preciso!
    beijos

  33. Maira disse:

    @Viga: thks Viga! It´s a great pleasure for me to have your visit here! I´ll take a look on your website as well. :-D

  34. Elizabeth disse:

    Lindo Lindo, perfeito
    a viagem dos meus sonhos um dia com certeza farei.
    :razz:
    Bom Ano Novo.

  35. muito legal mais uma percunta o egito que vcs foram e o mesmo que as praga que deus mandou para farao?

  36. luana disse:

    :lol: muuito legal amei flor ‘-’

  37. Isabela disse:

    Nossa gostei muito das fots e dos posts , que experiência hein ?
    Tomara que vcs posam viajar o MUNDO INTEIRO , mostrando para gente mais coisas e tendo muitas mais experiências , Beijos !
    Contato : http://www.meuhumooor.tumblr.com e http://www.danicloverfasblogger.blogspot.com
    :grin:

  38. Valdênia disse:

    Oi maira,

    Parabénssss…. vc contou sua viagem de uma maneira maravilhosa.

    Bjs.

  39. Valdênia disse:

    Oi maira,

    Parabénssss…. você contou sua viagem de uma maneira maravilhosa.O Egito é um lugar diferente e lindo.

    Bjs.

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório