Idioma

Heimatsehnsucht – Saudades da pátria

solo

“Heimatsehnsucht” ou “Heimatweh” foi uma das primeiras palavras em alemão que aprendi, pois era o que eu mais dizia quando me perguntavam em alemão sobre meus sentimentos aqui.

Essa palavra literalmente significa “saudades da pátria” ou “saudades de casa”, mas emocionalmente ela significa muito mais do que se pode traduzir.

Ontem passamos a tarde toda com um grupo de alemães mais velhos e minha amiga japonesa (casada com um alemao). Foi uma tarde agradável, afinal estávamos ali para aprender a fazer a legítima comida japonesa. Todas as 9 pessoas que ali estavam já moraram um dia em outro país e todas falaram um pouco sobre essa experiência, tentando, de alguma forma, me incentivar. Mas, de fato, só uma coisa ficou clara pra mim: não importa para qual país você se mude, os problemas e as conquistas são essencialmente as mesmas.

Conheço muitas pessoas que se mudaram para outros países e que dividem das mesmas opiniões sobre  a experiência. Digo isso, pois quando cheguei na Alemanha eu achava que o problema era a Alemanha, mas não é. E também não é um problema, é apenas uma experiência difícil para alguns, cujas raízes são muito presas à terra natal. Isso mesmo. Essa é a minha desvantagem nessa situação específica: ser brasileira demais. E quer saber? Me sinto cada dia mais brasileira. Sim, sou teimosa. (((-:

Mas também existem outros fatores a serem considerados. Penso que a minha situação também dificulta o “desapego”, pois não estou aqui para algo concreto que me possibilite uma certa integração com a cultura ou que me ocupe a mente durante, no mínimo, 8 horas por dia. Desde que cheguei estou fazendo meu caminho dia após dia. Um caminho difícil, pois não vim com vínculo estudantil e muito menos permissão de trabalho. Na verdade estou tentando incansavelmente penetrar na cultura deles por outros meios, mas é uma tarefa que me tira as forças periodicamente. Ontem foi um dos dias que sai daquela reunião germânica sem forças. Só queria ir pra casa, só queria ir pro Brasil.

Sai de lá cansada, pois preciso me esforçar muito para entender tudo que falam e também preciso me esforçar em dobro para me mostrar interessada em conversas que são muitas vezes chatas. Mas a pior parte é o esforço que preciso fazer para me conter, para não ofender, para não “chutar o pau da barraca”. Sim, porque às vezes é o que tenho vontade de fazer. Existem muitos integrantes de países desenvolvidos que são preconceituosos com países em desenvolvimento. Fazem declarações sem perceber que são declarações preconceituosas e que podem nos agredir com tais. Mas “isso” são eles. É cultural. É imbecil, mas é cultural. Não há muito o que fazer, mas eu sou sincera e também não se tem muito a fazer contra isso. (((-: Hoje em dia estou mais controlada, ou seja, filtro o que dizer e quando vale a pena ser dito. Mas dói. Dói quando eu bato de frente com as barreiras culturais e não posso gritar de dor. Aliás, posso. Mas é ignorância minha se eu fizer isso, pois eles não vão mudar só pra me agradar. Eles cresceram numa cultura que diz que os negros são preguiçosos e que quem nasce em países com riquezas naturais não precisa ser inteligente e nem se esforçar pra ser, afinal Deus deu tudo de mão bejada.

É exatamente em momentos como este que entendo o conceito de fronteiras. A tecnologia pode reduzir distâncias entre fronteiras geográficas, mas nada é capaz de aproximar fronteiras sociais e culturais. Nada. Elas existem e só quem se propõe a sair do seu “meio” é que sente que elas existem. E, pra isso, não é preciso sair do país não. Basta sair do seu estado de origem e onde viveu toda a sua infância e adolescência. Você chega e logo percebe que ali não é o ”seu lugar”.

Todos os dias sinto isso. Todos os dia penso nisso. Todos os dias luto contra esse sentimento. Todos os dias me digo: “aqui não e seu lugar, mas é o lugar onde você precisa ficar por enquanto”. E ai sigo em frente. E sei que é possível fazer de qualquer lugar sua casa, mas é preciso não ter nenhuma pré-disposição e, mais, é preciso ter uma certa afinidade com o povo e cultura local. É ai que eu me ferrei, pois a única ligação que tenho com a Alemanha é o sobrenome! (((-:

“Heimatsehnsucht”… significa sentir falta de coisas simples que só se tem quando está no seu país e com sua gente. Nada substitui esses momentos.

Sinto falta da cerveja com os amigos, sinto falta de brincar com minha sobrinha (com a qual mal tive contato desde que nasceu), sinto falta de poder consolar minha irmã mais nova (pois fiquei sabendo que o RBD se separou), sinto falta de poder abraçar minha irmã mais velha pelo seu novo emprego, sinto falta de comemorar com minha mãe suas novas conquistas, sinto falta de brincar com a Fubeca (nosso labrador), sinto falta de comer a esfiha da minha vó paterna, sinto falta de ver meu pai roncando enquanto “assisti” o Jornal Nacional, sinto falta do café-com-leite que só existe na casa dos meus avós maternos, etc. Isso é pra mim hoje sentir “saudades de casa”.

Sim, eu sei de todas as vantagens que essa experiência nos traz e vai nos trazer no futuro. Sei e agradeço todos os dias pela oportunidade. Sei que para grandes conquistas, grandes desafios e grandes perdas são necessários. Sei que poder viajar é uma benção, pois é só atravessando fronteiras que se percebe como o mundo é gigante e perfeito. Sei que conhecer pessoas de culturas diferentes é mágico, pois quebra todos seus pré-conceitos e fantasias criadas pela ignorância e arrogância da sociedade.

Mas o que EU SEI MESMO é que a melhor viagem que existe é aquela que nos leva pra casa. Aquela que me leva para o Brasil. Aquela que me leva pra minha pátria amada. Aquela que me leva pra vocês.

Saudades.

[pinit count="vertical"]

15 Comentários para "Heimatsehnsucht – Saudades da pátria"

  1. Juana disse:

    Nossa quantos sentimentos envolvidos! Eu também falo quero ir para casa, para minha casa, lá em Sullana, onde cada canto me viu feliz, cada canto ainda escuta o eco da minha risada infantil, a cidade pequena onde todos nos conhecemos, ainda sinto o Sol, o calor da linha do Ecuador, aquele calor que você sintiu na África, ainda o sinto arder na minha pele…Porém saí cedo do Perú (com 16 anos) e fiz outras raízes, minha juventude na Europa e a maturidade aqui no Brasil, e cada vez que viajo para matar a saudade da infância, sinto saudade desta minha casa, de São Paulo, do Brasil…
    Por tudo isso, pelos sentimentos que temos hoje, foi bom conhecer outros lugares, viajar, conhecer outros hábitos, outras pessoas e pessoas totalmente opostas a nós, entendo o que está passando com você, a saudade, que tal vez se estarias aqui seria tudo monotono, não enxergarias, nem sentirias essa saudade até da coisa mais boba, agora você esta madura com os teus sentimentos, com a tua família, com os teus amigos.
    Eis porque saí da Europa, muito preconceito, sempre, sempre está presente, e quando queremos colocar nossas idéias, somos ignorantes, pela falta de cultura em comparação da deles que não conseguimos acompanhar, já tive momentos assim também, até o simples porteiro do prédio onde morava na Russia tinha preconceito conosco, eramos jovens acabavamos em insultos fortes e olha era a Russia comunista…
    Aqui no Brasil graças a Deus vivo bem, o sotaque do castelhano me faz voltar as minhas raízes, as veces a imaturidade de algum adolescente na escola joga palavras preconceituosas, magoam, penso é preguiçoso, não quer estudar, nem aprender, e vamos indo…
    Beijos, se cuida

  2. nirleni disse:

    CONSIDERE ISTO
    “A história tem demosntrado que os mais notáveis vencedores normalmente encontraram obstáculos dolorosos antes de triunfarem.
    venceram porque se negaram a serem desencorajados ..”
    (B.C.Forbes)

    A distancia fisíca e grande, e isso nao podemos mudar,Mas se parar, para pensar…e enxugar suas lagrimas de saudades,verá que…Seu crescimento é maior que td isso.
    Todo guerreiro ja chorou um dia!
    Todo guerreiro ja sentiu saudades de casa enquanto lutava por suas verdades.
    Pq mesmo sendo um guerreiro e treinado para isso, atrás de seu escudo existe um coraçao uma historia real de vida,existe uma fonte de raiz que nao foi cortada.
    Deixou fincada em terras brasileiras sua origem..seus amores,um pedaço do seu coraçao esta aqui,ainda pulsa em vc nosso sangue latino,forte com gritos contidos.
    Sabe o que incomoda o resto do mundo…
    E saber que inventam mil maquinas..projetos ousados..coisas absurdas e futuristas…
    E nos somos felizes, com agua, terra e sol..tres elementos basicos para sermos o povo mais feliz do planeta..onde td se plantando vira samba!!! regado a cerveja.
    Sua casa é aqui..td ainda espera por você criança..E colo de mamae também.(rs)Chora nao!!!Amamos você e temos um orgulho enorme, de suas conquistas e vitorias…
    Nunca seremos como o resto do mundo..nunca
    E você levou o amor por seu povo junto na alma, ai nao tem jeito de mudar…Sempre foi brasileirissima…Esta e sua luta mostrar quem é o povo do qual você descende e defende!
    Beijos filhota..
    Te amo pelo que você é!

  3. Vanessa Ishikawa disse:

    Amiga,

    Saudades é uma das mais profundas dores, mas aonde você estiver, saiba que sua família e seu amigos, te amam e sempre estarão contigo pro que der e vier! Estaremos de braços, coração e casas abertos pra te receber.

    Beijos

  4. Generoso disse:

    Essas experiências é que fazem a gente valorizar o que temos de mais valor familia, amigos, etc e nos certificarmos cada vez mais que apesar de tudo ser brasileiro é a melhor coisa de mundo !!!!!!!!!!!!
    Aguenta firme ma, estou torcendo por vcs.

  5. Maira disse:

    Juanita…. acho q vc é q tem q escrever um livro, pois tenho certeza q suas experiências vao ensinar muita coisa pra muita gente! É sério!
    Bjs e obrigada pelo carinho e pelos ensinamentos!

  6. Maira disse:

    Mamis…. o q te dizer…!?!?!? Q te amo e q suas palavras me confortam!?!?! Isso vc sabe, né!? Estou bem mamis, mas a saudade às vezes é mais forte do q meus ideias… mas passa… Ó… já passou! (((-: T.Amú!

  7. Maira disse:

    Aê Generoso!!!!! Bom saber q tb está na torcida, pois sei q vc sabe melhor do q ninguém o q é superacao, né!? Sempre lembro de vc e do período difícil q passou e fico feliz de lembrar q hoje, após muitos obstáculos, está retomando seu caminho e brilhando como um bom leonino deve brilhar! Saudades seu maloqueiro!!! (((-: Tô firme! Q nem uma gelatina… hehehe… Nada… Tô firme mesmo, mas de vez em qdo eu dou uma “humanizada” e ai já viu… é drama pra todo lado! (((-:

  8. Ligia disse:

    Oi!

    Já vi que você melhorou.. Acho que faz parte do processo. O importante é superar “os baixos” com os vários “altos” que você vem acumulando.

    Vá em frente !!! Continue contando com a nossa torcida e o nosso carinho.

    Um grande beijo

  9. Alessandra disse:

    Oi, Má!

    Sempre penso em vc e me pergunto: Como será que ela (vc) está…
    Sei que hoje vc está melhor do que foi ontem, e amanhã estará melhor do que hoje. Pq vc é uma mulher muuuuito forte, guerreira e determinada. Sei que desistir não existe no seu dicionário, e é por isso que sempre falo de vc como exemplo para as pessoas.
    Fique firme, confiante. Vc pode muito mais do que imagina, e vc bem sabe disso.
    Falta pouco para nos visitar e matar as saudades…

    UM BEIJÃO COM MUITA ENERGIA POSITIVA.
    FIQUEM COM AS BENÇÃOS DIVINA.
    ALÊ

  10. Marcio Engelmann disse:

    Saudade! faz parte de qualquer processo de desenvolvimento pessoal.Por vezes, tão perto sentimos Saudade, por outras vezes tão distantes também sentimos Saudade e se existe um oceano nos separando, mano aí é que pinta a Saudade.
    ??? Como se escreve Saudade no idioma germânico.

    Beijos mir.

  11. Glau disse:

    Oi Flor! Seja forte, tudo isso é experiencia… e isso vc está adquirindo de sobra!!!!
    Torço d+ por vcs ai!

    E quando vcs chegam para as festas de final de ano? Mantenha a gente informada, pra fazer aquela zueira!!!!!!

    bjuuuu

  12. Sandra disse:

    Oi! Primeiramente parabéns por ter passado no teste de alemao. Vc está bem pertinho do seu objetivo. Portanto: nao se desanime ao chegar tao próximo dele! Segundo: vc mesma escreveu no texto sobre o Quenia que “Deus é perfeito. Acreditem. TUDO tem um por quê”. :-) Acredite nisso e invista o tempo que Ele te deu de presente no exterior. Nem todos aqui sao preconceituosos. Algumas vezes nós mesmos criamos barreiras para com as pessoas, por imaginarmos o que eles devem estar pensando sobre nós. Outras vezes há preconceito mesmo, eu sei. Neste caso me afasto dessas pessoas, pois meu tempo é precioso. Já conheci pessoas fantásticas aqui, mas o certo é que tem que ter muuuuuuuiiiiita paciencia mesmo, pois amizade com alemao se faz aos poucos. Forca! Um beijo, Sandra

  13. Silas disse:

    Porque vc roubou as minhas palavras pra escrever esse texto??….
    Faco as suas, as minhas palavras!…, ou melhor, faco as minhas as suas!!rs!…, vc entendeu!!

  14. Maira disse:

    Pessoal obrigada pelo apoio! Mais uma vez foram decisivos para me fazer sacodir a neve e dar a volta por cima! Obrigadúúúú! AMO VCS!!!

  15. Maira disse:

    Sandra, adorei seu recadinho, principalmente porq vem de alguém q tem bem mais experiência aqui do q eu, né!? Concordo com vc 100%, afinal tb conheci alemaes maravilhosos por aqui… maaaas vamos combinar: ô povo difícil! ((((-: Agora estou melhor e pronta pra continuar batendo de frente com os naos germânicos. Eles deram um azar, pois sou teimosa pra burro e as barreiras q eles me apresentam só servem pra fazer eu pular mais alto. Enfim… sempre avante!!! Mas obrigada mesmo pelo apoio!!! Bjs! Má.

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório