Veneza

ITÁLIA – Veneza

Veneza é uma cidade fantástica e extremamente particular. Sendo assim, nao poderia deixar o continente europeu, sem antes dar uma passadinha por lá, afinal é algo realmente singular e que merece ser visitada pelo menos em um dia. Aliás, pra ser mais sincera, dá até pra fazer isso em algumas horas.

Essa ilha é, apesar de realmente encantadora, muito pequena (porém maior do que eu imaginava) e fácil de ser “desbravada”. Fácil por causa do tamanho, mas nao levando em consideracao seu território, repleto de vielas escondidas e aprox. 400 pontes espalhadas pela cidade. É uma cidade perfeita para turistas como eu, que adoram se perder sem ligar para mapas ou rotas “lógicas”. Tá, na verdade isso é mais uma falta de aptidao pra coisa do que opcao.

Enfim, Veneza é um deste lugares que a bússola pode até te atrapalhar, pois em alguns momentos você realmente deixa de acreditar que dentro de Veneza essas coisas funcionem. O negócio é se perder mesmo, pois ali da água ninguém passa. E, acredite, é nos becos mais escondidos onde irá descobrir o que Veneza tem de mais particular. Isso mesmo, fuja das vias comuns ou simplesmente nao se limite à elas.

Veneza está situada na região nordeste da Itália, na região do Vêneto, sendo banhada pelo mar Adriático. Foi construída sobre várias ilhas e  tornou-se  uma potência comercial a partir do séc.X, no qual sua frota já era uma das maiores da Europa e  servia de  intercâmbio comercial e cultural com o Oriente. O historiador Fernand Braudel classificou-a como a primeira capital econômica do Capitalismo. Entre 1140 e 1160, a cidade se tornou uma república e, em 1797, foi tomada por Napoleão. Em 1866, a cidade foi anexada ao reino da Itália.

Nao diria que é uma cidade bonita, apesar de ter sim suas belezas. Também nao diria que é romântica como todos adoram relatar, afinal nao fui pra lá de lua-de-mel e nem sou mais assim taaaao romântica. Sim, acho que o romantismo nao está em nenhum lugar, mas sim nos momentos e na cabeca das pessoas e é usado muitas vezes como forma de vender um sonho. Pelo visto tem funcionado, afinal as pessoas continuam relacionando romantismo à lugares específicos no mundo, mas se foi à Veneza e nao viu nenhum romantismo, fique tranquilo, você é normal como eu. Bom, pelo menos pensar assim me conforta. :-D

Veneza pra mim é uma cidade encantadora pela sua singularidade. Uma cidade que marca porque tem uma identidade forte e única. Veneza é inesquecível e incomparável, entao se foi à alguma cidade denominada “Veneza do Norte”, “Veneza do Oeste”, “Veneza do Padississímo”, esqueca. Nao existe nada igual e nem parecido com Veneza. Repito, Veneza é singularmente única e sim, isso é um pleonasmo proposital.

O coração histórico da cidade está dividido em seis partes, o que faz com que aos bairros sejam chamados de sestieri (sextos). Cada um deles tem um ambiente sutilmente diferente. Além dos seis sestieri há ilhas mais pequenas, também com ambientes muito próprios.

Chegamos à ilha de carro, deixando este estacionado fora desta em um dos vários estacionamentos que existem na entrada da cidade. A viagem de Stuttgart (Alemanha) até lá foi simplesmente linda. No caminho você reconhece claramente quando sai da Alemanha e entra na Itália, principalmente por causa dos vinhedos que cobrem quilômetros e quilômetros de terra beirando a estrada. Pernoitamos na Croácia, nossa próxima parada, o que ficou digamos bem mais barato do que procurar hotel em Veneza.

Maaaas voltando ao caminho até Veneza. Passando os vinhedos, é hora de atravessar a ponte para o sonho de muitos turistas: Veneza. Nessa hora já dá um friozinho na barriga, pois de tanto que falam de lá sua cabeca fica inevitavelmente cheia de expectativas sobre algo que nas fotos dá impressao de ser uma vila aquática que simplesmente parou no tempo.

Mas no meio da travessia da ponte, já vendo a ilha um pouco por cima entende que parar no tempo pode até ser, mas Veneza é muito maior do que eu imaginava.

Logo que entramos na parte central, onde encontram-se as grandes atracoes da cidade, fiquei completamente eufórica e sem direcao. Eu queria tirar foto de tudo, queria ver todas as vielas, queria entender como tudo ali funciona, queria desvendar Veneza com uma velocidade que só mesmo o Rô pra me fazer parar pra pelo menos respirar. Sim, estava completamente descontrolada!

 .

TRANSPORTE FLUVIAL

A primeira coisa que me chamou a atencao foi o sistema de transporte fluvial que rola na ilha, afinal transporte terrestre é estritamente proibido por motivos óbvios. Esse tipo de transporte é o tipo de coisa que só vi em Veneza até hoje, pelo menos quando falamos de dimensao e diversidade. Os caras tem barcos que funcionam como ônibus, ou seja, vao e voltam lotados, tem horário fixo de saída, tem um custo “normal” e tem até “ponto de barco”.

Mas se estiver com pressa ou se quiser mais conforto pode optar pelo “Taxi Boat”. Isso mesmo! Um taxi marítimo!

Fora isso, acho que só nao vi mesmo foi “Bike Boat” ou pedalinho, mas vendo a intensidade do tráfego por lá dá pra entender que poderia ser bem perigoso dar umas pedaladas no pedaco. Sim, tinha hora que eu tinha certeza que os barcos iam bater com as dezenas de gôndolas que circulam por lá todo santo dia.

Ah! As Gôndolas! As sonhadas Gôndolas… Quando as vi tive certeza que nao existe nada mais “Veneza” que elas e seus gondoleiros, nem mesmo as máscaras de carnaval. Olhando para elas, você realmente tem a impressao de que está sonhando, pois elas tem sim algo enigmático que só fica mais forte quando você finalmente está lá frente à frente com elas. Só que esse “feitico” que elas exercem só funciona em Veneza, pois tentei imaginar uma Gôndola no Lago do Ibirapuera e em outros lagos do Brasil e, sinceramente, nunca será uma Gôndola. Sim, minha imaginacao é uma coisa muuuuito fértil… :-D

O mais estranho foi quando eu descobri a origem destas Gôndolas, ou seja, sua finalidade original dentro da história de Veneza. Até onde andei me informando, as Gôndolas eram utilizadas em rituais de sepultamento e também por famílias abastadas, sendo que os “modelos” eram diferenciados. Dá pra acreditar o que o marketing faz? Transforma a imagem de morte em amor e todo mundo acredita (rs). Hoje elas sao pouco utilizadas pelos locais, sua principal utilizacao pelos locais é em protestos. Já foram muitos, sendo que dentre eles tiveram os protestos contra o tráfego absurdo em Veneza, contra leis que aplicam restricoes aos horários de circulacao das gôndolas por causa das ondulações que podem prejudicar os alicerces dos edifícios e por ai vai. Um dos últimos protestos foi o chamado ”Sepultamento de Veneza”, onde os moradores pedem atencao para o despovoamento da cidade e pedem para as pessoas irem morar lá. Pois é, nem tudo é tao romântico quanto parece.

Mas, sem dúvida, as gôndolas sao objetos lindos de olhar, de fotografar, de seguir…. mas pagar é só pra quem realmente tá podendo ou tá querendo. Tem várias modalidades e dependendo da época pode pegar umas pechinchas. Até onde ouvi, se quiser só para você e seu “amado(a)” com música ao vivo fica por volta de 120 euros, mas sem música rolas un 80 euros e já ouvi até sobre uns 60 euros. Ai é “up to you”. Eu falei pro Rô antes de chegar lá que nao saia de Veneza sem andar na tal Gôndola, mas chegando lá vi que o legal mesmo era tirar fotos dela com a cidade ao fundo e que pagar, pra mim, nao valia assim tanto a pena. Mas é lógico que fico feliz que exista quem pague, pois senao de quem eu iria tirar fotos? :-D

.

COMÉRCIO NA ILHA

Exagerado. Sim, considerando a relacao turistas vs. espaco físico para trânsito é um comércio em volume exagerado. Em alguns lugares era impossível passar sem ser esbarrando o caminho todo no resto da galera. Um comércio de rua tipo “camelódromo” mesmo, com artigos nitidamente falsificados que nao precisavam ser vendidos ali, mas o comércio vai aonde o povo está e se nao há controle eles dominam tudo mesmo. Aliás, percebi que ali realmente nao tem controle nenhum e acho isso muito triste, considerando que é um dos lugares turistícos mais visitados do mundo.

Para comprar sua tao sonhada “máscara veneziana”, pesquise muito e nao estou falando só de preco. A qualidade também é importante e principalmente assegure-se de que está comprando um artigo fabricado em Veneza, pois atrás de uma máscara de Veneza pode estar escondido estrategicamente um chinês. :-D

.

ARTISTAS VENEZIANOS

Está em Veneza, está na Europa, está no berco da arte. Isso significa que irá encontrar muitos artistas pintando o sete perdidos no meio das vielas de Veneza. Outros vao além das telas e nos encantam com encenacoes completamente espontâneas, já outros nos impressionam mais ainda por conseguirem tocar direitinho mesmo depois de ter tomado uns 2 galoes de vinho.

Mas a arte nao está só na cidade de Veneza, está também na ponte que liga esta ao continente. Aliás, nao é uma arte qualquer, é uma “arte funcional”, ou seja, ela nao foi feita apenas para ser admirada ou invejada, ela foi feita para ser preenchida por transeundes normais que tem uma característica em comum: adoram mascar chiclete. Surreal. :-D

.

CAFÉS & RESTAURANTES

Quem já passou por este blog, sabe que adoro ajudar no planejamento de viagem dos meus leitores e isso implica em nao indicar muita coisa. Hein? Pois é, nao gosto de indicar, pois acredito que a viagem se torna mais inesquecível quando as escolhas sao nossas e espontâneas. Dá uma certa identidade para a viagem, fazendo da sua viagem algo único e inesquecível. Algo com a sua cara ou com a cara do casal ou do grupo que seja.

Em Veneza existem muitos restaurantes e cafés charmosérrimos, tao encantadores que dá vontade de passar o dia sentando cada hora em um. Sem dúvida, os que ficam beirando os canais sao os mais ambicionados e nao é por menos. É ali que você se sente em Veneza, tomando um vinho ou um capuccino na beira de um canal vendo as gôndolas passarem e com elas seus pensamentos. É fantástico! Bom, pelo menos pra gente foi, pois fomos em baixa temporada, mas em alta temporada imagino que esse sonho possa parecer mais um pesadelo por causa do tanto de gente que deve circular por lá. Para jantar dizem que os melhores restaurantes estao na Piazza San Marco descrita logo abaixo.

.

PIAZZA SAN MARCO

Esta praca é imperdível, pois nela você encontra um conjunto arquitetônico maravilhoso. Aliás, uma vez que entra nela pensa que mudou de cidade, pois é algo completamente diferente do que se vê nos becos de Veneza. Ali, a pequena Veneza se torna grandiosa e cheia de frufru.

San Marco é o coração da cidade e é onde se concentram alguns dos tesouros da cidade – a Praça de San Marco, a própria Basílica de São Marco, o Palácio do Doge e a Campanile, as melhores vistas do Grande Canal e as pontes da Accademia. A Torre da Campanille é bem interessante, pois foi nessa torre que Galileu mostrou como funcionava o seu telescópio ao Doge Leonardo Dona, em 1609 (ui!).

.

VENEZA PODE DESAPARECER

Como disse no comeco do post, Veneza é uma cidade construída em cima de aprox. 100 ilhas. O nível da cidade vem abaixando ano após ano porque os alicerces estao afundando e o nível do mar continua subindo.

Em alguns lugares que passamos, já se observa que a água mesmo em um dia sem chuva já comeca a avancar sobre as calcadas da cidade, principalmente nas bordas dos canais. Mas em época de chuva até mesmo a Piazza S. Marco pode ficar completamente inundada como mostra essa foto de 2003.

As casas estao em estado deplorável, dando a impressao de que vao desmoronar a qualquer momento e até onde eu sei nao há previsao para restauracao, pois seria preciso investir muito dinheiro nesse processo e todos sabem que a Itália nao se encontra em um bom momento para gastos.

A populacao hoje é de apenas 60.000 moradores, sendo a maioria ricos e idosos que herdaram as casas. Jovens nao tem dinheiro suficiente para comprar uma casa em Veneza, pois apesar de estarem em estado lamentável sao carissímas.

Por causa da falta de paz e de privacidade, todos os anos muitos moradores decidem ir embora e com eles a história e a glória de Veneza.

Lendo sobre tudo isso me deu uma certa tristeza e revolta, mas nao acredito que a culpa é dos turistas como é dito em muitas das fontes que li. Acredito que se o turismo fosse controlado como é em muitas ilhas até mesmo no Brasil, a qualidade de vida dos moradores de Veneza seria maior e nao deixariam suas casas. É um problema de administracao do turismo na ilha e espero que nao seja tarde demais para encontrar uma solucao.

Quer saber mais? Leia este texto. Através deste texto, pode ver Veneza detrás de sua máscara. Imperdível!

.

QUANDO NAO IR, CASO QUEIRA PAZ

“La serenissima” como é conhecida a cidade de Veneza, de serena nao tem nada. Deveria ser denominada de “La turistissima”, principalmente na alta temporada. :-D

A principal época turística é entre Abril e Novembro, embora Veneza esteja sempre muito agitada durante o Natal, Páscoa e Carnaval (Fevereiro). O Festival de Cinema de Veneza (Agosto) e a Biennale (Setembro) fazem aumentar as multidões (e os preços). As alturas mais agradáveis para visitar esta cidade são no início e no final da época alta, quando a cidade está mais calma e o clima ameno.

O verão pode ser muito agitado com muita gente se espremendo nas estreitas ruelas e enchendo de forma desconfortável os vaporetti, encostados nariz a nariz no convés mínimo, ou apertados na cabine sem ar-condicionado. Algumas pessoas queixam-se do cheiro dos canais e das filas intermináveis para entrar nos museus, o que achamos bem diferente na época que fomos, pois nao sentimos o tal “cheiro” e nem vimos tantas filas.

Nao importa quando vai, desde que se apresse e, se for em época de chuva, uma dica: leve suas botas sete léguas. :-D

Fotos aqui!

[pinit count="vertical"]

9 Comentários para "ITÁLIA – Veneza"

  1. Haline disse:

    Anda sumida Maira!
    Boas dicas de Veneza. Também não posso ir embora sem botar os pés por lá.
    Bjos

  2. Flávia disse:

    aah, agora sim consig comentar flor! :D
    que viagem!!! Deve ser indescritível e tudo tão mais perto de ti aí.. que venham mais relatos!

    Beijoos.

  3. Lindo o slogan do blog… e Veneza, ah, Veneza! A cidade improvável, única. Saudades!

  4. Ai Veneza Veneza, quero mesmo visitar.. embora me avisarem que o cheiro chega a ser insuportável, quero mesmo muito conhecer!
    Parabéns pelo Blog, e boa sorte na Alemanha!

    • Maira disse:

      @Viajante: Veneza eh fantástica! E nao senti cheiro ruim nenhum, viu!? Acho que depende da época. Talvez na alta temporada seja mais crítico, mas em baixa temporada é tranquilo. Vai sim!!!! Bjks e obrigada pelo carinho!

  5. mick disse:

    Italia tbm tem muitos indianos e muçulmanos?
    estou na Inglaterra e aqui só tem isso…

  6. Vanesca disse:

    Poxa, simplismente ao ler este blog, fquei com uma imença vontade de ir a Veneza. E tbm fik triste ao saber q Veneza um dia possa sumir. + é claro antes de sumir visitarei.

  7. isabel disse:

    Olá ! Estarei indo a Veneza, no início de abril, tomara que não esteja fedorento!!! :cry: Adorei as dicas e a visão bem humorada de quem o fez!
    Obrigadíssimo!!!!

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório