São Paulo

Jundiaí (SP) – Fazenda Nossa Sra. da Conceição

Pra quem ainda não se situou, eu e minha família voltamos da Alemanha (Stuttgart) em junho deste ano e estamos morando no interior de SP, mais precisamente na cidade deliciosa de Jundiaí.

Estou apaixonada pela cidade e desde que chegamos estamos aos poucos descobrindo-a. Uma das descobertas mais deliciosas aconteceu graças à duas amigas que moram em “Sampa City” e já conheciam o que o interior tem “de bão”. Me convidaram para conhecer a “Fazenda Nossa Sra. da Conceição” que fica em Jundiaí, pertiiiiiinho de casa.

Esse dia foi muito especial, tanto pela visita deliciosa dessas duas super amigas, como pelo fato de ser a primeira vez que eu iria SOZINHA sair com amigas pra ficar fora a tarde TODA! Isso mesmo! Sem o Rafinha que ficou com o super-papai. Dia inesquecível: 19/09/2011. :D

A despedida... snif...

O reencontro... ele(s) ainda me ama! hehehe

Agora voltando pra fazenda. A Fazenda Nossa Senhora da Conceição é um espaço delicioso pra passar o dia. Lá história, passado, lazer, natureza e culinária se misturam de forma harmoniosa, trazendo momentos tranquilos e ao mesmo tempo, dependendo da cia, divertidos. Nós 3 nos divertimos muito, tanto que o guia que nos levou pra conhecer o Museu do Café ganhou o dia com a gente de tanto que riu das palhaçadas. Na verdade, parecíamos crianças felizes e perguntadoras. Coitado do moço! Cada pergunta esquisita. :D

Segue um trechinho retirado do site sobre sua história: “a fazenda tem sua história iniciada em 1810 quando ali se cultivava a cana-de-açúcar. Na década de 1860, período em que o café dominava as lavouras na província de São Paulo, a fazenda passou a ser muito conhecida. A produção de café na região foi a responsável direta pela construção da primeira ferrovia paulista – The São Paulo Railway Company – que ligava Jundiaí ao porto de Santos, entre 1856 e 1860. Em 1882 chegaram os primeiros imigrantes Italianos na fazenda. Motivados pelo clima da região, trouxeram consigo a cultura das vinhas.”

É um lugar repleto de natureza. Tem um lago cheio de patos esfomeados. Acho que os visitantes devem dar comida pra eles, porque é só ver a gente que vem pra cima. Sai pato!

O casarão é lindo, mas é uma pena que não tem nada pra ver lá dentro. Na verdade é que lá ainda moram os descentes do barão que morava por lá. Vida ruim desses descendentes, viu!? Morar numa fazenda dessas é o meu sonho! Maaas enquanto ainda é um sonho, permaneço fazendo poses esquisitas nas fazendas alheias. :D

Lá tem um restaurante que também é um sonho… um sonho bem gordo. Sabe aquelas comidas de fazenda? Aqueles doces de fazenda? Aquelas cachaças de fazenda? Aquele clima gastronómico fazendal? Pois é, é exatamente TUDO isso que encontramos lá. Então se for almoçar por lá, prepare-se pra ficar HORAS. Aliás, neste dia nossa programação inicial era, inclusive, tomar café da manhã por lá, mas como as pessoinhas se atrasaram acabamos ficando só com o almoço mesmo. Enfim, comemos bem e falamos sem parar. E, no final, ainda encontramos um garçon chileno (era isso?) figuraça que queria ver a máquina da Gi e ai, de quebra, ganhamos uma sessão fotográfica dentro do restaurante. Parecíamos as celebridades da roça! :D

Outro acervo interessante está no “Museu do Café”. Tem até uma mesa mostrando como acontecia a degustação para qualificar o café na época. Segundo o guia não mudou muito, ou seja, é colocar na boca, degustar e cuspir. Nheca! Fora o desperdício, né!? :D

Uma das atrações da fazenda são duas senzalas, uma dos escravos que trabalhavam no cultivo de café e outra dos escravos que trabalhavam na casa. A mais impressionante foi a dos que trabalhavam dentro da casa. É tipo um buraco com chão de terra e uma altura máxima de, sei lá, 70cm. Os escravos entravam agachados e deviam permanecer lá ou deitados ou de joelhos. Na verdade, acho que eles preferiam continuar trabalhando do que ir dormir naquelas condições.

Um artefato super interessante que a gente viu por lá foi essa “máquina de múltiplos ferros” pra passar roupa. O guia explicou que colocava-se carvão no interior desse negócio e ai usava o primeiro ferro até a temperatura não ser mais a ideal pra passar e ai colocava-se este de volta no lugar pra aquecer de novo e pegava-se o próximo e assim ia. Imagina só as escravas passando aqueles vestidos cheios de “flu-flu” das madames da época. Afff… viva aos tecidos “auto-passáveis” do século XXI!!!

Mas acho que o mais apaixonante nesta fazenda (assim como nas fazendas antigas em geral) é justamente traços da sua história como a arquitetura consumida pelo tempo e as raízes de suas árvores e de sua história fortalecidas.

Uma fazenda repleta de histórias que com certeza deixaram saudades para muitos. Uma fazenda que agora faz parte também da nossa história, da história linda de uma amizade deliciosa que faz parte das nossas raízes. Amo vocês meninas! Agora só falta provarmos juntas o café da manhã e treinarmos mais a “pose manequim”. :D

[pinit count="vertical"]

5 Comentários para "Jundiaí (SP) – Fazenda Nossa Sra. da Conceição"

  1. Glauce Campos disse:

    Adoro vcs !
    Excelente dia, excelente passeio com amigas mais que especiais…
    Obrigada por fazerem parte da minha vida!
    Quero mais!
    Bjuu
    Glau Glau

  2. ruthmar barbosa caçapava/sp disse:

    Muito legal!Afazenda é uma beleza! Dá vontade de ir visitar logo!Obrigado por dividir o que vc conhece com outras pessoas inclusive as amigas.Beijos! Võ Ruth/Caçapava/sp

  3. hunnn vou conhecer com patroa e baixinha só pelo seu relato, valew

  4. Fui com minha familia hoje até o local para conhecer e passar uma parte do dia, o lugar é bem bucolico mesmo, realmente uma fazenda, destas de novela mesmo.
    A Comida é simples,nada de muito especial,gostosa mas não vale os 115,00 q gastamos em um prato para 2 e bebidas, mas acho q o que realmente nos abalou foi o PESSSIMO, MAIS PESSSSSIMO ATENDIMENTO, parecia q estavam fazendo um puta favor em nos receber, não ouvi um bom dia se quer , de ninguem, lamento muito o lugar merecia pelo menos uma passada a cada 2 meses, só pelo prazer de pegar uma estrada e estar em uma tipica fazenda a menos de 1 hora de sp, tinha tudo para ser glamuroso,muita pena mesmo

  5. osni disse:

    onde fica esse lugar, nao achei o site da fazenda , nem onde fica, nem a maria fumaa…me ajudem ,,,rsrsr osnichaveiro@hotmail.com

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório