Curiosidades

MAMI TRANSFORMER – O “rosa” na minha vida

De padrinhos no Brasil

Nao sei se isso acontece com todas gestantes, mas tem muita coisa mudando no meu comportamento e isso é sinixxxtro. Sim, porque nao é aquela mudanca consciente, ou seja, nao é uma mudanca que você sempre desejou. Quando vê, já era, já mudou e ninguém nem te perguntou se queria mesmo aquilo ou nao.

A que mais está me chamando a atencao é a minha repentina preferência pela cor rosa. Sério! Sempre evitei rosa. Sei lá, achava feminino demais, “Paty” demais, mulherzinha demais. E qual é o problema? Pois é, o problema era minha cabeca. Eu sempre fui moleca e sempre gostei de ser mais largada, mais “descolada”, mais relaxada mesmo. Nao queria ser muuuuito feminina. Eu tinha aquela imagem de mais “selvagem” (ui!), de uma mulher sexy por ser natural (tá, pelos decotes também….hahahaha). Gostava de ser provocante, de chamar a atencao e rosa pra mim era cor de candidatas à ser “dona-de-casa”. E eu queria sempre deixar claro que, definitivamente, sou independente e jamais dependeria de homem nenhum pra viver. Sério! E hoje a única coisa que mantive foi minha eterna e imutável doutrina: independência mesmo que tardia! :-D

Agora o rosa? Putz, deu revertério! De uns meses pra cá me vejo frequentemente gostando de coisas rosas e tons derivados. Será que é porque a maternidade nos conscientiza mais sobre nossa feminilidade? Será que é uma forma de equilibrar mentalmente meus hormônios, uma vez que agora estou cheia de hormônio masculino (no Rafa)? Sei lá. Mas que é sinixxxtro, ah é!

É isso. Mamae, tô ficando mocinha! Agora só falta nao esquecer de cruzar as pernas ou mantê-las fechadas quando estiver de saia. Ai já é mais complicado. :-D

PS: minhas cores preferidas ainda continuam sendo (na ordem) vermelho, verde, amarelo e roxo. O rosa é uma cor preferencial “de momento” (rs).

[pinit count="vertical"]

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório