Cultura

Penso, logo penso e penso muito. É tanto pensamento, tantas análises, tantas reflexões que é preciso transbordar e eu transbordo em palavras. Esse é aquele espaço onde você poderá encontrar respostas, novos questionamentos, similaridades ou simplesmente algo que te diga nas entrelinhas: você merece ser feliz!

Meia verdade. Meia amizade. Meia vida. Meio copo.

Se tem uma coisa que me incomoda e que de vez em quando – tipo hoje – me esgota é a superficialidade das coisas nos dias atuais. É a meia verdade. A meia amizade. A meia vida que as pessoas levam. A vida sem interjeição. Com muitas vírgulas, reticências e pontos finais.

As pessoas não se entregam. Esperam, esperam, esperam. Quando você está ali, doando seu tempo e todas suas exclamações de felicidade, simplesmente te retornam com reticências ou ponto final. Quando te retornam. Sim, a vida é um chat, meus caros e um chat que não pode ter aviso de recebimento. Sim, as pessoas não querem que você saiba que elas te ignoram. Triste.

E, nessas horas, sinto tanta falta das minhas amigas que eu mais amo. Todas longe. Muito ou pouco, mas longe. E, graças à Deus, umas 5 por perto. Mas o meu grande defeito é que pra mim é 8 ou 80. Estão longe e, por isso, não me contento. Queria elas aqui! Queria o abraço delas! Queria o brilho no olhar que elas tem! Mas eu poderia ligar mais, escrever mais emails, mandar uma carta. Não. Fico aqui, seguindo a onda do “esperando”.

De repente acordo um dia, como hoje, e me dou conta de que espero das pessoas erradas. Não, elas não são “pessoas erradas”. Mas não são as pessoas que preciso. Sim, são as mais fáceis de acessar e por isso a gente insiste em acreditar que teremos relações verdadeiras com elas. Mas não. Você sabe que não. Vê nos olhos delas que insistem em desconversar, em te enganar, em te desviar deles. Estou cansada, porque desde que mudei pra Alemanha estou sempre iniciando amizades. Sempre criando novos círculos e me afastando fisicamente dos antigos que agora estão longe. Então você se aproxima, sente as pessoas, se sente à vontade e ai chega a hora da verdade: a hora em que você percebe que está se esforçando pra estar com ela ou o inverso. De 10, talvez 2 tenham realmente algo a ver com você. Mas você, teimosa e otimista, insiste em acreditar que as 10 tem algo de bom e que vale a pena implorar pra fazer parte do “grupinho”. Mas não. Não vale. Você sabe!

Convida uma para ir à sua casa. Surgem aqueles compromissos do tipo “tenho que dar banho no meu cachorro” ou “tenho que secar o gelo”. Você finge que não entendeu as entrelinhas. Sim, finge. Finge porque quer acreditar que gostam de você. Quer “fazer parte” do “grupo”. Ah! O grupo! Se vai todo mundo, ai sim. Sim, porque no coletivo a gente se mascara. O coletivo ajuda quem não quer ser um indivíduo. No meio de todos ele é legal e querido. Sozinho? Talvez nem ele saiba quem é quando está sozinho.

Sinto, de verdade, saudades dos meus amigos alemães e outros estrangeiros. Com eles as relações foram conquistadas diariamente. Eles não te convidavam se não quisessem realmente que VOCÊ, como indivíduo, estivesse ali. Nunca esqueço da resposta de uma super amiga minha alemã, quando lhe enviei um email com um texto falando sobre amigos verdadeiros. Tipo, na minha cabeça, ela já era minha amiga. Já nos conhecíamos aqui do Brasil e sempre as convidamos para tudo, quando já estávamos na Alemanha. Pois bem, mandei o email para ela e para apenas algumas outras amigas, pelas quais tenho imenso carinho e ela me responde algo do tipo: “Querida Maira, fiquei muito feliz com seu email e em saber que JÁ me considera sua amiga. Quero muito UM DIA poder também lhe considerar uma grande amiga. Tenho certeza que esse dia chegará em breve! De qualquer forma, muito obrigada pelo carinho e pela oportunidade de nos conhecermos melhor. Um beijo, X”. Tomei, né? :P Maaaas, o mais engraçado é que, provavelmente, qualquer brasileira ficaria chocada e não ia mais querer falar com a pessoa. Eu? Fiquei TÃO FELIZ! Ela foi verdadeira! Sincera! Meu Deus, como eu sentia falta de alguém assim aqui no Brasil! Meu carinho por ela e minha vontade de tê-la como amiga só aumentou com isso. <3 E até hoje somos sim grandes amigas! Mesmo que só através de cartas e emails. ;)

É disso que sinto falta, meu Deus! De sinceridade! De profundidade nas relações! De olho no olho! De convites desprovidos de interesse! De eventos sem selfies! Sério! Meus melhores amigos são mega desconectados e sempre que me dou conta disso, me pergunto por quê eu não consigo me desconectar também, já que a maioria das pessoas não são como parecem ser nesse mundo virtual. Eu quero ser eu mesma sempre e talvez seja por isso que incomodo tanto algumas pessoas ao meu redor (mulheres em particular). Só pode ser! Não consigo não me expor. Não consigo não opinar. Não consigo não compartilhar coisas alinhadas com o que acredito. Não consigo não dividir conhecimento, momentos e experiências na rede. Fico triste com a superficialidade da maioria, mas encantada com a possibilidade do alcance e da transformação através das mídias sociais. É isso que ainda me prende nelas. Não as pessoas. Sério!

Hoje acordei cansada desse vazio. Cansada da falta de exclamação e do excesso de emoticons. Cansada de não conseguir desistir de compartilhar conteúdo, mesmo que as pessoas prefiram sua foto fazendo biquinho ou tutorial de como emagrecer em 10 segundos comendo capim.

Mas, ao mesmo tempo, acordei decidida. Decidida a voltar a blogar com mais frequência. Aqui pelo menos sei que as pessoas que aqui aparecem querem saber o que penso, mesmo sabendo que meus pensamentos sempre ocupam mais do que 2 parágrafos. ;) Quem lê um texto desse até aqui, merece aplausos!

Estava com saudades desse espaço para conseguir desenvolver toda a narrativa. Sério! Não sei como fiquei tanto tempo longe desse meu vício que era blogar. Pronto, já me sinto mais leve. <3

 

[pinit count="vertical"]

11 Comentários para "Meia verdade. Meia amizade. Meia vida. Meio copo."

  1. Gabriela disse:

    Puta que pariu, que texto maravilhoso!
    Eh bem isso, estas certa em todas as linhas. Obrigada por compartilhar essas impressoes sobre amizade. Achei que eu era a unica que pensava assim.

    • Ei Gaby! Eu que agradeço seu comentário! Tá ai outra raridade, já que as pessoas curtem, mas raramente comentam. :D Obrigadaaaa!!! E relaxa, porque acredito de verdade que existem muitas pessoas que pensam assim como a gente. O problema é que Deus evita que a gente se encontre em grande quantidade, porque senão vamos querer colonizar outro planeta só com ETs como nós. :P Bjksss!!!!

  2. Denise disse:

    Parabéns pelo texto e pela lucidez. Descreveu exatamente como as pessoas no mundo de hoje são superficiais, fúteis e pouco verdadeiras.
    Atualmente é preciso escolher: ser profunda e verdadeira e viver meio ilhada ou estar cercada de pessoas mas se sentir sozinha.
    Espero que você escolha ser você mesma, sempre!

    • Ei Denise! É, triste, mas é assim mesmo que vejo o mundo. E só sofro porque não consigo aceitar não ser eu mesma. Agora só falta eu me incomodar menos com “os outros” que insistem em viver de mentira. É isso que me faz ter meus momentos de revolta. Mas, por outro lado, o que me consola é saber que também existem muitas pessoas especiais que acreditam ainda nas relações verdadeiras. Você, por ex. <3 Obrigada por deixar aqui suas impressões também! Adorei! :D Bjksss!

  3. Alexandra Fischer disse:

    O seu blog foi um dos primeiros que li antes de me mudar para a Alemanha… Você de certa forma me ajudou a nunca pensar que seria fácil (e até hoje depois de 2 anos tem sido difícil, mas já mudou um pouco). Eu tb nao consigo me desconectar e tenho selfies, mas literalmente SELF, nao que seja egocêntrica mas que eu infelizmente nao sei me esconder também. Nao tenho amigos na Alemanha, conheci já muita gente e muita decepcao inicial e incrível sempre com mulheres, rsrs… mas as amigas do Brasil simplesmente sumiram, já escutei (ou li de tudo, do tipo vc nao precisa mais da nossa amizade agora está na Europa !!!!,) de repente me vejo sozinha com o computador e meu marido que é meu companheirao (que bom né?!, rs pelo menos até agora,sou realista pra caramba e sei que nao mandamos na “vida” de ninguém so faco o possível apra manter a nossa harmonia que é bem legal!) Enfim, fico sempre feliz em ler o que você escreve. E leio tudo! rsrs… Pensei que você tivesse desistido .. que bom que nao. Saiba que tem gente que te curte e que te admira! Mesmo sem ser sua amiga, como disse a alema, mas eu sou assim, e hoje eu vejo que muito amigo é amigo de churras, de mudanca de casa, de trabalho escolar, de faxinao, de dar o ombro pra chorar, opa nesse caso o seu ombro que nos outros casos a coisa só funciona quando voce oferece. Nao vejo a amizade como dar e receber, por isso mesmo estou cansada de amigos, pois nao tem dar e receber no meu caso só o “dar”, aí fica mais sem graca ainda pois isso de ser tao generosa passou dos limites…
    Nao pare! Você deve fazer muito bem para mais pessoas além de mim.
    Abraco cibernético!

    • Hallo Ale! :D Cara, viu como vale a pena se expor? Me expus pra caramba nesse texto e só por isso estou recebendo comentários deliciosos como o seu! É eu demorei muito tempo para fazer amizade com brasileiras na Alemanha e algumas só duraram até eu embarcar pro Brasil mesmo. Mas tive sorte de manter quase 10 com mulheres super especiais! Só que nunca foi fácil. Já com as estrangeiras e eu me dei super bem e até hoje, aqui no Brasil, continuo tendo mais sucesso com elas…hehehe… Te digo o mesmo que me diz: Não pare! Seja você, insista. Acho que gente como eu, como você, nasceu pra sofrer com a humanidade mesmo. :D O lado bom é que SEMPRE vão aparecer pessoas no caminho que vão nos dar força pra continuar acreditando e transformando o meio em que vivemos. Temos que ser e fazer a diferença. Eu acredito nisso! Hoje meu foco é investir para que meu filho seja humano. Meu presente para a humanidade. <3 Acho que é assim que podemos melhorar as coisas, dando o melhor de nós e resistindo. Ah! Sobre minha ausência por aqui é uma longa história. Procura meu facebook pessoal e me add que vai entender o furação que virou minha vida desde que voltei pro Brasil. ;) Bjksss e fica bem!

  4. Lili disse:

    Amei seu texto!!! E realmente vc ja tinha bastante tempo que nao postava, tava com saudades de ler os seus posts, que sao sempre uplifting, informativo, critico, deixando sempre uma sensacao de ansiosidade de ler o proximo (no meu caso) xxx e abracos!

  5. Guilherme disse:

    Olá!

    Belo texto Maira!Concordo com vc!

    Infelizmente hoje as pessoas são muito superficiais nos relacionamentos, chegando a ser em muitos casos interesseiras.Vejo um interesse muito grande em viver a vida para mostrar uma imagem para os outros, em vez de realmente fazer coisas para a sua felicidade.Talvez seja esse a razão para muitas pessoas terem um mesmo padrão de gosto e falta de tolerância com as diferenças entre as pessoas, as diferenças de gostos e formas de pensar.
    Acredito que você mantendo o contato com os amigos verdadeiros, mesmo por email ou telefone, estando próximo das pessoas que ama e vivendo os momentos que realmente te inspirem (viagens, passeios etc) seja o caminho para uma vida realmente feliz e verdadeira.

    Abç

    Guilherme

  6. Jéssica disse:

    Estou adorando teu blog!! Nossa,li seu post agora e me identifiquei tanto com você que tive que escrever!!Eu gosto de sinceridade e quem não gosta né? Eu espero ter isso sempre comigo…sinceridade!! Sou como você cheia de opiniões, sou 8 ou 80, não gosto de meias verdades nem de meias amizades, quero que as pessoas sejam sinceras da mesma forma que sou com elas… O importante é que nós fazemos sempre a nossa parte , plantando todo dia aquela sementinha do bem, infelizmente nem todos cultivam da forma certa ne?! Mas a vida é assim, vivendo e aprendendo:)) E tentar nos apoiar a quem nos faz bem e nos confortam mesmo que seja por cartas ou e-mails o importante é saber que estão sempre lá!
    Mais uma vez.. Parabéns pelo blog estou adorando bem autentico e dinâmico:))

  7. Meire Marques disse:

    Olá!
    Texto maravilhoso. Concordo com você.
    Então esse lado e outros do Alemão ser sincero, sinto saudades.
    A maioria das pessoas só sabem arrumar desculpas, como diz o meu esposo, as pessoas tem dificuldade de falar a verdade.
    Sabe eu sempre corro atrás, mando msg, e-mail e ligo, mesmo com toda correria no dia a dia. Mas estou cansada de fazer isso. Agora estou dando valor para quem da valor para mim.
    Continue escrevendo no seu blog.
    beijos
    Meire

  8. Marcela disse:

    Com licença… Não te conheço, mas senti a necessidade de dizer: que delícia de blog! Me identifiquei bastante com este texto. Espero que possamos conhecer muitas e muitas pessoas inteiras por esta vida!

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório