Cultura

O sistema de ensino na Alemanha

  Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Acho importante abordar este tema, pois foi uma das coisas que mais me impressionou aqui até agora. Imaginamos, quando moramos num país subdesenvolvido com alta taxa de analfabetismo, que os países de primeiro mundo dao oportunidade à todos seus cidadaos e buscam uma igualdade social e educacional. Pelo menos eu pensava assim. Mas ouvindo, vendo e lendo o que acontece aqui na Alemanha mudei completamente de opiniao. Aliás, tenho que dizer que temos muito pra ensinar.

Aqui na Alemanha (de maneira geral) uma crianca com 10 anos já tem praticamente seu futuro definido. Isso mesmo, 10 anos!!! O sistema de ensino vem se demonstrando altamente exclusivo. Leia abaixo um resumo do sistema básico pra entender:

- Normalmente, as crianças começam a freqüentar o jardim de infância (Kindergarten) a partir dos três anos de idade. A obrigatoriedade escolar existe a partir dos seis anos até a 9ª ou 10ª série, dependendo do Estado, e no máximo até os 18 anos.

- Os jardins de infância são mantidos por igrejas, iniciativas particulares ou pela municipalidade. A mensalidade é calculada conforme os rendimentos da família, independente de o estabelecimento ser público ou privado. Durante seu último ano no jardim de infância, a criança “pré-escolar” (Vorschulkind) toma contato com letras e números, o que no entanto não pode ser considerado alfabetização como o pré-primário que conhecemos do Brasil.

- O ensino público na Alemanha é gratuito a partir da primeira série; paga-se apenas parte dos livros. Um semestre antes de entrar para a escola, a criança é submetida a um teste médico. Se forem verificados problemas no desenvolvimento psicológico, motor ou lingüístico, ela é encaminhada para possíveis correções. O primeiro dia na escola obedece a todo um ritual, do qual participa a família inteira.

- A forte presença da Igreja na sociedade alemã é sentida nestes momentos. Em muitas escolas, antes da distribuição em classes e o primeiro contato com o professor, realiza-se um culto ecumênico na paróquia mais próxima. Outra peculiaridade é a Schultüte (cone colorido, oferecido às crianças no primeiro dia de aula), cheia de presentes e doces.

* Escolas secundárias

Ao encerrar o primário, a criança começa a ter definida a sua orientação profissional. Conforme o desempenho dela nos primeiros quatro anos de escola, a professora sugere aos pais o tipo mais apropriado de escola secundária. Há três opções:

? Hauptschule, em que os alunos recebem uma formação geral básica. Após a conclusão, encaminham-se geralmente para uma formação profissionalizante que os habilita a exercer um ofício ou uma atividade na indústria ou na agricultura. Dura de cinco a seis anos.

? Realschule, que habilita a freqüentar cursos mais adiantados em escolas profissionalizantes, escolas secundárias vocacionais ou o segundo ciclo do ginásio. Dura seis anos.

? Gymnasium, que dura nove anos e propicia uma formação básica mais aprofundada. O certificado de conclusão, o cobiçado Abitur (de importância semelhante à do vestibular brasileiro), habilita para o acesso a uma universidade ou escola superior.Até um certo ponto, o sistema é permeável. Conforme o desempenho do aluno nos dois primeiros anos na escola secundária (5ª e 6ª séries), existe a possibilidade de se transferir para uma escola de tipo diferente da escolhida originalmente.

Existe ainda a Gesamtschule, que integra os três tipos numa só, bem como escolas com outros tipos de currículo, dependendo do Estado.E existe ainda a Sonderschule que é para o “rest”, muitos dizem que é para “retardados mentais”, mas isso nao é verdade. Somente mais um preconceito aqui inserido.

Hoje a mudanca no sistema de ensino vem sendo amplamente discutida, pois um grande e novo problema é a grande e cotidiana violência que ocorre na Hauptschule geralmente.

Hauptschule é o patamar mais baixo de um sistema educacional dividido em três, que separa os alunos de acordo com suas capacidades acadêmicas, já aos 10 anos de idade. Críticos dizem que é terreno fértil para o desencaixe social, uma vez que crianças imigrantes têm normalmente menor capacidade lingüística no idioma alemão. Alguns defendem que o sistema deveria ser inteiramente reformado. A encenação de atos violentos parece ser a mais nova moda nas escolas. Grupos de jovens agridem companheiros ou vítimas aleatórias – um processo chamado happy slapping – enquanto uma câmera ou o próprio celular registra as imagens que serão, posteriormente, transmitidas e difundidas pela internet.

Além disso, a Alemanha tem problemas pela falta de alunos com interesse em formacao na area de Educacao e Engenharia. Eles temem que em breve nao tenham mais profissionais alemaes nessas áreas e buscam formas de incentivo. Essa informacao também me perturbou, pois imaginava que a Alemanha possui uma das melhores educacoes do mundo e os melhores engenheiros. Mas agora entendo o porque… Na área de educacao vejo que existem muitos problemas e que as vagas para mulheres até entao era limitada, sendo que estas geralmente se interessam mais por lecionar do que os homens. Já engenharia nao é uma área de muito interesse, pois um técnico aqui ganha tao bem quanto um engenheiro bem-sucedido no Brasil. Verdade absoluta! Os servicos básicos técnicos aqui custam uma fortuna, pois as horas de um técnico sao muito bem remuneradas. Por que? Porque eles tem TODOS formacao técnica na área de atuacao específica. Num primeiro momento parece lindo e ótimo, mas quando voce precisa dos servicos destes técnicos especializados, você sente saudades do Brasil !!! O custo muitas vezes nao compensa, por isso quase todos alemaes tem ferramenta pra tudo em casa. Aqui funciona muito bem a frase: “Faca você mesmo!”

Quando penso em paralelo no problema que Alemanha tem hoje com a escassez de criancas de pais alemaes, chego a conclusao que além dos motivos mais óbvios as maes tem medo de seus filhos terem que entrar nesse sistema educacional já falido.  Eu teria…

 

[pinit count="vertical"]

10 Comentários para "O sistema de ensino na Alemanha"

  1. nuria disse:

    eu keria mt ir esudar para a alemanha…mas agora sei como é la,nao tenho mt a certeza k vou!!!!!mas kero seguir o meu sonho…e nunca pensei k as escolas alemas requerissem tanto estudo

  2. Délcio de Jervásio Daniel Chambisse disse:

    A despeito da degradação do sistema educativo alemão de que tanto se fala, eu nuti sempre uma simpatia pela sua educação e gostava de frequentar um curso lá ou em Brasil. Sou Moçambicano

  3. Interessante este comentário é aquela coisa de achar que a grama do vizinho sempre é mais verde. Sempre existe os dois lados da moeda. Pra ter uma boa qlfção, ñ precisamos sair do Brasil achando que só lá fora está a galinha dos ovos de ouro. Temos bons Profissionais de sucesso formados aqui mesmo.Acho válido uma o outra especialização lá fora pelas novidades e algumas Técnicas diferenciadas.Ñ podemos igualar ou ignorar o contexto no geral Um ex: Um médico formado num pais de 1° mundo vem p/ o Brasil, como empregará as sua técnicas se nem material existe p/ atender o paciente? E asim é na engenharia e outros…Foi mt bom mostrar esse lado de ensino da Alemanha, mesmo porque aquele que estiver pensando em ir já vai sabendo o que irá encontrar. Um abç Délcio

  4. Fernandes disse:

    Existe deficiencias no sistema, porém não estão ligadas ao deficite de estudantes. Existem mais informacoes que sao importantes, os diferentes tipos de escolas secundárias estao ligados a diferentes métodos aplicados a formacão do estudante, ao encerrar o primário dependendo da região, o professor ou os pais decidem a que escola encaminhar o filho, e de acordo com o desempenho, o estudante pode mudar de escola, conheco pessoas que fizeram Hauptschule e faculdade, o sistema é flexivel. Refentrente aos filhos de estrangeniros, as crianças imigrantes que têm normalmente menor capacidade lingüística quando não há contato com a sociedade alemão, vivendo em gueto, isto está diretamente ligado ao interesse dos pais no desenvolvimento da crianca. Existem programas de 0 a 3 anos para o desenvolvimento psico-motoro que estimula o contato em grupo das criancas e dos pais periodicamente, assim como do nascimento já é oferecido orientacão pedagógica para o aprendizado da língua materna e alemã no sistema social público. Lembrando que no Brasil nao existe esta opcão no ensino público, colocando todos em mesmo patamar. Pessoalmente vivenciei em ambos e considero o sistema Alemao amadurecido.

    • Maira disse:

      @Fernandes: nao acho nosso sistema (o brasileiro) perfeito, mas tb nao vejo tudo que escreveu do sistema alemao na prática por aqui. Acho que ambos os lados tem muito à aprender e se um observar o que pode ser melhorado no outros, os dois lados podem ganhar. Se o sistema alemao de ensino fosse perfeito nao estariam mudando ele radicalmente nos últimos anos.

  5. Estranho disse:

    Quanto absurdo! Chega a ser impressionante a ignorância presente aqui em fazer essa crítica sem cabimento e querer comparar ao sistema falho do nosso pais. Ensinar aos alemães? Por favor, observe os fatos e me diga quem tem um um ensino mais funcional. Acho muito interessante e muito mais viável esse sistema alemão do que essa bagunça brasileira. Não sei a onde isso é excluir. Avaliar as aptidões de uma criança e indicar um caminho é perfeito. Há sim opções de mudança durante o cursar. Estudamos tanta coisa que não nos interessa para tão pouco usar e lá eles tomam o caminho mais rápido e útil. Gostei desse blog, mas tenho que dizer que esse post me surpreendeu de forma totalmente negativa.

  6. akira disse:

    Saudações….

    Sei o quanto é dificil e injusto julgar outra cultura e outros costumes, mas esse sistema educacional é uma aberração, parece algo saído de filmes totalitários como 1984 ou da Esparta grega onde nascer hilota (servos) cuidavam dos trabalhos braçais, periecos homens livres que podiam ser comerciantes mas sem direitos politicos e esparciatas, a elite militar e politica.

    Agora averiguar o desempenho de crianças de 10 até 12 anos e a partir disto determinar que vai ser médico, engenheiro, técnico ou que vai limpar o chão ou plantar batatas.

    Fico pesando o quanto a educação adicional ou alunas de reforço deve ser uma mina de ouro, penso que médicos, advogados, arquitetos, doutores que tenham filhos com alguma dificuldade nos estudos com certeza pagariam e muito bem por aulas de reforço, aposto que preferem filhos estudando para poderem serem médicos, engenheiros, advogados do que este estudam para serem pintores, carpinteiros, pedreiros, ferreiros, com todo respeito a essas profissões para vamos falar a verdade: Fazer faculdade pode garantir um futuro com mais melhores condições economicas e sociais.

  7. Olá. Li o comentário e gostei. Aqui em Portugal não qualquer ensino público profissional ou profissionalizante. Quem faz o ensino secundário, termina no 12ºano, sem qualquer conhecimento profissional, é o sistema unificado, que tem como saída o ensino superior. Resumindo ou se é Dr ou Engº de qulquer coisa, ou não se é nada. Há excesso de licenciados em todas as áreas e por isso são muito mal pagos. Técnicos a nível do secundário não há.

  8. carla chambisse disse:

    Achei interressante,muitos Estados deveriam implementar o sistema em uso na Alemanha

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório