Desabafo

PRÉ-NATAL NA ALEMANHA – Experiência sem máscara

Acabo de voltar de uma consulta no obstetra aqui na Alemanha e estou neste momento em casa e me diluindo em lágrimas de libertacao. Sim, acho que hoje foi meu limite de estresse relacionado ao problema de comunicacao por aqui.

Até agora só tenho trazido as notícias boas da minha gestacao, afinal é o que mais importa e ainda sao em maior número. Gracas à Deus! Mas hoje decidi abrir o berreiro e o coracao para todos que estao acompanhando esse momento, que deveria ser o momento mais perfeito e importante da vida de uma mulher: a bencao de gerar uma vida.

O problema é que esse momento nao é doce como em um conto de fadas, mas assim como os contos, também tem sempre um lado do bem e um lado do mau, ou melhor, tem seu lado bom e seu lado ruim. Vida. Enfim.

Tirando os desconfortos físicos que toda grávida conhece e resiste, morando em outro país surge um desconforto que pra mim é o pior até o momento: o desconforto da língua, da comunicacao, da cultura.

Pra vocês terem uma idéia, apesar de todos os posts eufóricos e felizes após cada consulta, nao teve uma única consulta aqui na Alemanha que nao sai irritada ou chateada, mesmo apesar das ótimas notícias sobre o desenvolvimento do bebê e sobre minha saúde. Sempre por causa da complicada e mal compreendida comunicacao.

Nao entender tudo o que o médico fala nao é a pior parte. A pior parte é se fazer entender e ser bem compreendida. E pior ainda é convencer as pessoas de quem entendeu errado foram elas, ou seja, que nao foi você que se expressou mal ou que deixou de expressar sua vontade. As pessoas simplesmente nao acreditam em você, afinal você é a pessoa ali que domina menos a língua alema, logo nao tem credibilidade nenhuma, embora possa ter razao.

Como já disse, meu médico e sua equipe sao pessoas maravilhosas e o fato de termos desentendimentos por causa de comunicacao nao muda nada disso. O que muda é que gostaria de sair pulando após cada consulta, ou seja, após cada conquista. Mas o fato é que saio sempre triste e estressada e hoje parece que foi a gota d´água. Das outras vezes percebi que eu realmente tinha me comunicado de forma errada ou nao entendi algo que fez com que eu deixasse de fazer o que o médico tinha pedido, causando um certo desconforto no momento dos exames. Mas hoje, hoje eu nao era responsável, mas tive que dizer para o médico claramente que, apesar da minha dificuldade com a língua, tinha certeza do que estava dizendo e de que o erro tinha sido cometido pelas atendentes. Foi só entao que percebi que ele comecou a acreditar em mim, pois ele, assim como eu, também é estrangeiro. Acredito que na hora se lembrou do que é ser estrangeiro, do que é ter dificuldade de comunicacao em um país de língua estrangeira, estranha e complicada.

Nao gosto de usar o fato de ser estrangeira como muleta aqui ou como uma forma de sensibilizar ou convencer as pessoas sobre o que estou afirmando, mas parece que é a única forma de ganhar um pouco de crédito. Só demonstrando humildade e consciência da minha própria limitacao é que consigo fazer essas pessoas acreditarem na minha palavra. Acho triste ter que ser assim e me sinto mal sempre que tenho que chegar a esse ponto, mas é a regra do jogo. Eles só te dao uma chance, se você reconhece suas fraquezas. Às vezes parece até ser mais por piedade, do que por realmente passar a acreditar no que diz. Triste, mas enfim.

Enfim, quem me conhece sabe que gosto de dividir o que há de bom e o que há de ruim, afinal ninguém é 100% feliz e nem 100% triste. Somos humanos. Eu sou humana. Cheguei no meu limite e precisava mesmo dividir. Tô tao triste hoje que da vontade de passar o dia chorando, mas pelo bebê vou tratar de me reerguer rapidinho ouvindo uma boa MPB e aproveitando pra arrumar nosso cantinho que tá um caos desde que chegamos de viagem.

Amanha é outro dia, entao amanha talvez eu escreva sobre as notícias ÓTIMAS que temos. Mas já adiantando: o baby tá lindo e todo serelepe! E eu? Eu continuo um espetáculo! :-D

[pinit count="vertical"]

Nenhum Comentário para "PRÉ-NATAL NA ALEMANHA – Experiência sem máscara"

  1. juana disse:

    Tranquila menina tranquila, sei como é isso, pense sempre na saúde do Rafa…beijo, se cuida.

  2. Gabi Franco disse:

    A gravidez é muito difícil e creio que agora vc entenda minhas reclamações no blog quando estava grávida da Valentina, apesar de saber, desde os 10 anos de idade que queria ser mãe. Vc me conhece, sabe como sempre nutri esse desejo, sabe como planejei a vinda dela e sabe que foi uma surpresa até mesmo pra mim, não lidar com a gravidez tão bem quanto imaginaria que iria lidar.

    Isso não é um comercial de produtos Johnson’s, isso é o dia-a-dia de uma mulher em transformação. Não é bolinho!

    A mudança que está acontecendo não é só física, é moral, é mental, é emocional, é espiritual, é existencial.

    Você não é a mesma Maira de antes de ter engravidado e nunca mais será, depois de ter passado por isso.

    Não guarde nada dentro de si, que te irrita que te magoa, que te entristece. O bebê sente, vc guardando ou não. Ele sente só pelo fato do seu coração bater mais forte…ele É vc, agora.

    Não é poupando seu filho que vc vai ensiná-lo e demonstrando que temos fraquezas e precisamos aceitá-las e enfrentá-las, isso, como vc bem disse, é ser HUMANO.

    Imagino o quanto deve estar sendo difícil pra vc estar longe. Pq quando grávida, nos sentimos ainda um tico mais distantes das outras pessoas…pelo simples fato de estarmos em uma condição diferente, única.

    A sensação de isolamento é inevitável. Agora, estar grávida longe da família e amigos, é muito duro…

    Conte comigo no que precisar, se precisar ouvir minha voz, sei lá, liga…fala que quer falar no skype..rs

    Te amo…e o Rafa vai chutar muitas bundas alemãs!

  3. Samantha disse:

    Oi Má… não fica triste não…
    eu tb senti muito isso enquanto estava na Inglaterra, mas um dia decidi não responder pras pessoas que me faziam perguntas, depois de chorar várias vezes por terem caçoado ou dizer que eu não sabia falar. “Pra que responder se vcs não me entende?”… no dia em que falei isso, eles começaram a entender… Lá todo mundo nasceu falando inglês!
    Enfim, bola pra frente, sempre de cabeça erguida… falta só mais um pouquinho pro Rafa chegar e vcs voltarem pro lugar onde td mundo te entende e te adora!!!
    Bjs

  4. Maira disse:

    @Juana: vc está certa! a saúde dele em primeiro lugar! Hj estou mais tranquila sim… foi só um dia pra “esvaziar o copo”. :-D

  5. Maira disse:

    @Gabi: adorei sua msg! Sei que posso contar com vc sempre mesmo, viu bichinha? Tu me conhece tanto né? Saudades demais!!! Tb te amo Gabs!!! Pode deixar que vou ficar bem feliz! Bjks!

  6. Maira disse:

    @Sá: se existisse uma premiacao da pessoa mais doce do mundo, com certeza vc seria uma forte candidata ao premio! ADORO!!! Vc é aquela pessoinha que a gente quer ter sempre perto da gente e tenho certeza que continuaremos assim, né futura vizinha? Obrigada pelo carinho, pois sei que sabe muito bem como a coisa pega fora do nosso continente, né!? Ai.. ai… Bjkssssss!!!

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório