Refletindo

Penso, logo penso e penso muito. É tanto pensamento, tantas análises, tantas reflexões que é preciso transbordar e eu transbordo em palavras. Esse é aquele espaço onde você poderá encontrar respostas, novos questionamentos, similaridades ou simplesmente algo que te diga nas entrelinhas: você merece ser feliz!

"Retratos e Relatos" por ele mesmo

Já faz um tempo que estou querendo escrever sobre isso aqui, mas como todos sabem minha cabeça ferve tanto que só quando baixo o fogo é que consigo sentar, me concentrar e escrever algo com carinho. 

Para entender bem o tema do post tem que ler até o final, afinal o “gol” é o resultado de uma sequência de “passes”. (-:

Por trás do “Blog Retratos e Relatos” tem tanta coisa pra dizer e tanta coisa que é dita/escrita que vocês não fazem idéia. Aliás, quando comecei não tinha idéia do tamanho da porta que estava abrindo. Se preparem, pois se a porta é grande, o caminho até ela não foi nada curto e nem tampouco é fácil de resumir. (((-:

Antes de vir a primeira vez para a Alemanha em Dezembro de 2006 ainda como “turista” tinha ouvido somente uma amiga jornalista comentar sobre Blog e foi essa amiga, a Gabi, que me ajudou e me incentivou a fazer meu blog nessa época. Pois foi uma das melhores coisas virtuais com consequências reais que aconteceu na minha vida! Como dito, era dezembro, inverno alemão, eu só falava duas coisas em alemão “Danke” e “Ich liebe dich”, o Rô teve que trabalhar enquanto eu estava aqui e ai fiquei sozinha em casa sem ter o que fazer. Pois é, fomos, eu e o Rô, salvos pelo Blog.

Sempre amei escrever cartinhas e textos avulsos sobre a vida (até carta pro Presidente da República eu escrevia nos meus momentos de revolta). Nada muito poético e também nunca consegui escrever em diário. Sei lá, começava o ano, escrevia dois dias e depois ficava entediada. Não via sentido, não tinha público, muito privado pra mim. Pois é, nasci pra ser pública. (((-:

Quando fiz minha primeira conta de email (acho que foi no IG, sei lá), entendi porque nasci nessa geração. Comecei a mandar textos que tirava de uns livros que tinha para todos meus amigos e junto à estes textos enviava sempre minha “abstração” sobre aqueles temas. Adorava fazer isso e fiz por muito tempo, até que a rotina me sufocou e comecei a usar email apenas para assuntos mais “sérios”, mas nem por isso tão “úteis” quanto os textos que eu costumava enviar.

Depois que parei de enviar os emails com pensamentos e abstrações, percebi que sentia falta daquela troca, daquela doação. Mas minha vida estava, pra variar, louca e não encontrava tempo para me doar como queria. Sim, o capitalismo é o melhor amigo do individualismo e o pior inimigo do tempo “livre”. Eu estava nesse jogo e estava tão concentrada nas regras que ele impõe, que não percebia que eu não levo o menor jeito pra jogar isso.

Foi então que minha vida girou no sentido contrário deste jogo, me levando a deixar pra trás todas àquelas regras que estavam me sufocando. E, não por acaso, a primeira porta a se abrir pra mim nesse novo contexto foi justamente a porta que me levou a fazer o que amo de verdade: me comunicar através do que vivo, ajudando, aprendendo, trocando, acrescentando, fazendo refletir, fazendo rir, fazendo chorar, fazendo sentir, fazendo viajar.

O “Retratos e Relatos” nasceu em dezembro de 2006 e desde então só me ajudou a “me” entender e a “me” enxergar. Sim, pois a gente se conhece através do que os outros veem em nós. Nós mesmos não conseguimos nos definir tão bem, quanto àqueles que convivem ou que tem contato com a gente ou com o que a gente usa para se expressar.

Um Blog geralmente nos expõe muito, mesmo que inconscientemente, ou seja, mesmo que tentemos evitar nos expor. A forma como se escreve diz muito sobre o que somos, sobre como sentimos, sobre o que nos incomoda de verdade, sobre o que amamos. Eu, pelo menos, só “sigo” um blog se eu me identifico com o que a pessoa conta e com a forma como ela conta algo. O Blog, como qualquer meio de comunicação, constrói relacionamentos baseados em empatia. Seus leitores, te leem porque eles se identificam com você. Seus leitores projetam em você àquilo que eles desejam para eles mesmos.

Sim, ter um Blog, ser um(a) Blogueiro(a) não é tão trivial quanto parece. É algo intenso. Reflete a frase: “Tu te tornas responsável por tudo aquilo que cativas.” Vocês não tem idéia de quantos emails eu recebo semanalmente de pessoas que me escrevem para desabafar, para pedir conselhos, para pedir uma conversa, para me elogiar, para pedir uma amiga e etc. Sim, é maravilhoso, mas também dá medo. Dá medo de não corresponder, dá medo de escrever algo que fira, dá medo de não poder ajudar como eu gostaria.

No começo eu não dava muita atenção para o que escrevia, pois meu Blog (como qualquer Blog no começo) não tinha muitos acessos, só família e amigos. Mas, de repente, os acessos começaram a crescer e com eles o número de pessoas a me mandar email também. Começaram a aparecer especialistas de todas as áreas possíveis, sempre preparados para me indagar sobre uma informação ou outra. Depois começaram a aparecer pessoas maldosas escrevendo recados pra lá de pervertidos e mal educados. E, depois que aprendi a lidar e a tomar cuidado com os dois primeiros tipos, começaram a aparecer os fãs. Gente como eu, gente que tem ambições pessoais, gente que tem medo, gente que tem sonhos, gente que tem dúvidas, gente que ama viver, gente que está cansada de rotina, gente.

E é essa gente que me faz continuar escrevendo. É pra elas que escrevo, pois sei o quanto é difícil tomar decisões sozinha sem referências. Sei o quanto é difícil acreditar que uma escolha difícil, pode ser a melhor. Sei quanta falta faz ouvir: “Vai em frente!”. Sei o quanto é difícil falar sobre nossas fraquezas para àqueles que mais amamos, pois temos medo de sermos menos amados por estarmos sendo fracos. Pois é, às vezes é mais fácil dizer ao padre ou à um(a) blogueiro(a). (((-:

Meu cunhado uma vez disse que o Blog pode ser compreendido como um “divã” da era virtual e eu concordo com ele. O Blog, dependendo do estilo, é sim um “divã”. A diferença é que aqui a gente se expõe pouco ou nada visualmente, pode escrever sem ser interrompido e aprende com os erros/experiências de quem escreve. Aliás, ironicamente quando eu estava no 3° ano de Enga Química, tranquei a matrícula para fazer Psicologia, mas depois de um ano de terapia descobri que jamais conseguiria viver com dinheiro de conselho. Pois é, o Blog era o “divã” que eu procurava e não sabia.

Enfim, esse post nao tem endereco certo. É um texto que escrevi como forma de mostrar os bastidores de um blog simples, escrito por uma pessoa comum como eu. Uma forma de descrever brevemente o poder das palavras e também uma forma de incentivar quem está comecando ou quem está pensando em parar, só porque poucas pessoas comentam. Quer um conselho? Deixe sempre um email para contato, pois muitas pessoas nao querem se expor deixando comentários públicos, mas adorariam ter um contato mais privado através de email.

É isso. “Retratos e Relatos” é o seu e o meu divã, sendo que nesse divã não se deita, se decola! Então fica aqui o convite: VIAJE COMIGO! (((-:

[pinit count="vertical"]

17 Comentários para ""Retratos e Relatos" por ele mesmo"

  1. Patricia Sack disse:

    Oi, Maira!
    Vc tem uma missao muito, mais muito importante com seu blog, ajudando a tantos outros expatriados (que palavra horrivel!) como eu a entenderem o que tem sentido numa outra cultura e com as proprias duvidas da vida.
    Achou que Papai do ceu ia te dar de graca uma temporada na Europa sem trabalhar? Ser blogueira de responsa como vc e trabalho, minha linda!!!(rsrsrs)
    Por favor, nao fique brava com a brincadeira, e que mesmo sem te conhecer pessoalmente, de alguma forma, me sinto a vontade para brincar, sem precisar me preocupar se posso ou nao falar algo… (vc sabe como e por aqui).
    Nao precisa ter medo de se expressar e com isso ser uma referencia para alguem. como vc mesmo disse, gente DE VERDADE precisa se relacionar com gente DE VERDADE e pra isso sente necessidade de se abrir, afinal somos uma multiplicidade de sentimentos!ASe for mulher, entao! Uma loucura!!!!

    Queria te agradecer a maneira carinhosa com que vc me retornou (faz tempo, a uns 6 meses atras antes de eu vir pra ca qdo pedi umas dicas de cursos de alemao e fontes). Me ajudou muuito!
    Me mudei pra Homburg (pertinho de Saarbruecken) a 1 mes e as coisas estao comecando a se ajeitar e o frio na barriga passar…
    Tenho 2 filhos ( de 5anos e de 8 meses) e os desafios com eles, alem dos meus proprios, tem sido grandes, mas como vc mesmo ja disse em algum post, qdo nos propomos a viver algo novo, tudo isso faz parte. Gracas a Deus tenho um maridao (em todos os sentidos) que me ajuda muuuuiiitttooo!!!

    Bem, mais uma vez muito obrigada por ser essa pessoa DE VERDADE e que Deus continue a abencoar vc e seu maridao e que Ele conceda os desejo do seu coracao!!!

    Forte abraco, Patricia

    • Maira disse:

      Oi Patrícia, nao sabe como é bom ler o que escreveu (já li umas 15 vezes…rs). Sinto tanto carinho, mesmo a gente nao se conhecendo. Fico absurdamente feliz por ter conseguido te ajudar um bucadinho e espero que possamos continuar em contato e sempre que precisar saiba que pode contar comigo, viu!? Sei o qto é importante nao se sentir só qdo se está longe de casa, ainda mais você com 2 filhos! Eita mulher corajosa, viu!? Sempre que quiser, entre em contato e quem sabe nao combinamos um cafézinho por estas bandas ou por ai, hein!? Ia adorar! Bjks e obrigada mais uma vez pelas palavras!

  2. mary disse:

    Cara, adoro acompanhar você(s) e sinto até falta qdo não aparece nada no meu e-mail. Dá para ter uma idéia sobre como viver fora do país, às vezes comento de forma que não parece estúpida e escrever me faz refletir sobre o que falar: eu escrevo se não gosto do tom ainda dá para apagar. Enfim, conheço um pouco de vocês e pondero melhor sobre como falar! Bjo

  3. Luciana Fazan disse:

    Pô Maíra, nem preciso dizer muito, só repito: Sou Sua fan !!! :-D

  4. Rodrigo disse:

    Bom má gosto muito de acompanhar e saber dos meus amigos de infância.

    Acho que é importante saber se as pessoas com as quais convive uma boa parte da minha vida estão bem !

    Beijão para você e rodrigão !

    • Maira disse:

      Digo… que fofo! Também adoro suas visitas, até me faz me sentir mais jovem, pois você me leva pra aqueles tempos onde tudo era novidade e onde eu era a encapetada…hahaha…Saudades!

  5. Melissa Motta disse:

    Maria, hoje na internet, no google sem querer achei sua pagina, estou ha 3 meses na Florida, porque meu marido veio a trabalho.Tenho um casal de gemeos de 1 ano e uma menina de 4 anos.Sinto o mesmo que vc, todos os dias, mina cabeca tambem ferve, estou sozinha.Quando li o que escreveu, li o que sinto.Tambem preciso pertencer, pois la eu pertencia, eu vivia…aqui nao aguento as janelas das casas fechadas, a falta de gente nas ruas, e a frieza desse povo.Um grande abraco
    Melissa (vc nao me conhece e nem eu te conheco)

    • Maira disse:

      Oi Melissa, pois é, só quem vive sabe o quao difícil é. Mas nao desanima nao! Comece a reforcar as coisas boas, comece a procurar oportunidades, comece a exorcisar o desânimo. Se quiser, podemos ficar em contato. Na pagina “Quem sou eu” tem meus contatos, entao fique à vontade pra me enviar email ou que quer que seja, tá!? Só NAO DESISTA! Bjks!

  6. Que delícia de blog.

    Passei correndo, acabei parando aqui por acaso, mas com certeza vou voltar. Adorei.

    Beijnhos.

  7. Ana disse:

    Olá Maira! Obrigada pela visita! Nao conhecia seu blog ainda. Vc escreve de uma forma muito gostosa de ler, leve. Vc tem razao, ser blogueira é literalmente deitar no diva! Continue deitando e … rolando :-) .

    P.S.: Vc ficou bárbara de Pipi!

  8. Mi disse:

    acho que qdo a gente decide ter um blog, a gente nao imagina tudo o que esta “por detras dos panos”. Qdo comecei em 2003, a blogosfera ainda era pequena e todos ainda estavam descobrindo como blogar. Agora, vc ja ve os blogueiros profissionais, que usam os blogs para ganhar dinheiro e tudo mais, e eu fico meio nostalgica. Preferia aquela blogosfera calma, onde as pessoas se conheciam melhor e nao o comercio de agora. bjs!

    • Maira disse:

      Oi Mi, você comecou em 2003? “Respekt!”. (((-: Eu nao sei Mi, nao fico chateda, pois acho que o Blog tem diferentes propósitos mesmo, sendo que a única coisa em comum entre todos os blogs é que permitem a interacao do leitor, suprindo assim a necessidade inerente ao ser humano que é de “pertencer” de alguma forma. Acho que cada um tem um papel a cumprir e nós, de alguma forma, escolhemos um caminho menos capitalista e sinto que estamos fazendo bem para as pessoas com isso e é isso que me motiva a continuar. O seu blog acho o máximo, além de fofo com os layouts que cria! (((-: Obrigada por sempre dar uma passadinha por aqui, assim me lembra que tenho que tomar vergonha na cara e comecar a comentar mais nos blogs alheios…rsrs… Bjks!

  9. Talita disse:

    Maira,to viciada no teu blog,gracas a voce eu consegui vaga num camping la em amsterdam,estava ja a 3 dias procurando um hotel barato e nao conseguia encontrar…
    Adoro a forma como voce se expressa,eu viajo com voce e vôo com voce em todos os seus pensamentos…
    E

  10. Talita disse:

    continuando…è muito bom saber que pessoas como voce existem e ainda melhor,que sao acessiveis e atenciosas…..
    Que sua vida continue sendo assim linda,apaixonante,repleta de cores,descobertas e de muitas felicidades!!!
    um grande bju e ja deixo aqui meu convite para ficarem hospedados em minha casa aqui em Verona Italia-cidade de Romeu e Giulieta!

  11. Melissa Motta disse:

    Desculpe por trocar seu nome Maira, por Maria.
    Obrigada pelo retorno, entro as vezes para ler o que escreve e tenho um carinho, em ler seus pensamentos e desabafos.
    Um beijo
    Melissa

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório