Refletindo

Penso, logo penso e penso muito. É tanto pensamento, tantas análises, tantas reflexões que é preciso transbordar e eu transbordo em palavras. Esse é aquele espaço onde você poderá encontrar respostas, novos questionamentos, similaridades ou simplesmente algo que te diga nas entrelinhas: você merece ser feliz!

Grandes conquistas, difíceis escolhas

“O destino nunca foi uma questão de chance e sim uma questão de escolha.” (Elio Gonçalves)

2.54am. Mais uma noite, uma madrugada e uma manha entre o sim e o nao. Mais um dia de escolhas, ou melhor, mais um dia defendendo minhas escolhas, minhas certezas.

Sempre relato (e gosto de fazer isso) minhas conquistas neste blog. Nao porque quero dizer que sou mais abencoada ou mais capaz do que quem está “me lendo”, mas porque gosto de provocar. Gosto de acender aquela faísca de desejo pela mudanca. Gosto de dar um empurraozinho para que todos deixem de pressionar seu botao “stand by”.

Mas, às vezes me pergunto, por que estao todos tao parados? Por que às vezes nao vejo movimento na vida de algumas pessoas? Por que nao vejo sofrimento e nem tao pouco euforia? Talvez seja porque estas pessoas preferem nao fazer escolhas, mesmo sabendo que tomar essa decisao já é uma escolha. Mas nao fazendo “grandes escolhas”, pelo menos nao se corre (teoricamente) grandes riscos. Nao se ganha, mas também na se perde. Preferem viver assim.

Eu? Bem eu já sou o oposto. Faco escolhas a todo tempo. Me posiciono sempre. Por isso sofro, mas também me realizo. Todas minhas grandes conquistas sempre foram banhadas de lágrimas e sorrisos. Nao alcancei nada sem ter que chorar pelas coisas das quais abri mao. E passava o caminho todo (aliás, ainda passo) me perguntando se valeu a pena, até o dia em que a conquista se concretiza.

Nem todas minhas escolhas foram aplaudidas, ao contrário, muitas foram absurdamente criticadas. Assim como nem todas minhas conquistas foram aplaudidas e nem tampouco valorizadas. Para alguns isso é um problema, pra mim isso foi um problema, nao é mais.

As escolhas sao minhas e só eu sei das coisas que tive que abrir mao até aqui para transformá-las efetivamente em conquistas. Só eu. Principalmente porque eu nao sou de dividir tristezas e nem tampouco insegurancas, resolvo-as sozinha. É meu jeito e talvez seja por isso que tenho tanto orgulho por tudo que conquisto, pois em nenhum momento ponho nas costas do outro a responsabilidade por uma possível falha. Nao procuro culpados quando estou insegura com uma escolha, procuro apoio.

Estou, pra variar, em uma fase de escolhas difíceis. Já fiz minhas escolhas, mas a diferenca e a dificuldade agora é que minhas escolhas nao dizem mais só respeito à mim, elas involvem marido e filho. Enquanto envolvia só o marido era mais simples, pois geralmente nos últimos quase 4 anos, ele era “nossa” prioridade. Quando viemos para a Alemanha, o foco principal era o desenvolvimento profissional dele e o preenchimentos dos desejos dele. Quando escolhi acompanhá-lo, transformei todos os desejos dele em meus desejos. O coloquei, humildemente, na frente de tudo que eu tinha naquele momento. Esqueci, conscientemente, de todos meus medos em relacao à viver na Alemanha. Chegando aqui, chorei por muito tempo escondida e outras vezes nao dava pra esconder. Ainda choro. Me re-criei para que pudesse aproveitar plenamente a oportunidade, mesmo a vendo muitas vezes como um castigo ou uma prova de fogo. Escolhi, perdi, ganhei.

Sim, fiz minhas escolhas e isso implica em dizer que escolhi o que perder e o que ganhar. O problema é que no momento da escolha nao se sabe o que está em jogo e muito menos o resultado do jogo. Escolher é sempre um jogo de risco. E hoje meu risco é triplicado, pois escolho por mim, pelo meu marido e pelo meu filho. A diferenca é que hoje, depois de perder muita coisa que me faz falta sim, estou neste momento mais inclinada a colocar “a nossa família” à frente de tudo. Estou escolhendo assumir riscos maiores (triplicados), baseados na minha intuicao que seja feminina ou materna ou humana. Estou escolhendo nao só por mim, e é ai que mora a grande diferenca e o grande desafio. Hoje meu maior desafio está sendo fazer as escolhas que devem ser feitas e arcar com as consequência imprevisíveis para “nós”. Estou decidindo por uma família feliz. Estou decidindo por uma família em paz, mesmo que para ter essa paz lá na frente, seja preciso “chacoalhar” valores e viver discórdias no dia de hoje.

Poucas pessoas, sejam elas maes ou mulheres, irao me entender. Aliás, nao cobro isso de ninguém. Como entender as escolhas de alguém, se nao somos nós que vivemos tudo que esse alguém viveu a ponto de fazer tais escolhas? Como nos sentir no direito de criticar este alguém? Nao, nao espero compreensao e nem tampouco apoio. Até por isso nao peco que ninguém decida por mim, nao peco que ninguém intervenha por mim, nao peco que ninguém se responsabilize por mim. Eu escolho. Eu perco. Eu ganho. Eu arrisco.

De tudo isso, só espero que as pessoas entendam que NENHUMA das minhas conquistas foi plena e sem feridas. E é por isso que dou tanto valor à elas. É por isso que agradeco à Deus por ter me feito de “pedra e água”, sendo dura e teimosa quando é preciso e fluida para tomar novas formas e me adaptar quando é o melhor a ser feito. Lembram do post sobre a “mulher massinha”? Pois é, mulher “pedra e água” é minha outra forma de sobreviver em momentos onde ser massinha nao me basta.

Pra cada conquista alcancada, deixei um pedaco de mim. Algumas vezes nao fez muita diferenca, outras vezes me deixou um vazio. Tive problemas sérios de auto-confianca, de auto-estima, de inferioridade. Mas hoje, hoje estou muito mais forte e auto-confiante. Conquistei isso, justamente por ter assumido minhas escolhas. Por outro lado, perdi coisas irrecuperáveis, mas que tento ver como coisas que nao preciso mais. É minha forma de amenizar o vazio que elas deixaram, por que existe uma escolha que faco TODOS OS DIAS: ser feliz, apesar de nao ter tudo que gostaria, agradecendo por tudo que conquistei e que dinheiro nenhum consegueria comprar ou substituir.

Nao faco contas pra ser feliz.

4.33am. Hora de escolher entre tentar dormir para poder conseguir trabalhar durante o dia ou ficar aqui filosofando sobre as consequências e dificuldades intrínsicas às nossas escolhas. Vou tentar dormir, porque filosofar, definitivamente, nao resolve meus dilemas.

[pinit count="vertical"]

4 Comentários para "Grandes conquistas, difíceis escolhas"

  1. Liza disse:

    Ma, tenho certeza que vc está no caminho certo e que suas escolhas serao as melhores sempre, afinal vc está priorizando a familia e a felicidade dos 3. Sabe, nem toda escolha de um serve para o outro, nem todo caminho que é bom pra mim, é bom pra voce. Cada pessoa é diferente e é preciso reconhecer e respeitar essas diferencas. Muitos podem criticar suas escolhas, nao entende-las, mas tenha paciencia, afinal nem todo mundo reconhece e assume as diferencas. Certamente voce estará rodeada de amor e carinho, qualquer que seja a escolha que fizer. Estou na torcida e tenho certeza que voces serao felizes demais sempre!
    Beijos

  2. Patricia Sack disse:

    Oi, Maira!
    Vc pode ser pequenininha, mas eh um mulherao em materia de vontade e determinacao em ser feliz, viu?!?
    Nem sempre teremos a aceitacao de todos que nos cercam com nossas escolhas, mas saiba que, as escolhas feitas “com” e “por” amor sao sempre as melhores. Se sao as mais acertadas, nao sei, mas o coracao ficara em paz e aqueles que verdadeiramente nos amam e se importam conosco acabarao aceitando com o tempo e vao torcer pra tudo dar certo no final.
    Agora trata de tomar um chazinho e fazer alguma coisa que te de paz e alegria porque pro seu filhotinho o que importa eh a mamae estar zen, ok?!?
    Gde bj
    PAtricia

  3. Meire Bagoli - Alemanha disse:

    Oi Maira!!!
    Sempre te admirei pelas suas conquistas com tão pouca idade.
    Falo muito bem de você para os meus filhos.
    Então pense no que te faz feliz. Mas não fique pensando e fazendo as coisas para só as outras pessoas serem felizes. Pense muito em você também. Boa sorte!!!

    • Maira disse:

      Meninas: é de pessoas como vcs q estou precisando agora… pena q querer nao é poder e às vezes a gente tem mesmo q viver os momentos mais dificeis sozinha… bom pelo menos é assim q tô me sentindo nessa situacao… enfim, vai passar… tô tentando ir em frente, mesmo nao sabendo mais o q vale a pena… obrigada pelo apoio, carinho e compreensao… bjks!

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório