Idioma

SENTIMENTOS – Saudades do português

Agora sao 14:15 horas da tarde aqui na Alemanha e eu deveria ainda estar na Uni, mas, adivinhem, nao estou. Fui, aguentei a aula de Direito até onde pude e, após passar do meu limite, decidi vir embora sem peso na consciência, mas com uma dor intensa no coracao.

Por quê? Porque todos os dias tento suportar o fato de nao entender 100% do que é dito nas aulas do meu MBA. Sim, até agora consegui passar em todas matérias e isso, se depender da minha forca de vontade nata, nao vai mudar. Mas tem dias (como hoje) que eu lembro que sou humana e nao a mulher maravilha. Chega um momento após 5 horas ouvindo algo que você simplesmente nao compreende, que você simplesmente desiste. Sao horas sentada ali com cara de quem tá com diarréia; vendo todo mundo rir de algo que você nao faz a menor idéia do que é; vendo todo mundo procurando alguma informacao no material didático e que você também nao faz a menor idéia o que é que eles tanto procuram; vendo que no trabalho em grupo sua colega do lado simplesmente vira às costas para você (detalhe, você está no grupo dela), pois sabe que você precisa de no mínimo mais 15 minutos pra conseguir entender as palavras mais básicas pra ela, ou seja, com certeza você nao vai saber a resposta que o grupo precisa dar; sao horas onde você se pergunta a cada minuto: “O que é que eu ainda estou fazendo sentada aqui?”. Pois bem, hoje depois de 5 horas vivendo isso pela enésima vez, decidi espontaneamente levantar e ir embora. Segunda-feira vou passar pela mesma coisa, mas pelo menos vou ter 3 dias pra traduzir todas palavras que preciso traduzir para, pelo menos, entender porque estarei sentada lá de novo.

E quando esse sentimento fica como hoje à flor da pele (sim, porque existir ele existe todos os dias desde que comecei esse MBA), sinto falta dela: da língua portuguesa. Sinto falta de ouvir, de ler e de escrever em português mais intensamente. Sinto falta da musicalidade. Sinto falta de me expressar na minha língua materna. Sinto falta de ler e só ter que entender o conteúdo, nao os significados. Sinto falta até mesmo das minhas aulas de português com a Profa. Nancy e depois com a Profa. Marleide. Ai que saudades! Meu Deus que saudades de ser compreendida e compreender tudo todos os dias! (pelo menos no que diz respeito à língua…rs)

Sendo assim, como nao podia deixar de ser, decidi saber o que dizem os poetas sobre nossa língua portuguesa. Acreditem, quando li a análise do poema abaixo “Língua Portuguesa” de Olavo Bilac, chorei e, dá um desconto, ainda estou chorando (se tivesse lido só o poema, sem a análise, teria chorado por nao entender nem mesmo português…rs). Mas me pergunto: “Será que se eu nao estivesse vivendo esse “conflito” linguístico, eu choraria lendo um poema que fala sobre a língua portuguesa?”. Acho que nao. Por isso, mais uma vez, agradeco à Deus por me por em mais uma situacao transformadora e enriquecedora, mesmo que extremamente difícil e desgastante. Viver é ajustar nossas lentes constantemente, buscando sempre novos pontos de vista.

Nossa língua portuguesa é MARAVILHOSA. Acreditem! E nao é só porque eu sou brasileira nao, muitas pessoas de outras nacionalidades que me ouviram falando português, disseram que é delicioso ouvir a gente falando português. Ou seja, falem bem ou mal dos “invasores” portugueses, mas ninguém pode negar que esse legado foi um presente. Um presente que nós, brasileiros, otimizamos e embelezamos. (((-:

Saudades de você minha querida e insubstituível “Língua Portuguesa”!!!! )))-:

“LÍNGUA PORTUGUESA” Olavo Bilac (1865 – 1918)

Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela…

Amote assim, desconhecida e obscura,
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela
E o arrolo da saudade e da ternura!

Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,

Em que da voz materna ouvi: “meu filho!”
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

Análise do poema por Paula Perin dos Santos:

“No poema Língua Portuguesa, o autor parnasiano Olavo Bilac faz uma abordagem sobre o histórico da língua portuguesa, tema já tratado por Camões. Este poema inspirou outras abordagens, como o poema “Língua”, de Gilberto Mendonça e “Língua Portuguesa”, de Caetano Veloso.

Esta história é contada em catorze versos, distribuídos em dois quartetos e dois tercetos – um soneto – seguindo as normas clássicas da pontuação e da rima.

Partindo para uma análise semântica do texto literário, observa-se que o poeta, com a metáfora “Última flor do Lácio, inculta e bela”, refere-se ao fato de que a língua portuguesa ter sido a última língua neolatina formada a partir do latim vulgar – falado pelos soldados da região italiana do Lácio.

No segundo verso, há um paradoxo: “És a um tempo, esplendor e sepultura”. “Esplendor”, porque uma nova língua estava ascendendo, dando continuidade ao latim. “Sepultura” porque, a partir do momento em que a língua portuguesa vai sendo usada e se expandindo, o latim vai caindo em desuso, “morrendo”.

No terceiro e quarto verso, “Ouro nativo, que na ganga impura / A bruta mina entre os cascalhos vela”, o poeta exalta a língua que ainda não foi lapidada pela fala, em comparação às outras também formadas a partir do latim.

O poeta enfatiza a beleza da língua em suas diversas expressões: oratórias, canções de ninar, emoções, orações e louvores: “Amo-te assim, desconhecida e obscura,/ Tuba de alto clangor, lira singela”. Ao fazer uso da expressão “O teu aroma/ de virgens cegas e oceano largo”, o autor aponta a relação subjetiva entre o idioma novo, recém-criado, e o “cheiro agradável das virgens selvas”, caracterizando as florestas brasileiras ainda não exploradas pelo homem branco. Ele manifesta a maneira pela qual a língua foi trazida ao Brasil – através do oceano, numa longa viagem de caravela – quando encerra o segundo verso do terceto.

Ainda expressando o seu amor pelo idioma, agora através de um vocativo, “Amo-te, ó rude e doloroso idioma”, Olavo Bilac alude ao fato de que o idioma ainda precisava ser moldado e, impor essa língua a outros povos não era um tarefa fácil, pois implicou em destruir a cultura de outros povos.

No último terceto, para finalizar, quando o autor diz: “Em que da voz materna ouvi: “meu filho!/ E em que Camões chorou, no exílio amargo/ O gênio sem ventura e o amor sem brilho”, ele utiliza uma expressão fora da norma (“meu filho”) e refere-se a Camões, quem consolidou a língua portuguesa no seu célebre livro “Os Lusíadas”, uma epopéia que conta os feitos grandiosos dos portugueses durante as “grandes navegações”, produzida quando esteve exilado, aos 17 anos, nas colônias portuguesas da África e da Ásia. Desce exílio, nasceu “Os Lusíadas”, uma das oitavas epopéias do mundo.

Fonte: http://www.infoescola.com/literatura/analise-do-poema-lingua-portuguesa/

 

[pinit count="vertical"]

9 Comentários para "SENTIMENTOS – Saudades do português"

  1. Flávia disse:

    aa, Maira sinto por vc por esses momentos, deve ser ruim mesmo, mas vamos lá, que vc consegue, já chegou até aí neah, já é uma grande coisaa! Eu gosto da nossa língua, acho bonita e talz, mas acho que se eu fosse gringa, acharia mais bonita ainda, é que pra nós parece que não é uma língua lá mto atraente.
    Beijoos!!

  2. Patricia disse:

    Querida Maira,

    nao pude pela primeira vez deixar de lhe escrever… Gostaria de lhe dizer que esta é a matéria mais difícil do MBA, nao somente porque as palavras sao realmente difícies ( inclusive tambem para os alemaes), mas porque nao faz parte do nosso dia a dia.

    Uma de minhas amigas do MBA, estudou direito no Brasil e quando fez esta materia penou muito e teve que refazer a prova, mas por fim deu tudo certo e ela hoje esta trabalhando na BASF tambem como Gerente !!!

    Nao se preocupe, o vocabulario e realmente para quem ja estudou direito, eles pegam pesado….mas se voce passar nesta materia, mesmo que tenha que refazer a prova, nao se cobre. Se a fulana do lado te ignorou, seja madura e nao ligue para ela… voce e que e especial de estar ai, dando a cara para bater e se esforcando para estar no nivel dos alemaes.

    E dificil mesmo, mas voce nao gosta de coisas faceis, mesmo porque nao tem graca!!!

    Entao menina, bola para frente, erga a cabeca que vai dar tudo certo, se nao der certo e porque ainda nao e o fim. Beijos, Paty

    • Maira disse:

      Paty, você é um anjooooooooooo! Me fez chorar de novo, sabe por quê? Tá, primeiro porque no frio eu choro por tudo, mas também porque lembrei do “antes”. Lembra? Lembrei que Deus te deu a “chave” pra abrir essa porta pra mim. Lembrei que você desde o comeco me ajudou e me apoiou e agora olha você de novo “me empurrando” com seu jeitinho todo “Patrícia” de ser. Te amo amiga! De verdade!

      Você está certa e eu vou tomar vergonha na cara e assumir mais essa briga, afinal, como você mesma escreveu e tenho certeza que todos que me conhecem concordam, eu nao gosto de nada fácil. (((-:

      Saudades e segura ai que depois de sexta (minha prova) vou te ligar pra te contar como foi. (((-: Bjks pra vc, pro André e pra pequena Giovanna!

  3. Maira disse:

    Oi Flávia, ei menina tu apareceu de novo e pra variar sempre com um “nao desista”. Adoro tua energia mulher! Obrigada pelo apoio e pela presenca qdo eu mais preciso ler ou ouvir algo que me motive!! Brigadú! Bjks! Má

  4. Maira, eu entendo perfeitamente o que você está dizendo. E olha que o inglês é bem mais fácil que o alemão ein? e mesmo assim eu ainda me sinto uma ET que acabou de aterrisar em um planeta hostil.
    É um sentimento de desajuste, de incapacidade, de marginalidade, pq afinal de contas a gente se sente a margem da vida das pessoas naquele momento.
    Este ano eu finalmente estou conseguindo me comunicar mais, mas mesmo assim me sinto muito insegura e sempre tenho um branco na hora de falar com alguém.
    Mas sei que isso vai melhorar, tanto para mim quanto para você, tenha certeza.
    Meu marido que é descendente de alemães, foi morar aí quando tinha 13 anos e me disse que no primeiro ano não falava com ninguém e ele estudava. A pior matéria para ele foi matemática, hoje ele conta rindo, mas imagine uma criança cuja mãe se recusou terminantemente a aprender o alemão, tendo que se virar sozinha.
    Tenha fé.
    Adorei o seu comentário lá no Brasileiros e gostaria de saber se posso publicar o seu post lá.
    bjks
    Cristiane

  5. valeriaamoris disse:

    Oi mulherrrr!!

    Que coincidência, dia 28 postei a mesma imagem q vc c/ o título: ausência justificada. E no dia 29 como estava enlouquecida…assim como estou até agora..rsrs, só postei uma imagem de um menino q vai enfrentar um desafio, de fato, diferente do meu desafio; mas a imagem do menino junto a frase que coloquei me deram forças: “Impossível é uma palavra muito grande que as pessoas pequenas
    usam para nos oprimir”, Chorão.

    Flor, imagino sua dor, por vários fatores que lhe cercam; porém ñ posso dizer q sei o q está passando porque nunca saí do Brasil.

    Mas, uma coisa posso compartilhar contigo e, sei q entenderá sem interpretações erroneas….

    …ia desligar o computador e decidi dar uma entradinha no seu blog, confesso…rsrs, talvez buscando alguma palavra de conforto q seja pra eu arrumar + energia pros próximos dias.

    ….Má, agora são 18h no Brasil e eu completo exatamente, 36 horas acordada, escrevendo e lendo sem parar. Parei agora, vou tomar um banho e, confesso entrar em um sono profundo até amanhã, no máximo até às 8h. Hoje, ainda, não comi exatamente nada e só agora percebi que estou tremendo e c/ um buraco no estomago, além dos meus olhos estarem ardendo e minha visão totalmente embaçada.

    Meu corpo, minhas vistas e minha mente ñ absorvem mais nada. Ultrapassei meu limite. Até meus ossos doem….pode parecer exagero mais não é. Hoje foi o último dia pra eu entregar o “projeto da minha tese” junto c/ minha inscrição pro mestrado.

    Má é só o projeto, porém ele vale muitos pontos e só estou entregando, ainda, na Metodista porque nela todas as provas são em um único dia. Porém, no dia 03/11 vou fazer minha 1ªprova dissertativa na Eca, lá é por fases, então o projeto só será entregue se eu passar na prova do dia 03.

    Vc deve estar se perguntando, porque tudo isso só por causa de um projeto? Bom, na Metodista abriram 24 vagas, porém só há 2 vagas por orientador, ñ sei o nº de inscritos, daí não vale um “bom” projeto, tem que ser no mínimo “ótimo”, pra ñ dizer excelente.

    Porém, a cobrança é grande, eu tenho q ser excelente em todas as fases da Eca, Metodista e, talvez do Imes se formar turma. Contudo, estou priorizando a Eca, visto q lá é totalmente gratuito, contudo são 40 vagas e, amiga, estamos falando da USP….com qtas pessoas estou disputando uma vaga?!

    Bem, o q isso te interessa e o q tem haver c/ seu problema?! Somos humanas, guerreiras e não desistimos nunca. Desde nossa adolescencia foi assim, por que agora seria diferente? Fomos vencedoras até a faculdade e seremos agora também. Não podemos enaltecer os obstaculos, temos q fingir q não vimos aquela amiga q virou as costas; porque outra com certeza do nada te estenderá a mão na hora q menos imagina.

    Má, pensa assim…vc tá pastando igual a um camelo; porém vc entrou. Vc já está estudando, é o 2º semestre. Tá dificil? Sim, tá quase impossível porque vc está sobrecarregada, mas vc continuará e não desistirá. Não importa q não riu da piada ou não foi buscar a pág. citada pelo professor….vc já deu um grande passo por ter ingressado no MBA e o fruto é certo…porque vc está plantando e cultivando suas sementes todos os dias.

    Agora, se estivesse aqui, mesmo sentindo falta da língua, do povo, da família…vc iria estar igual a mim, talvez não. Má se eu não passar na Eca e, talvez, passar na Metodista, não é certeza q conseguirei ingressar no Mestrado, pela Metodista ser particular e por terem me explicado errado o funcionamento da Bolsa do Governo. A mensalidade é R$1.200,00; porém as aulas só começam em março, ou seja, terei q pagar 3 meses e, isso se a CAPES (orgão q destina e analisa os projetos e escolhe quem se beneficia c/ as bolsas de estudos) escolher meu projeto e me der a bolsa, se isso não acontecer como darei continuidade nos estudos?! A bolsa da CAPES sai em abril; porém não tenho garantias q serei uma das beneficiarias, que vale bolsa de estudos de graça e mais uma ajuda mensal do governo, no valor do mestrado, justamente pra ajudar a combrar os livros e etc….Entretanto, vale ressaltar um detalhe importante: NÃO POSSO ESTAR TRABALHANDO E ME DEDICAR INTEGRALMENTE AO MESTRADO CONCLUINDO-O EM 1 ANO E MEIO.

    Amiga, ñ estou reclamando, ao contrário, mas se não posso estar trabalhando como pagarei as 3 primeiras mensalidades? O Nê tá arcando com todas as dividas (financiamanto do apto, alimentação, condominio, gas, luz, etc), mais as minhas inscrições e, livros (cada livro é numa faixa de R$ 100). Desisti de tentar a PUC porque só a inscrição era R$ 200.

    Contudo, qual a minha garantia de entrar? Tive q me virar sozinha no projeto, claro q contei c/ a ajuda do Ricardo, mas ele não pode escrever e nem ficar o dia todo fazendo-o ou estudando por mim. Eu nem sei se o projeto de fato está de acordo com o esperado pela banca examinadora de doutores?

    Má só pra prova do dia 03, estou com 6 livros pra ler, onde quase todos tem 500 páginas. Amiga, eu não pude assistir as aulas (universidades particulares ñ permitem) e a USP este ano, entrou mais em greve do que outra coisa. Daí vc dedus q não tive orientação especializada e direcionada, tanto pra elaboração do projeto, qto. preparação das provas (dissertativa, proficiência em outro idioma e entrevista c/ a banca). Tudo está nas mãos de Deus. Estou fazendo minha parte, mas agora….só me resta estudar esses 3 dias q me restam.

    Por isso, Má, fica feliz pela oportunidade, mesmo com risinhos hipocritas…ignore. Vc já está estudando e o que pode acontecer é ser reprovada em uma materia, ter que refaze-la e ficar mais um tempo na Alemanha. Veja por esse lado amiga. Isso não é castigo porque Deus não nos dá uma cruz mais pesada do que possamos carregar.

    Por isso, q estou te contando tudo isso; mas estou feliz, pelo simples fato de estar tendo a oportunidade de ter parado de trabalhar por 6 meses pra estudar EM CASA, sonhando em passar na USP/MESTRADO, eliminando todos os candidatos só c/ aquilo que consegui adquirir lendo ou pesquisando na internet. Porque pras Faculdades particulares se eu passar, não sei se vou poder me matricular. Eles me disseram que junto c/ a matrículo já sabíamos se a bolsa da CAPES tinha saído ou não; consequentemente vc não pagaria nem a matricula. E na verdade não é nada disso.

    Em outras palavras se eu não passar, volto a trabalhar em qualquer coisa voltada pra minha área por necessidade s/ a paixão, sem a vontade, o prazer, entende? E não terá como eu refazer 1 matéria; terei perdido 1 ano, ou seja, só poderei tentar novamente no fim de 2010. Isso, não quer dizer q meu caso é pior q o seu….nada disso, nem pense uma coisa dessas….

    ….só te escrevi, pra vc ver por outra otica: Oportunidade.

    Qtas. pessoas q vivem c/ um salário minimo queriam estar em nossos lugares?! Posso ter ido ao extremo agora….mas somos + que abençoadas, Má, claro q fazemos or onde….por isso q te escrevi. Não desanime, se cansar, se ficar nervosa, pode vir a fracassar….e a mulher q conheci JAMAIS FOI OU SERÁ UMA FRACASSADA.

    A MAIRA Q CONHECI E ME ENCANTEI É FORTE, DECIDIDA, CORAJOSA, DESTEMIDA, INTELIGENTE, FELIZ, BRINCALHONA, LOUCA, APAIXONADA PELA VIDA E PELOS DESAFIOS; ACIMA DE TUDO É VENCEDORA!!

    Humana?!…..Sim, ela é humana, porque fica irritada; chateada, magoada, chorona, melindrosa, insegura de vez em quando, qdo está muito cansada de não entender um idioma dificil pra cacete e ouvir piadinhas se sentindo inferior….Porém, com toda grandeza e virtudes que a Maira tem, ñ é isso que vai abala-la; ao contrário. Esse desafio vai deixa-a mais doidinha pra superar seus próprios limites e EU ACREDITO NELA e ACREDITE QUE ELA VAI VENCER TUDO ISSO e, amanhã…ah! amanhã é outro dia. Amanhã é dia de recomeçar tudo de novo com bom humor e felicidade sempre!!

    Estou torcendo por ti. Sorte!!
    Bjs,

  6. Lu disse:

    Oi Má!
    Não tenho idéia do que é passar por isso, e já até ando pensando em passar por isso rsrs
    …sei o que passo com a aula de alemão e convivência com esse povo e já sei o quanto é dificil, mas como sempre digo: eu confio em ti!
    Tu vai lá chora, mas ai da um ponta pé na choradeira e se supera!
    Na verdade eu cheguei a conclusão (mais uma haha) que sofrer essas coisas dão uma recompensa depois com um gosto muitoooooooooooo melhor!!!
    bjss

  7. Paula Perin disse:

    Olá

    Fiquei lisonjeada em saber que o texto que escrevi anda despertando sentimentos do outro lado do mundo. Moro em Juazeiro do Norte, no Ceará, e não tinha a menor ideia de que tão longe eu seria lida por alguém…
    Boa sorte nos estudos e espero que retorne logo à pátria!!!
    Abraços,
    Paula Perin dos Santos

  8. Olá, achei muito interessante o seu site e suas postagens, está de parabéns. Quando poder dê uma olhadinha em nosso site, trabalhamos com diversos tipos de papel de parede na capital de São Paulo. Aqui está, http://www.mundodopapeldeparede.com.br, Obrigado.

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório