SOBRE NÓS

Aqui você encontra um pouquinho da história do “Retratos & Relatos” e sobre quem vos escreve: eu! Pode ser que fique um pouquinho longo, afinal são 6 anos de blog e 33 anos de Maira. Então segura ai e já aprenda uma coisa essencial sobre “nós dois”: aqui não há superficialidade, ou seja, geralmente:D

O BLOG

O “Retratos & Relatos” foi criado em dezembro de 2006, na Alemanha, em pleno (e gélido) inverno. Foi minha primeira vez por lá e, naquela época, ainda como visitante. Como sou MUITO comunicativa (leia-se: tagarela), estava com medo do que fazer com minhas 20.000 palavras diárias morando em um país onde não conhecia praticamente ninguém e onde as pessoas falavam uma língua com a qual eu não tinha a menor afinidade. Foi então que uma amiga jornalista, na época blogueira de mão cheia, me falou sobre esse tal de “blog” e meus olhinhos, claro, brilharam ao saber que eu poderia sim, de uma certa forma, “falar”, mesmo não estando mais no Brasil, próxima às minhas orelhas, ops, pessoas queridas.

Foi assim que surgiu a idéia e a idéia, no começo, era apenas “falar” com pessoas conhecidas, com familiares, amigos. No começo foi assim mesmo e ajudou muito a segurar as pontas do lado de lá. Mas depois a coisa tomou uma dimensão que eu não esperava. Comecei a receber comentários e emails de pessoas desconhecidas me dando dicas, apoio, pedindo ajuda, me elogiando, desabafando. Confesso que quando isso começou fiquei com o ego lá em cima, mas depois fiquei insegura. Ou vocês acham que é fácil se expor, que é fácil corresponder à expectativas virtuais? Nada. É um caminho muito delicado, pois mesmo que virtualmente você está lidando com pessoas e pessoas são seres que muitas vezes não sabem lidar com frustrações, com opiniões opostas, com posturas sinceras ou até mesmo com a falta de respostas. Enfim, o público do R&R mudou, cresceu, se diversificou e eu tive que “crescer” com ele.

Antes o foco era minha vida na Alemanha, a Alemanha, a cultura alemã, o idioma alemão e tudo em torno desse país e da nossa “história” por lá. Depois eu e o Rô (meu marido, melhor amigo e editor chefe do R&R – sem ele, talvez, não existiriam vírgulas no blog – rs) retomamos devagarzinho a nossa grande paixão: viajar. E ai rolou a equação perfeita: viagens + blog + paixão por pesquisa + tempo livre e um público que não parava de crescer. Foi ai que o que era Alemanha, virou mundo. Foi ai que o R&R se tornou um guia de viagens no estilo mochilão e também um guia de “sobrevivência” e persistência de uma brasileira morando na Alemanha.

Viagem. Minha primeira viagem internacional aconteceu quando eu já tinha 24 anos. Fui com o  Rô, ainda namorados, para a Argentina e Chile. Uma viagem sensacional que um dia vou deixar registrada por aqui também. Depois disso não paramos mais (e nem queremos) e hoje são quase 30 países explorados em quase todos continentes, mas principalmente na europa. De todas as viagens que fizemos, apenas uma, para o Egito foi “pacote”. Todas as outras foram cuidadosamente planejadas por nós mesmos. Nosso estilo de viagem é esse, pois gostamos da aventura, do desconhecido, dos imprevistos (felizes, é claro) e, principalmente, do contato com os locais e suas histórias deliciosas e únicas. Afinal, o melhor de qualquer viagem são as pessoas que conhecemos nos destinos que exploramos. E é por isso que são elas, as pessoas, que estão em foco em todos os posts do R&R.

Alemanha. Cheguei na Alemanha um ano depois do Rô, no dia 27 de março de 2007. Quando o Rô me convidou, não tive dúvidas. Não, eu nunca sonhei em morar na Alemanha, nunca sonhei em falar alemão, nunca sonhei em vivenciar a cultura alemã que já tinha sido parte da minha infância. Eu aceitei porque sempre quis ter a oportunidade de conhecer o mundo, de ampliar meus horizontes, de testar minha auto-determinação e minha capacidade de desapego. Não foi fácil, mas atingi meus objetivos e todo esse caminho, as dificuldades, as mudanças, as conquistas e os frutos de tudo isso, você pode ler aqui, no R&R.

No dia 28 de maio de 2011 voltamos pro Brasil, repletos de histórias, desejos e com uma aquisição, ou melhor, produção, que mudou nossas vidas PRA SEMPRE: o Rafa, nosso Solzinho. Ele nasceu na Alemanha e voltamos quando ele estava com 3 meses. Agora ele já está quase emancipado (rs) com 1 ano e 3 meses, andando, falando (leia-se: gemendo), aprontando e encantando. Enfim, nasce um filho e o outro (o blog) precisa saber dividir a atenção. Depois que o Rafa nasceu eu praticamente desconheço o que é ter “tempo livre” e o R&R sabe disso, mas, por outro lado, minha inspiração está muito maior e as idéias surgem todos os dias.

E, no meio de tantas idéias, eis que surge o “R&R Fase 3″. O que vem por ai? Carinha nova, conteúdo ampliado e mais emoções por esse mundão de Deus. :D

A AUTORA

Bem no final desta página você vai encontrar como eu me definia há 6 anos atrás. Quando li, antes de iniciar essa “nova versão de mim mesma”, pensei em apagar, mas não dá. Não é justo apagar do R&R quem eu era quando comecei, até porque não mudei, mas melhorei. O mínimo, né!? :D

Eu sou a “Frau” Engelmann (Senhora). Maira Engelmann. Brasileira, paulistana, descendente de alemães, filha de brasileiros, canhota, leonina, corinthiana, casada com um mineiro gatim, nascida em 01/08/1978, sou mãe do menino mais gostoso do universo, intensa, independente, apaixonada, otimista, bagunceira, mochileira, sonhadora, humana.

BRASIL ANTES DA ALEMANHA: Quando era criança queria ser… huuummm… deixa eu lembrar….. pera aí…. ah! criança! Depois entrei na pré-adolescência e lembro que queria ser a salvação do país. Sério! Cheguei até a escrever cartas para os presidentes, mas, não me pergunte o por quê, nunca enviei. Cresci e decidi que queria trabalhar com publicidade, depois me disseram que se eu quisesse ter emprego garantido tinha que estudar “Processamento de Dados”, mas no fim acabei copiando minhas melhores amigas e decidi fazer “Técnico em Química”. Não, não gostava de química, mas precisei de menos de um ano pra me apaixonar por Química. Recebi meu primeiro “super” salário de Química (R$600) em 1997 e continei nessa mesma empresa até 2006 (mas com um salário melhor, “of course”). Nesse meio tempo tive várias crises dentro do tema “o que o mundo quer de mim”. Fora que cada um dizia que eu tinha que “ser” isso ou aquilo. Minha avó paterna sempre disse que eu devia ter feito jornalismo. Meu pai queria que eu fosse cervejeira. Meus amigos me diziam que eu tinha que ser vendedora, política ou artista. Com tantos palpites, deu curto e decidi que ia prestar vestibular para Biologia (uma fase que fiquei apaixonada por genética e pelas mitocôndrias…rs), depois descobri que a Biomedicina era “o bicho” e por pouco não vou até o fim da loucura. Mas, enfim, mais uma história pra fazer com que as pessoas rissem de mim como se eu não fosse alguém que devessem levar a sério. É, é difícil não ser linear nesse mundo. Depois de esgotar todas opções de maluquices, decidi seguir o trajeto que a sociedade esperava, o trajeto linear e fui estudar Engenharia Química. Pelo menos assim, ganhava um voto de confiança da sociedade e da chefe do laboratório onde eu trabalhava (rs). Entrei na faculdade e todos (menos eu) ficaram felizes. Fiz os 2 primeiros anos com maestria. No 3 ano pirei o cabeção. Decidi que o que eu queria mesmo era estudar psicologia. Tranquei a matrícula e durante o ano em que fiquei parada fiz terapia. Resultado: voltei para a Engenharia Química. No último ano mudei de emprego após quase 9 anos trabalhando no mesmo lugar (que eu amo até hoje!). No final desse mesmo ano me formei, me casei no civil e mudei de emprego. Em março de 2007 pedi as contas, casei no religioso, arrumei as malas e fui com o Rô para a Alemanha.

ALEMANHA: Chegamos em um sábado e na segunda já comecei meu curso intensivo de alemão no IFA. Conclui o curso após 1 ano. Antes mesmo de concluir o curso eu ficava pensando no que iria fazer depois dele. A única certeza que eu tinha quando fui para a Alemanha é que queria usar aquela oportunidade para “me encontrar” e já tinha pra mim que seria na área de comunicação. Pesquisei muito e fui chegando a conclusão de que não conseguiria, pois teria que ter um alemão sensacional e não era o caso. Continuei estudando, pensando em possibilidades e pesquisando. Surtei e no meio do surto encontrei um curso de mestrado na área de Tratamento de Resíduos na Universidade de Stuttgart. “Aquilo” virou minha meta! Bem, na verdade foi minha muleta pra continuar me arrastando até acordar. Me candidatei à uma vaga nesse mestrado mesmo não preenchendo praticamente nenhum pré-requisito. Fui para Malta ficar um mês dando um “up” no meu inglês e depois fomos para o Brasil. O Rô voltou antes para a Alemanha e quando chegou estava a carta da Universidade na caixa de correio. Quando me ligou, me contou com todo cuidado do mundo o óbvio: eu não tinha sido aceita. Eu sabia que não era o caminho, mas precisava testar. Voltei pra casa (Alemanha) e depois de pouco tempo fui chamada para uma entrevista de um possível trabalho na minha área (química). Meu alemão já era suficiente, mas quando voltei de Malta ele ficou super bloqueado e sempre que eu ia falar alemão, saia inglês. Então minha entrevista foi, pra não dizer triste, uma comédia. Toda hora eu tinha que pedir desculpas por estar falando inglês no meio do alemão. Resumindo: também não rolou e eu, de novo, chorei até. Nesse meio tempo a única coisa boa foi que fiz o teste para comprovar proficiência na língua alemã (TestDaf) e passei. Enquanto nada acontecia, fui seguindo fazendo “Scrapbook” e depois comecei a fazer bijouterias pra vender. Precisava de QUALQUER coisa que fizesse o tempo passar mais rápido, ou seja, precisava sempre de uma meta para ocupar a mente, o corpo e a alma. Sei que foram muitas idéias, muitas possibilidades, muitas tentativas, muitas frustrações, MUITOS nãos até as coisas começarem a acontecer pra valer. Um dia uma amiga me manda o link do MBA que cursei, dizendo que tinha começado a estudar lá e que era minha cara. Quando abri o link meus olhos começaram a sorrir e eu lembro de levantar pulando, sorrindo e dizendo: “É isso! É isso! É isso!”. Fiquei completamente descontrolada e não perdi tempo. Estava TUDO alinhado. E daí pra frente vocês conseguem ler todos os detalhes aqui, no “R&R”. Fiz o MBA, conclui com êxito e pompa, minha tese de mestrado foi aprovada, fiz um estágio de 6 meses em uma empresa alemã, virei mãe e voltei para o Brasil.

BRASIL DEPOIS DA ALEMANHA: faz um ano que voltamos da Alemanha e só agora as coisas começam a “começar pra valer” pro meu lado. Há 3 meses estou dando aulas de alemão regularmente, há 6 meses fazendo pré-análises de entrevistas para institutos de pesquisa esporadicamente, cuidando do R&R sempre que tenho um tempinho e alguma inspiração, atuando como esposa e mãe diariamente e intensamente e agora após um convite inesperado e feliz me tornei consultora de viagens de uma operadora em São Paulo trabalhando “home office”. Agora, após quase um ano trabalhando na área de turismo, percebo que amar viajar e elaborar roteiros de viagem é apenas um dos pré-requisitos para atuar na área e eu só tenho este. Sim, após meses de muito estress devido à minha falta de prazer com a parte comercial do trabalho, sai da agência e estou voltando a dar aulas de alemão, com as quais sempre tive muito prazer. Vamos ver o que vem pela frente. O importante é não ficar parada e não deixar de acreditar em nós mesmos e em nossos sonhos. Então: avante!

Essa sou eu e minha vida, a vida que faz esse blog pra vocês. :D

*** VERSÃO ORIGINAL “SOBRE MIM” ***

Sou uma Engenheira Química, atualmente estudante de MBA em Marketing Internacional na Alemanha (Reutlingen), que começa aqui a realizar um de seus sonhos paralelos: compartilhar na rede experiências e pensamentos. Não construi este espaço para ser aprovada e nem tampouco aplaudida, mas sim para ser uma “referência”, independente de ser considerada uma “certeza”.  Aqueles que me conhecem sabem o que digo e sabem que o que penso hoje não é eterno, que o que faço hoje não tenho a capacidade de repetir amanhã. Sou uma incansável e perturbada metamorfose.

Sou a favor da mutação, da transformação e do crescimento. Sou a favor da aceitação, da desmistificação e do profundo desapego do que não pode ser nosso. De nosso apenas os pensamentos …. só!  São eles nossos tijolos onde permeiam valores e sentimentos capazes de enrijecê-los nos dando suporte ou fragilizá-los até seu completo rompimento. Quando falo em mutação, descrevo em mim a necessidade do conhecer. Uma necessidade que hoje vem ser suprida através da possibilidade de viajar além do continente e adentrar a uma cultura avessa àquela onde formaram-se meus valores e percepções. Uma possibilidade de conhecer meu próprio limite de comunicação e compreensão das diferenças culturais. E uma certeza de encontrar fora do meu país, a minha identidade, pois hoje, após quase dois anos fora de “casa”, é que sinto de verdade o quanto sou brasileira. Sai, pois olhando de fora tudo fica maior. Sai, pois aqui dentro eu não me cabia mais. Sai e, agora, só penso em voltar.

 

Para quem quiser trocar idéias e experiências ou pedir informações, eis o caminho através desse site em “comentários” ou através de email maira.engelmann@gmail.com.

Você me encontra também em: http://de.linkedin.com/in/mairaengelmann

[pinit count="horizontal"]

42 Comentários para "SOBRE NÓS"

  1. Tila Jenniffer disse:

    “Olha,faria questão de ligar a tv,ficar a espera do meu programa favorito:

    “RETRATOS E RELATOS”
    Meu horizonte é onde vou estar amanhã…

    Mais como as redes de tv ,ñ se tocam,nem fazem nada para q as pessoas ja´q ñ VIVEM,vejam como é a vida fora de casa.Fico aqui a sonhar e acompanhar nossas,suas e de “todos”.. as grandes descobertas do outro lado da rua.!!!rsrsr
    beijos..fiquem com Deus e voltem pois estou a espera da nossa nova viagem…
    ass:Tila/Mundo

  2. Andressa disse:

    Nossa, adorei esse seu “quem sou eu”. Admito que me identifiquei com tal personalidade, dessa sede de conhecer novos lugares e ampliar seus horizontes.
    Estava a procura de fotos da Escócia, quando encontrei seu site e me interessei pela matéria.
    A propósito, adorei!! Acredito que aqui há muitas informações úteis sobre diversos lugares que anseio em visitar!
    Gostaria de parabenizar-lhe, e também, de agradecê-la por compartilhar tais viagens conosco :D

  3. Tati disse:

    Peguei teu e-mail e vou tentar te achar.
    Bjks!

  4. mayk limdo disse:

    nossa,adorei

  5. xande e joanita disse:

    Ola achei teu blog, e lhe dou os parabéns, sou casado, moro nos EUA com minha esposa a 4 anos, somos evangelicos. essa e nossa 1 visita no teu blog.
    vamos passar mais vezes aqui, pois nos pretendemos em 1 ano ou 2, voltar para o Brasil, passar uma longas ferias, e depois nos mudarmos para a alemanha, minha esposa e cidadã alema, mas tudo isso vai depender de. Eu conseguir obter uma residencia ai…mas isso e outra historia, por enquanto vou me dilicia com suas historias e experiencias. agente se fala um abraço. fica com Deus

  6. La disse:

    Quem eh vc?? VC EH UMA ANJINHA QUE CAIU DO CEU!!! hehehe….Obrigada por existir viu?!?! E que voce ajude muitas pessoas como eu! hehehe Bjaooooo!

  7. Debora e Raphael disse:

    Olá, ótima iniciativa… Parabéns!!

    Estou torcendo por você.

    Beijos,

  8. valeriaamoris disse:

    Oi Maira, tudo bem com vc? Pelo visto, hoje vc está um pouco deprê! Normal…todos tem seus dias de baixa astral.

    Acabei de ler seu último post “Pensamentos”. Não sei, se o que vai ler a seguir te deixará, um pouco, mais animada, porém sinto necessidade de te contar e antes de qualquer coisa preciso te agradecer!!

    Bem, vamos do início…rs.

    Navegando pela internet no inicio de maio, deste ano, por acaso encontrei seu blog. Estava fazendo uma busca sobre viagem, porque ia pra Paraty (RJ) e estava procurando aquelas coisas básicas: hospedagem; preços; passeios; etc…

    Foi quando li seu blog. Te juro; foi amor a 1ª vista. Fiquei encantada; apaixonada…absorvi cada palavra. Viajei com vc por vários lugares que desejo conhecer e acima de tudo me identifiquei com sua personalidade, acho que foi o mais importante.

    A sua alegria contagia, os seus desabafos me fizeram chorar; assim como meus olhos encheram-se de lágrimas qdo li que vc se encontrou novamente. Redescobriu seu Ser….

    …e é justamente isso que estou fazendo, tentando fazer…me achar. Fiquei perdida em algum caminho, sabe desses que a gente vai e nem percebe?!

    …mas qdo olha pra trás se pergunta: e agora o que eu quero, onde estou, o que tô fazendo??!

    Na verdade eu já sabia a resposta há muito tempo. Faltava-me coragem pra tomar atitude. O estranho é que nunca fui medrosa, ao contrário, sempre assustei a todos por ser “independente de mais”; “trabalhadora de mais”; “sonhadora de mais”; e “guerreira de mais”….eu sei, são muitos “mais” pra uma pessoa só.

    Sempre me cobrei muito. E poucos me permitiram, até mesmo eu não permitia, que eu errasse. Nunca pude ser boa em nada. Sempre busquei ser a melhor. Coisas de perfeccionista, entende?!…rs.

    Mas o tempo foi passando e passando…e do dia pra noite (após quase 1 mês estar acompanhando seu blog); me deu um estalo e falei bem alto com meus botões: CHEGA. VOU PARAR TUDO. VOU RECOMEÇAR AGORA. NUNCA FUI ACOMODADA, POR QUE ISSO AGORA? POR QUE ESTOU COM MEDO? MEDO DO QUE? DE ERRAR E TER QUE RECOMEÇAR? SEMPRE FIZ ISSO. O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM VC, VALÉRIA?

    Foi o que fiz. Não renovei os contratos com meus clientes (sou jornalista e atuo na área de assessoria de imprensa) e a partir desse mês comecei a me preparar pra ser aceita no mestrado. Sei que daria pra conciliar o trabalho e os estudos ao mesmo tempo…mas dessa vez, eu não quis. Trabalho desde que eu tinha 13 anos – ganhei muito conhecimento no quesito vida; porém perdi muito no quesito pré-adolescente. Tudo porque a “boba aqui” queria ir pras baladinhas; comprar roupas e tênis de marca, essas coisas de adolescentes…enfim, não me arrependo de nada, mas acho que tudo acabou sendo um pouco precoce demais.

    Me formei em 2002, no mesmo ano, junto com o Ricardo (meu noivo-marido/isso é outra história, estamos juntos a 13 anos e meio..haha), compramos um apartamento (é financiado, estamos pagando, mas é nosso..rsrs); já tinha meu carro, não era zero, mas comprei a vista meu Uninho…enfim. Mulher independente!!

    No fim, qdo conto é muito prazeroso e gostoso ver minhas próprias conquistas. Entretanto, agora, vc deve estar se perguntando; mas como vc se perdeu e, onde foi que se perdeu??!

    Me perdi trabalhando demais pra pagar tudo, mudando de emprego pra ganhar conhecimento (atuei em todas as áreas do jornalismo), correndo atrás de novos clientes quando abri meu próprio escritório e só depois de tudo isso, me dei conta que estava em 2009 e já tinha uma puta bagagem profissional; mas meu maior tesouro, ainda não tinha conquistado…foi aí que me senti frustrada.

    Desde que me formei, sempre quis continuar estudando porque meu objetivo era lecionar em universidade, porém preciso (e quero) fazer mestrado e doutorado….mas estava trabalhando tanto que não consegui. C@ irar 72 horas trabalhando direto sem parar….não me pergunte como..rs.

    ….acho que vc já me conheceu um pouco, né?! Agora, vou voltar pra qdo eu disse: CHEGA…rs.

    Assim, que o Ricardo e eu, retornamos de Paraty, falei que não iria trabalhar por um tempo e que ele iria ter que sustentar a casa sozinho e tudo mais que estaria por vir…

    ….ele nem pensou duas vezes. Já sabia onde eu ia chegar com aquela conversa e pra minha sorte; o Ricardo me apoiou (na verdade ele me apóia em tudo, desde que o que vou fazer me faça feliz).

    Como vc é brasileira deve saber que pra fazer mestrado aqui no Brasil (mesmo numa faculdade particular como no meu caso); vc precisa passar em 3 provas, ainda ter um professor orientador da universidade escolhida (aquele que gostou da sua tese) e ser aprovada pela “banca” dos professores doutores em comunicação – comunicação por causa da minha formação.

    Ou seja, vc tem que ter uma parte da tese escrita, ou, no mínimo pesquisada, sua bibliografia durante a entrevista deve ser riquíssima sobre o tema escolhido; porém por se tratar de uma universidade particular vc não pode assistir as aulas do prof. orientador, o que dificulta tudo.

    Detalhe, a inscrição e todas as etapas são no fim do ano e já estou me preparando agora….tudo isso, porque aqui o incentivo pros estudos não são dos melhores e nesse processo todo, também, preciso ganhar a bolsa de estudos de 100%, que será decidida pela “banca” e, ainda, será a mesma que me dará o incentivo do governo, ou não,…ufa! nossa, é muita coisa pra contar, né?! rsrs.

    Mas estou curtindo essas minhas férias merecidas, porém tem um lado meu que GRITA…

    ….desde os meus 13 anos eu não sei depender de ninguém. Não sei o que é pedir dinheiro pra alguém; muito menos – no bom sentido – pra homem. Não fui criada pra ser dona de casa. Admiro as que têm essa coragem; mas eu sou uma tristeza qdo o assunto é “serviço doméstico”.

    Falo sobre tudo: da política, ao futebol, do mundo da moda, da crise mundial, da gravidez da Ivete Sangalo; das aulas de Yoga; dos hormônios que estão me deixando maluca; até da novela das 8…enfim; mas não me pergunte como faz uma carne assada, ou me peça pra lavar roupa, porque nunca fiz isso na vida…

    Após 16 anos na labuta, é a 1ª vez que fico em casa…confesso que estava achando chato e depressivo. Até pensar em copiar vc..rsrs. Isso mesmo que fiz. Literalmente copiei sua idéia. Ah! espero que não fique chateada; mas plagiei seu layout também….

    Eu precisava desabafar; falar com alguém, mesmo que esse alguém não me respondesse nada, eu, também, precisa escrever…sinto necessidade disso…entende?!

    Mas vc foi minha fonte de inspiração…foi como um anjo! Cheia de idéias, sonhos, um texto gostoso de ler; frases inteligentes; ótima sacada nos textos…Mulher vc foi o gás q me faltava!!

    Não tem idéia de como transformou meu modo de vida, melhor, de ver a vida…agora, o blog tornou-se meu hobby favorito.

    …se tudo correr como sonho nos próximos 2 anos não há cogitações de pensar em viajar, então vou viajar pela minha Terra, que apesar dos pesares, eu amooo!! Vou mostrar e retratar São Paulo, sob minha ótica….

    Deixarei claras minhas indignações. Agora, além de estudar muuiiittooo; tenho o compromisso pessoal e intransferível de registrar a minha vida como um diário aberto, reservado a mim e àqueles que, por ventura, queiram me seguir. Minha vida não é ficção, mas confesso que tenho um olhar diferenciado em relação aos fatos que ocorrem ao meu redor. Um mix de jornalista e romancista. O resultado é uma blogueira sem muita direção. Quem conduz as pontas dos meus dedos no teclado é o meu coração. Ih! Até rimou..rsrs.

    Vc pode até pensar que é exagero, mas através de vc, de suas palavras já estou me adaptando aquilo que eu mesma me propus a fazer e ia desistir por falta de incentivo parecido…claro, que vc ta na Alemanha e são casos diferentes ao extremo; mas os sentimentos são parecidos e por isso já achei uma metade minha…aquela que tem sede de vida, de felicidade e que depender financeiramente do meu “noivo/marido” é temporário. Ademais ele não reclama e não deixa que me falte nada…eu que reclamo sabe lá Deus porque, sendo que a decisão foi só minha…nossa, mulher é complicada demais….

    …mas retomando o assunto Maira, obrigada, porque foi vc que fez com que eu despertasse dos meus devaneios…

    E confesso, escrever matérias jornalísticas é uma coisa; mas falar de mim…nossa é outra bem diferente. Não sou o arauto de sentimentos modernos. No blog, que ainda não está completo, falo de mim, por mim e para mim. Só espero, também, encontrar eco na vida de alguém, como aconteceu comigo lendo seu blog. Fruto do acaso? Sei lá, não costumo acreditar em coincidências e acho que sorte, de certa forma, é estar preparado para a oportunidade.

    Escrever dá coragem, mas torna-nos seres extremante frágeis, porque expomos a alma. Nos tempos atuais há mais pudor em mostrar a alma que o corpo, já tão em evidência. Na minha colcha de retalhos que comecei a tecer mostro mais que minha alma, exponho cicatrizes. Não tenho medo delas. Elas contam uma história: a minha. Procuro-me no outro, encontro-me apenas em mim mesma.

    Sou uma pessoa em análise. Busco o conhecimento tanto para dentro, quanto para fora de mim com a mesma fome e avidez. E temos sempre tanto a aprender!

    Tanta gente conhece muito do mundo externo (sua grandeza e sua beleza; suas curiosidades, pormenores e história) e não se dá conta de que é preciso também saber-se por dentro, conhecer aquilo que rege o mundo das emoções… Por isso, tem tanta gente triste, frustrada, vivendo infernos existenciais sem se dar conta de que o primeiro passo é o de fora para dentro. Eu penso, eu me reconheço. A realidade interior é senhora do destino também. Por isso, qdo vc encontrou seu SER eu chorei de emoção…estou a procura do meu.

    Tenho muitos defeitos. Não fujo deles (não gosto deles e sofro quando são apontados por mim, pelos outros, pela vida. Fato: é um dado de realidade). Todos nós temos defeitos e virtudes, somos fruto do meio. Recebemos sentimentos em excesso e temos em falta tantos outros necessários. Por isso o ser humano é complexo.

    Eu não me furto a tentar descobrir e entender os percalços da minha existência e assim trabalhar o que há de mais importante em mim: meu ser. Ao fazer isso eu trabalho o amor em mim, por mim e pelos que me cercam. Não tenho o altruísmo de querer construir um mundo inteirinho melhor, porque o mundo é muito grande para ser abraçado pelos meus curtos bracinhos. E as minhas tarefas, quando maximizadas, me assustam. O desafio é o de se impor metas saudáveis e não cobranças enlouquecidas. Eu vivo o hoje e sonho o amanhã. O agora é o que tenho em mãos para trabalhar. Amanhã? Talvez…

    Não posso fazer do mundo todo um lugar melhor, posso fazer de mim mesma uma experiência válida, um ser produtivo e encorajador, posso aprender com meus erros e consertar os meus excessos. Só posso começar em mim.

    Nessa busca, aprendi com VOCÊ, isso mesmo Dona Maira, que dor e prazer fazem parte da mesma moeda. Só estão em faces diferentes. Ganhar e perder. Dar e receber. Existe uma balança dentro de nós. E ela deve estar bem azeitada para não nos pregar peças e pender de forma diferente para um dos lados. Quando isso acontece é arriscado, sinal de que lá na frente seremos cobrados por esse cálculo inválido.

    Sentimentos não são matemática, mas eu acredito muito mais na ciência do amor que na lógica das circunstâncias. Desenvolvo a filosofa de uma vida que faz sentido a mim e que visa a minha evolução e a felicidade daqueles que me rodeiam. Mas nunca me esqueço que sou responsável COM aqueles que cativo e não POR eles. Cada um deve dar conta de si e eu devo dar conta dos sentimentos que dou e doou a quem comigo comunga dias, horas, instantes. Instantes, inclusive, podem ser eternos, inequívocos e inesquecíveis.

    Não sou feita de instantes, no entanto. Sou feita de histórias. E construo a minha com o cuidado de uma engenheira. Pra ser mais exata, aprendi com uma engenheira que só conheço virtualmente, mas é tão rica em transmitir idéias e emoções.

    Sou fiel ao que sinto, mas nem sempre o que sinto é fiel a mim. Ninguém nunca vai poder corresponder aos nossos anseios. Nem nós mesmos. Não podemos projetar expectativas no outro, mas é o que a lógica do pensamento abstrato nos incita a fazer. Porque as coisas precisam de uma espécie de lógica para existir. Só que o amor não obedece à lógica das relações. Ele se transforma e engrandece; ele cresce nos espaços emocionais que permitimos que sejam abertos. E enobrece. A lógica vem restringir aquilo que não tem limite, porque ao delimitar criamos fronteiras e colocamos barreiras visíveis ao que não é compreendido plenamente quando é ilimitado e intangível.

    O amor é insensível à palma da mão, mas completamente tangível ao coração. Só requer ousadia, coragem e uma dose de risco. Esse risco já faz parte de vc, Maira. E é o que te faz ser grande e inspiradora. Mesmo entrando em conflito consigo mesma; vc é a essência do amor, em palavras retratadas em seu blog.

    Termino com o coração tranqüilo e a consciência em paz por ter te escrito. Demorei pra criar coragem; mas percebi que não doeu nada; ao contrário foi gratificante. Quero continuar fazendo parte do seu mundo virtual tomando um gole da vida e brindando à uma melhor existência possível. Espero que vc permita (mesmo sabendo que plagiei seu layout) eu gostaria de continuar embarcando em suas viagens constantes; transparentes, abertas, e lindas…totalmente poéticas!! Escreva sempre, vc tem um dom maravilhoso!!

    Beijos de sua nova fã,
    Valéria

  9. Eugenia disse:

    Ola :) , amei o teu Blog tem informações importantes, eu adoro viajar um dia quem sabe nos vemos por ai
    um beijo desde Angola
    xxx

  10. Lí todo o relato da Valéria e faço das suas palavras as minhas. Tbm me senti emocionada com os olhos lacrimejantes em sentir o mesmo qdo deparei-me sem querer com o blog da Maira. A performance do texto de vcs duas é contagiante por seu humor sadio. Tenho tbm uma história onde recomeço minha vida aos 59 anos fazendo duas faculdades em meio o turbilhão de um divórcio inesperado e uma ex nora que te condena por ñ estar fazendo tricô e cuidando dos netos e um que já é ex, que te diz na cara “ficarás com o Diploma na mão, quem dará emprego pra uma sucata “? Fato é que dei um chute na bunda dele e estou mt bem trb num centro Histórico me preparando para um concurso público, com propostas na Área Ambiental onde o ano que vem me formo e em Letras em 20011. Mas fui tripulante da Marinha Mercante Brasileira por muitos anos e agora reinicio outra fase de minha vida com muita disposição e metas uma delas é conhecer Roma, esta ñ conheci pessoalmente só pelo Blog da Maira. Um bjão p/ todos os que tiver a felicidade de entrar neste Blog A propósito troco idéias.

    • Maira disse:

      Jerusa AMEI teu comentário e AMEI a sua história, pois mostra q enquanto respiramos, temos nossa vida em nossas maos e podemos fazer e mudar tudo que quisermos! Te mandei um email, tá!? Bjks! Má

  11. Maira,td bem? ñ recebi seu email. Vc mandou-me p/ meu gmail? Um abç sua amiga virtual.

  12. Fabiana dos Anjos disse:

    Olá Maira!
    Adorei o teu blog. Na verdade achei ele por acaso, pois estou cursando francês e preciso fazer um trabalho sobre qualquer país que tenha a francofonia.
    Escolhi a Suiça. Achei o máximo, pela descrição da tua viagem.
    Beijos
    Fabi-RS

  13. Maira passei aki só p/ te dizer q passei no concurso q referi acima, me torno servidora pública aos 60 anos com mt disposição. valeu apena tentar. Tudo bem com vc e seu amado? Vi esta semana um documentário arquiológico com o Pastor José Rodrigo da Silva sobre as catatumbas de Roma, é uma coisa incrivel como tudo aconteceu. Mt boa a matéria. Um abç sua amiga virtual. RS Brasil.

  14. Aletéia disse:

    Olá Maira, boa noite!

    Estou programando um roteiro de lua de mel pela Europa.
    Sempre tive o sonho de explorar esse velho mundo e quero fazer a melhor viagem e a mais inesquecível da minha vida.
    Eu separei alguns países e cidades p/ visitar, e gostaria muito da sua opnião.
    O roteiro que eu imaginei é o seguinte:
    Edimburgo
    Londres
    Paris
    Zurique
    Praga
    Viena
    Veneza
    Maranello (queremos conhecer a fábrica da Ferrari)
    Roma

    À princípio, pensei em iniciar a viagem em Londres e Edimburgo.
    Depois, seguir até Paris de trem e lá alugar um carro para fazer o restante do roteiro.
    Fui até a CVC para pesquisar os valores, e ficou muito caro…os hotéis principalmente.
    Como não conheço nada e nem ninguém por lá, fico com medo de fazer alguma reserva em lugares sem procedência, e acabar por perder o dinheiro.
    Tenho 20 dias para realizar essa viagem. Não estou preocupada em descansar muito. O meu intuito é conhecer o máximo de lugares que eu puder….principalmente quando estivermos na estrada…com certeza passaremos por lugares lindos.
    O que você me sugere para que essa viagem não fique tão cara e seja uma excelente escolha?
    Se nesse roteiro houver algum lugar interessante para conhecer, gostaria que me indicasse também.

    Abraços

    Aletéia

  15. Sabrina disse:

    Oi Maira!!!

    Li a sua entrevista no blog da mineirinha, e gostaria de te dizer que foi MARAVILHOSA!!!
    Estou morando há 2 meses em Mannheim e está sendo um desafio muito grande.
    Moravamos em Porto Aegre-RS e o meu marido recebeu uma proposta de trabalho aqui, então resolvemos encarar essa mudança de vida.
    Quando você escreveu sobre a dificuldade que teve com a lingua quando chegou aqui, me identifiquei na hora…estou no mesmo estágio de surto!!! Que coisa horrivel não conseguir falar e nem entender nada, me sinto péssima. Mas fiquei tranquila em ler que você conseguiu em 4 meses!!!
    Estou anotando todas as dicas do teu blog!!!

    Um beijo

    Sabrina

  16. ana isabel disse:

    ola. adorei seu blog e gostei da informacao que la existe adoro viagens, quem sabe se um dia nos encontramos aí.
    bj

  17. mari disse:

    oi meu nome e mari estava de bobeira na net e vi o teu site achei muito enteressante gostaria que me dece um conselho eu sou brasileira vc tambem e ,e sabe como a vida la e dificil vim para alemaha com um sonho de me casar e agora que estou aqui na casa de um alemao estou muito triste pois nao era aquilo que pesava ,choro todos os dias e penso muioto em minha mal sorte de nao ter encontrado apessoa certa para a minha vida ,estar aqui e para min uma conquista mais agora ele me trata mal e me faz muito triste gostaria de me encontrar e ser feliz com uma pessoa aqui ja que estou aqui quero tentar ficar por favor pelo amor de deus me ajude oque faco com essa sitiacao ja estou muito magoada tenho treis meses para ficar oque vc me aconselha,obrigado pela atencao e que deus te abencoe sempre beijos mari stuttgart.

    • Maira disse:

      Oi Mari, puxa ler seu depoimento me dá um aperto no coracao, pois sei que você é apenas uma das tantas mulheres que passam por isso. Eu tenho uma sugestao neutra que é a Instituicao IMBRADIVA http://www.imbradiva.org/portugues/atuacao/index.html. Eles sao especialistas no assunto e podem te ajudar. Se quiser bater papo ou pedir conselhos para mim, me mande um email que ajudo no que puder, tá!? O email eh mairaengelmann@gmx.de . Espero que encontre a melhor solucao e que encontre sim alguém bacana que te trate com respeito, pois isso é o mínimo que se espera de um relacionamento de verdade. Fique com Deus! Bjks!

  18. mari disse:

    desculpe pelos erros de ortografia

  19. Nor disse:

    Olá Maira!
    Simplesmente D+++++ seu blog.
    Pesquisando sobre o Egito, país que estudo no curso de turismo, me deparo com uma descrição sobre tal que não só respondeu alguns questionamento meus, como tbm. me deixou desejosa de conhece-lo futuramente…sou brasileira e atualmente resido em Portugal, sei o que é sentir saudades, das coisas que sempre estiveram ao nosso alcance e que nós era tão fácil tocar. Vc é uma inspiração pois consegui transmitir através da escrita, sentimentos que é difícil conseguir passar pro papel, já pensou em escrever um livro??? sou daquelas pessoas locas para conhecer o desconhecido e que adora ler algo bonito, assim como vc deve forma simples consegue fazer.

  20. Ina disse:

    OI, sou uma pessoa estranha,quem me conhece me acha alegre, divertida, comunicativa. Mas na verdade não sei quem eu sou! as vezes me sinto só, frustada e amarga. Mas não deixo que ninguém saiba disso, na verdade é a primeira vez que falo isso, esta sendo estranho me desabafar, mas estou me sentindo melhor. Trabalho com o publico, tenho uma vida financeira boa, tenho um esposo e um filho lindos. Tenho tudo que quaquer mulher gostaria de ter e até mesmo de ser, porq sou fisicamente bonita. Mas não consigo me descobrir, é como se eu não fosse completa. Sinto que falta algo que não sei..Desculpe falar tudo isso para vc, na realidade nem sei porq!

    • Maira disse:

      @Janaina: eu sei porque acabou desabafando…. vou te escrever um email, tá? Mas só lembre de uma coisa: vc nao é a mulher maravilha! Permita-se ter limites e se liberte de qualquer muro que tenha construído pra esconder suas fragilidades. Acredite, eu sei do que estou falando. :-D Bjks!

  21. Aline disse:

    Ainda estou olhando fotos e suas ideias das quais compartilho também, mas Maira nao sem por onde começar uma viagem para fora do Brasil e gostaria muito de começar a criar posibilidades só que grande impencíio é o famoso dinheiro, se você tiver dicas de como eu poderia fazer uma viagem bacana com o meu esposo e em conta, sei que tem dicas no seu site, me sinto sempre sem jeito de falar com alguém sobre isso por causa da situação finaceira, pois sempre acho que é preciso muita grana, para fazer uma viagem para fora.. enfim se tiver algo em mente e puder enviar…agradeço!!
    bjnssss

  22. carlos santos disse:

    Gosto muito de Santiago de Compostela, Santo.

  23. Good – I should definitely pronounce, impressed with your website. I had no trouble navigating through all tabs as well as related information ended up being truly easy to do to access. I recently found what I hoped for before you know it at all. Quite unusual. Is likely to appreciate it for those who add forums or something, site theme . a tones way for your customer to communicate. Excellent task..

  24. Nida Wilshire disse:

    “Love does not dominate; it cultivates.” ~ Johann Wolfgang von Goethe

  25. Raina Binker disse:

    *This could be the right weblog for anyone who wants to discover out about this subject. You realize so significantly its almost hard to argue with you (not that I actually would want…HaHa). You certainly put a new spin on a topic thats been written about for years. Great stuff, just great!

  26. Android Apps disse:

    Magnificent goods from you, man. Sobre mim | RETRATOS & RELATOS I have understand your stuff previous to and you are just extremely wonderful. I really like what you’ve acquired here, certainly like what you’re stating and the way in which you say it. You make it enjoyable and you still take care of to keep it wise. I cant wait to read far more from you. This is actually a terrific Sobre mim | RETRATOS & RELATOS informations.

  27. Extremely good post. I actually just happened at your current blog plus wanted expressing we need very loved studying your own web page posts. Anyways I will often be following to the blog plus Hopefully you actually post again immediately.

  28. Thanks for every one of your effort on this website. My mum enjoys engaging in research and it’s easy to understand why. Most of us hear all concerning the compelling ways you give valuable information via the web site and even increase response from people about this area of interest plus our own daughter is truly discovering a lot. Take advantage of the rest of the year. You are always performing a terrific job.

  29. Melisa Perman disse:

    Pretty fantastic article. My partner and i only just stumbled upon your blog site and also preferred to say that we have seriously enjoyed reading your blog blogposts. In any case I’ll become subscribing in your posts and also I hope an individual write-up yet again soon.

  30. Osvaldo laser disse:

    Good stuff I’ve bookmarked this in Digg under “Sobre mim | RETRATOS & RELATOS”. Kudos!

  31. William disse:

    You really make it seem so easy with your presentation however I in finding this topic to be really something which I think I would never understand. It kind of feels too complicated and very wide for me. I am taking a look forward for your next post, I will try to get the hang of it!

  32. Vanessa disse:

    Olá Maíra, gostaria de lhe dizer que suas postagens nos permite viajar na imaginação .. Amei a postagem que fala sobre Bratislava e Romenia .. Mto bom .. Quase não consigo parar de ler seu documentario .. atraves deles flutuamos … Estou ate agora encantada com as fotos com as pessoas.. Fico imaginando as ruas, as casinhas tudo .. Ameeeeiiii simplesmente maravilhosooo, Parabéns … Posso pedir algo?? Faz um documentario sobre Veneza por favor .. Bjs .. Ficarei por aqui aguardando as novidades ..

  33. Diana disse:

    Olá Maira, tudo bom? Realmente você conseguiu criar um blog sensacional!!! AMEI!! Pela forma como escreve, pela espontaneidade, pelo carisma que parece ter….enfim! AMEI TUDO EM SEU BLOG!!! E assim como tantos aqui, pelo q notei, você ganhou mais uma fã! beijos e sucesso!!

  34. Maglu disse:

    Maira, gostei muito do seu blog, vi-me retratada em tudo que voce escreveu mas com uma diferenca. Com o tempo, desisti de lutar, perdi meu objetivo, acomodei.
    Estudei Comunicacao Social no Brasil e estudei turismo (Reiseverkehrskauffrau) na Alemanha, onde moro há 25 anos como… dona de casa.
    Acho que voce fez a coisa certa: voltou pro Brasil a tempo de fincar pé em alguma coisa, rolar a bola pra frente e com uma bagagem de experiencia bem mais rica.
    Eu hoje possuo duas nacionalidades e nao me sinto “pertencente” a nenhuma delas (assim como um peixe fora dágua); também faco bijuterias e dei aulas de portugues durante 15 anos (mesmo falando alemao fluentemente nao me atreveria a dar aulas pra ninguém). Filhos também nao tenho.
    Histórias semelhantes, finais diferentes. É a vida. :sad:

    • Maira disse:

      Maglu não gosto de falar de finais, principalmente quando estamos falando de vida. Sempre é tempo de mudar, de conquistar, de lutar, de se transformar. E isso não é papo de auto-ajuda não? É assim que vivo. Se quiser “conversar” mais me escreve um email, tá!? Mas não está no final! Decididamente não! Bjks e avante sempre!

  35. Fernando F Vasconcelos disse:

    Garota, seu antes e depois é sensacional! Não apague nada, temos esse direito. Ri muito e concordo que precisa do Rô. Deixe-o com as vírgulas e você com seus relatos. Quase não se percebe parágrafos também, ainda bem. Boa sorte sempre. Pode bem ganhar dinheiro com seu Blog também. Venda publicidade. Diretamente com o anunciante lucra-se mais.

  36. ivani barros disse:

    maira,achei maravilhosa sua ideia de fazer o blog,e a suas viagens,não tenho condições finaceiras para viajar sempre e principalmente para exterior mas me senti viajando virtualmente com vcs para noroega ,senti até aquele ventinho gelado que vc comentou,vcs fizeram um ótimo roteiro ,muito obrigado por mostrar essa experiência maravilhosa ,um grande beijo vani

Deixe seu Comentário





* Campos de preenchimento obrigatório